Sites Grátis no Comunidades.net
Filmes brasileiros da década de 70
Filmes brasileiros da década de 70

 

 

 

AS CONFISSÕES DE FREI ABÓBORA (1971) / Minhateca

Dirigido por Braz Chediak

Elenco:

Tarcísio Meira
Norma Benguell
Jacqueline Myrna
Emiliano Queiroz
Nelson Xavier
Oswaldo Loureiro
Leda Valle
Amândio
Nena Oliveira

As aventuras amorosas de um padre desiludido com a religião e com a vida.

Iracema, A Virgem dos Labios de Mel (1979) / MINHATECA

É uma adaptação cinematográfica do romance homônimo de José de Alencar, na verdade uma forma de aproveitar a beleza da atriz Helena Ramos, um símbolo sexual dos anos 70. 

  • Diretor: Carlos Coimbra
  • Elenco:

    • Helena Ramos ... Iracema
    • Tony Correia ... Martim
    • Carlos Koppa ... Araquém
    • Francisco Di Franco
    • Alberto Ruschel
    • Mário Benvenutti Filho
    • Ilma Conceição
    • Stael de Almeida
    • Lourdes de Souza
    • Lucy Furtado
    • Francisco Gomes
    • José Mateus Lopes
    • Dina Medeiros
    • Ladislene Paula
    • Domingos Samuel
    • Alvamar Santos

Resultado de imagem para pecado na sacristia

Resultado de imagem para pecado na sacristia

Pecado na Sacristia (1975) / Minhateca

Pedro Socó é um cortador de cana que foge de sua terra após assassinar a mulher por surpreendê-la em adultério. Na fuga encontra estranho personagem que se diz a alma penada de Florindo Fede-a-bode. Fazem um pacto. Socó desenterrará o dinheiro que mantém Florindo penando no outro mundo e não só libertará uma alma como se tornará rico. Na busca desse tesouro enfrenta dificuldades humanas e fantasmas, como a mula-sem-cabeça que está desvalorizando as terras do coronel Ferrolho (Elza, mulher que vive atormentando de tentações o padre Angelini, vira mula-sem-cabeça em certa noites). Terá de enfrentar também a mãe-d'água, outra aparição, afinal encontrando seu verdadeiro destino, após desmascará-la.

Direção: Miguel Borges 

ELENCO
Ítala Nandi
Francisco Milani
Ivan Cândido
Maurício do Valle
Roberto Bonfim
Tina Luisa
Wanda Polatchek
Zezé d‘Alice
Zula 

Resultado de imagem para Eu Faço elas sentem filmeResultado de imagem para Eu Faço elas sentem filmeResultado de imagem para Eu Faço elas sentem filme

Eu Faço... Elas Sentem (1976) / Minhateca

Célia e Luiz, dois irmãos siameses são separados e, por serem órfãos, adotados por famílias diferentes. Crescem sem se conhecerem mas recebem e transmitem emoções e sensações entre si. O moço perde a virilidade temporariamente e a moça é acometida de estranhos fenômenos quando fatos fortes prejudicam a vida de um e de outro. Após peripécias, os irmãos se encontram e tudo fica explicado.

ELENCO
Walter Portela 
Magrit Siebert 
Cinira Camargo
Antônio Fagundes 
Jesse James
Vic Militello 
Older Cazarré
Lúcia Capanema

Direção: Clery Cunha

Resultado de imagem para aventuras amorosas de um padeiro

As Aventuras Amorosas de um Padeiro (1975) / Minhateca

Direção: Waldir Onofre

ELENCO

Haroldo de Oliveira
Ivan Setta
Maria Do Rosario
Paulo César Peréio
Procópio Mariano
Waldir Onofre

Ritinha (Maria do Rosário) é uma jovem humilde, virgem e que vive no subúrbio do Rio de Janeiro. 
Ela se casa com um homem mais velho, o conservador Mário (Ivan Setta). Meses depois, ela percebe o quão entediante é sua vida de casada, sobretudo nas questões do sexo. É quando conhece Marques, que se não passa de um estúpido padeiro português, pelo menos faz a jovem realizar suas fantasias na cama. E ele acaba tirando fotos dos dois transando. Mais tarde, Ritinha conhece Saul, artista negro de quem se torna amante. Mas Marques, tomado pelo ciúmes, revela as fotos ao marido dela, criando enorme confusão. 

Resultado de imagem para assim era a atlântida

Assim Era a Atlântida (1975) / Minhateca

Com roteiro de Sílvio de Abreu e Carlos Manga, e sob a direção deste último, Assim Era a Atlântida contém trechos de produções da Atlântida, intercaladas com depoimentos de Adelaide Chiozzo, Anselmo Duarte, Cyll Farney, Eliana, Fada Santoro, Grande Otelo, Inalda, José Lewgoy e Norma Bengell. Cenas antológicas com Zé Trindade (... o chato não é ser bonito, é ser gostoso...), como em Garotas e Samba, quando cai na conversa da “francesa de araque” vivida por Renata Fronzi, e junto com Ivon Curi, numa cínica conversa com um delegado de polícia. As preciosidades ficam por conta da presença de Oscarito: assistindo ao strip-tease de Norma Benguell, em o Homem de Sputinik; na trôpega escapada em Aviso aos Navegantes; no duelo contra o bandido José Lewgoy, em Matar ou Correr; como o espelho de Eva Todor, em Os Dois Ladrões e em Carnaval no Fogo, como Romeu, e Grande Otelo como Julieta, além do trecho final, que presta uma homenagem ao comediante, incluindo cenas de suas gags e engraçadíssimas caracterizações.

Destaque para números musicais como em Aviso aos Navegantes: Emilinha Borba em Tomara Que Chova Três Dias Sem Parar; Eliana e Adelaide Chiozzo em Recruta Biruta, e Jorge Goulart em Sereia de Copacabana; em Garotas e Samba, cantando Vai com Jeito, a vedete Sônia Mamede - a “mulher Ofélia”, a tapada esposa de Fernandinho, o comediante Lúcio Mauro - do humorístico Balança Mas Não Cai; e em, As Sete Evas, Odete Lara em Franqueza (“você passa por mim e não olha...”), à época um sucesso da cantora Maysa.

Direção: Carlos Manga

ELENCO

Oscarito
Grande Otelo
Eliana
José Lewgoy
Cyll Farney
Adelaide Chiozzo
Zé Trindade
Zezé Macedo
Anselmo Duarte
Norma Bengell 

Imagem

A Noite da Fêmeas (Ensaio Geral, 1976) / Minhateca

Durante o ensaio de uma peça teatral, quatro atrizes são envenenadas. Um censor chama a polícia e um inspetor para dar início às investigações. No interrogatório, todos os depoentes demonstram ter motivos para o assassinato.

Diretor: Fauzi Mansur

ELENCO

Kate Hansen, Nádia Lippi, Marlene França, Maria Isabel de Lizandra, Antônio Fagundes, Ewerton de Castro, Dionísio Azevedo, Elizabeth Hartmann, Sérgio Hingst, Lola Brah, Liza Vieira, Kadu Moliterno (como Carlos Eduardo)

Resultado de imagem para o prisioneiro do sexo
Kate Lyra in O Prisioneiro do Sexo Kate Lyra in O Prisioneiro do Sexo Kate Lyra in O Prisioneiro do Sexo Kate Lyra in O Prisioneiro do SexoNicole Puzzi in O Prisioneiro do SexoNicole Puzzi in O Prisioneiro do SexoNicole Puzzi in O Prisioneiro do SexoNicole Puzzi in O Prisioneiro do SexoNicole Puzzi in O Prisioneiro do SexoSueli Aoki in O Prisioneiro do SexoSueli Aoki in O Prisioneiro do SexoSueli Aoki in O Prisioneiro do SexoSueli Aoki in O Prisioneiro do Sexo

O Prisioneiro do Sexo (1978)

Entediado com seu casamento, o arquiteto Marcelo propõe a sua mulher, Ana, uma relação a três, com outra parceira sexual. A mulher aceita, mas a situação foge do controle de Marcelo, pois Ana se envolve amorosamente com a outra, e Marcelo já não se encaixa no triângulo que propôs.


Dirigido por Walter Hugo Khouri

Elenco:

  • Sandra Bréa ... Ana
  • Roberto Maya ... Marcelo
  • Maria Rosa
  • Aldine Muller
  • Kate Lyra ... Helen
  • Genésio de Carvalho
  • Renato Master
  • Nicole Puzzi
  • Mara Husemann
  • Novani Novakoski
  • Sueli Aoki
  • Mii Saki (como Misaki Tanaka)
  • Maria Leite de Barros

 Resultado de imagem para você também pode dar um presunto legal

Você Também Pode Dar um Presunto Legal - 1971

Dirigido por: Sergio Muniz

Reflexão sobre a atuação do Esquadrão da Morte e do famigerado Delegado Fleury, chefe do DOPS em São Paulo. Filmado clandestinamente, o documentário nunca foi exibido por representar risco de vida para seu elenco e equipe. Na época, seus negativos foram transferidos para Cuba. Desde de 2006, seu realizador exibe sem muito alarde esta versão em universidades e mostras sobre direitos humanos. Com uma narrativa ainda atual, o documentário utiliza-se de diversos materiais em sua construção – recortes de jornais e revistas, imagens captadas diretamente da televisão, transcrição de depoimentos de pessoas torturadas e fragmentos das obras de teatro “A Resistível Ascensão de Arturo Ui” (Bertold Brecht/Teatro de Arena) e “O Interrogatório” (Peter Weiss/Teatro São Pedro).

Isto é Pelé (1974) / Minhateca

Diretor: Luiz Carlos Barreto

Documentário que narra a vida de Edson Arantes do Nascimento, o Pelé, contando sua carreira de 17 anos de futebol. Ao lado do gênio Pelé, são focalizadas as grandes conquistas do futebol brasileiro, com ênfase nas Copas do Mundo de 1958 e 1970. Pelé depõe sobre suas qualidades e vemos cenas das partidas mais importantes que disputou, os gols mais emocionantes que marcou, como um testemunho e um legado de ensinamentos para as atuais e futuras gerações do futebol brasileiro.

CAFÉ NA CAMA (1973) / MINHATECA

Direção: Alberto Pieralisi

ELENCO
Agildo Ribeiro, Celso Faria, John Procter, Jotta Barroso, Mário Lago, Marly de Fátima, Marta Moyano, Neuza Amaral, Rubens de Falco, Suzy Arruda, Tião Macalé

Norma Simone é uma jovem suburbana que sonha com o estrelato. Embora lhe faltem talento, sobra-lhe beleza. Mas, antes do cinema, ela tem que passar por todo o aprendizado prático da vida: emprego numa loja, desfile de modas, agências fotográficas, uma empresa "fajuta" de venda de ações, um apartamento bem frequentado dirigido por Madame Zulmira. Em cada lugar Norma tem um apaixonado, disposto a cometer por ela as maiores loucuras. O pacato Sr. Jair, gerente da loja, o impulsivo vendedor de ações. Apenas um a ama de verdade, o seu vizinho de bairro, o mecânico Geraldo. 

Resultado de imagem para a flor da pele filme 1976

À Flor da Pele (1976) / Minhateca

Marcelo Fonseca é um autor de telenovelas, casado e que tem uma filha. Sua aluna, Verônica, da Escola de Artes Dramáticas é sua amante. A relação entre os dois vai piorando e durante a prova final discutem e ele reprova Verônica e seu namorado Toninho. Verônica, sem saber o que fazer, embriaga-se e enfrenta seu pai agressivamente. É espancada e internada em um hospital onde descobre que estava grávida e perdeu o filho. Decide se vingar de Marcelo e conta à sua esposa que são amantes. Isaura, esposa de Marcelo, fica em estado de choque e tenta se suicidar. Com isso, Marcelo termina definitivamente com Verônica e cada um segue seu caminho. Ele acostuma-se às conveniências sociais e ela amadurece com a experiência.

Direção: Francisco Ramalho Jr.

Elenco:

  • Juca de Oliveira
  • Denise Bandeira
  • Beatriz Segall
  • Ewerton de Castro
  • Sérgio Hingst
  • Maiara de Castro
  • Sérgio Mamberti
  • Jonas Bloch
  • Reginaldo Paiva
  • Cecília Caggiani
  • José Júlio Spiewak
  • Verinha

Resultado de imagem para marília e marina (1976)

Marília e Marina - 1976

Dirigido por Luiz Fernando Goulart

Elenco:

  • Denise Bandeira...Marina
  • Kátia D'Ângelo...Marília
  • Fernanda Montenegro...D. Glória (a mãe)
  • Stepan Nercessian...Júlio
  • Nélson Xavier...Marcelo
  • Marcelo Picchi...Marcos
  • Joana Fomm...Helena
  • Fernando Torres...pai de Júlio
  • Nestor de Montemar...Travesti
  • Hugo Carvana (não creditado)
  • Hemílcio Fróes
  • Maria Sílvia

Baseado no poema "Balada das duas mocinhas de Botafogo", de Vinícius de Moraes

No Rio de Janeiro, as irmãs Marília e Marina cometem suicídio. Em seguida, a história das duas é contada em flashback. As duas são filhas da viúva Dona Glória, que faz doces para sobreviver. Marina, a irmã mais velha, é amante do playboy Marcos enquanto Marília namora o estudante Júlio. Marina briga com Marcos e, num impulso, resolve assediar Júlio. Os dois viajam até Petrópolis mas na volta Marina não quer mais nada com ele. Júlio tenta reatar com Marília mas a moça o despreza pois sabe sobre a traição dele. Dona Glória insiste com ela para que volte ao namoro com Júlio, enquanto Marina se envolve com Marcelo, o patrão casado. Novas desilusões esperam pelas moças.

Resultado de imagem para Noite em Chamas [1978]

 

Noite em Chamas [1978]

Dirigido por Jean Garrett

Elenco Original
Ator Papel
Tony Ferreira João
Maria Lúcia Dahl Beth Lemos
Zilda Mayo Laura
Lola Brah Virgínia
Dênis Derkian Sérgio
Roberto Maya Stank
Benjamin Cattan Afonso
Helena Ramos Marcela
Malu Braga Virna
Renatos Master Walter
Maracy Mello Adelaide
Carlos Reichenbach Ademar
Sônia Guedes

Revoltado com sua condição, o servente João (Tony Ferreira) planeja explodir o hotel em que trabalha no centro de São Paulo. Num dos apartamentos, a atriz de filmes eróticos Beth Lemos (Maria Lúcia Dahl) prepara seu suicídio, enquanto em outro arma-se tumultuado triângulo amoroso entre Walter (Renato Master), o marido, Adelaide (Maracy Mello), sua mulher, e Laura (Zilda Mayo), a amante. Quando o pregador americano Stank (Roberto Maya) profere conferência no salão de convenções sobre uma nova religião tecnológica, João faz explodir o quadro de energia do salão, mas o gerente Afonso evita chamar a polícia, temendo escândalo. No hotel refugia-se o jovem milionário judeu Ricardo, acompanhado de advogado e capanga: ele matou uma moça e é perseguido pelo repórter Ademar (Carlos Reichenbach), que hesitará entre o 'furo' jornalístico e o suborno oferecido pelo pai de Ricardo. Vindo do interior, Sérgio comemora com prostitutas sua entrada para a faculdade, humilhando simultaneamente um amigo; em outro apartamento, o fazendeiro Junqueira discute sua paixão pelo boi Marajá com Virgínia (Lola Brah), que deixou o marido pelo cachorro. Depois que João desliga a força dos elevadores - num dos quais ficam presos Stank, claustrofóbico, e Beth Lemos - Afonso (Benjamin Cattan) chama a polícia. Enquanto o delegado Caçapava ordena a seus homens que arrombem a porta da casa de máquinas e evacuem o prédio, João derrama combustível nos elevadores. Todos fogem, mas a atriz atira-se nua de sua janela, morrendo. Ao receber voz de prisão do delegado, João acende seu isqueiro e provoca sucessivas explosões que incendeiam o hotel.

 

Resultado de imagem para o outro lado do crime

O OUTRO LADO DO CRIME (1978) / Minhateca

Direção: Clery Cunha

ELENCO:

Gil Gomes

David Neto

José Lewgoy

Liana Duval

Marcos Miranda

Marineide Vidal

Marthus Mathias

Paulo Farah

Tião Ribas D'Avila

Baseado nas crônicas radiofônicas do radialista Gil Gomes, em seu programa na Rádio Globo de São Paulo. Gil Gomes, um repórter policial, é convidado a participar da investigação de um crime passional: uma mulher morta por seu amante, um homem vinte anos mais jovem, que acabou tirando sua própria vida após cometer o assassinato.

Dois Perdidos numa Noite Suja (1970)

Dirigido por Braz Chediak

Elenco:

  • Emiliano Queiroz .... Tonho
  • Nelson Xavier .... Paco
  • Paulo Sacramento .... Banzo
  • Pepa Ruiz
  • Fernando José
  • Vanda Fritzlikaya
  • Romeu Vieira
  • Jota Diniz

Tonho e Paco vivem em um pardieiro e trabalham no mercado. Certa vez, Tonho se desentende com outro carregador, que o humilha, do que se aproveita Paco para ridicularizar o companheiro. Ao saber que Tonho tem um revólver, Paco propõe um assalto. Ante a recusa de Tonho, Paco mente-lhe sobre um acordo de conciliação que fizera com o carregador que havia humilhado o primeiro. Diante disso, Tonho acaba concordando. Os dois assaltam um casal, e na divisão do roubo Paco tenta enganar Tonho. Cansado de humilhações, Tonho empunha sua arma contra Paco. Este não se assusta, lembrando que falta munição. Tonho tira uma bala do bolso, carrega a arma e obriga Paco a bancar uma mulher. O desenlace destas vidas marginais será trágico.

Aleluia, Gretchen (1976)

Direção: Sylvio Back

Elenco:

Kate Hansen, Selma Egrei, Sérgio Hingst, Miriam Pires, Carlos Vereza, José Maria Santos, Lilian Lemmertz, Elizabeth Destefanis, Lourival Gipiella, Narciso Assumpção, Lauro Hanke, Lala Schneider, Maurício Távora, Sale Wolokita, Edson D’Ávila, Abílio Mota, Rafael Pacheco, Joel de Oliveira, Lúcio Weber, Irineu Adami.

Conta a saga de uma família que foge da Alemanha nazista por perseguição ao pai, o professor Ross, que é defensor da liberdade de opinião. Desembarcam no Sul do Brasil por volta de 1937 onde vive uma colônia alemã e adquirem um hotel com o dinheiro de Lotte, a mãe, que continua admiradora dos nazistas e permite que o filho volte para lutar do lado deles quando começa a Segunda Guerra Mundial. A filha mais velha, Heike, chegara grávida e abandonada pelo marido, um oficial da SS, e sofre de desequilíbrios mentais e traumas. Os novos proprietários são recepcionados por criados igualmente imigrantes (o filho Werner é líder da "juventude nazista" formada pela colônia alemã da região [1]) e adotam Repo, um ajudante negro sem família. Um dos hóspedes é Aurélio, um integralista e antigetulista que de imediato simpatiza com a família recém-chegada. Com a derrota dos nazistas na guerra, a família, os empregados alemães e Aurélio passam a sofrerem hostilidades e desconfianças da população e do governo local. Em 1955, chegam ao hotel refugiados alemães vindo da Argentina. Eurico, um caixeiro viajante provavelmente judeu que casara com outra filha de Lotte, Gudrun, acha que eles trouxeram ouro e tenta se aproveitar da situação.

Resultado de imagem para a agonia filme

Agonia - 1978 / Minhateca

Um filme de Júlio Bressane com Grande Otelo, Joel Barcellos, Maria Gladys, Sandra Pêra

 Cabelo cortado rente, um ramo de alecrim por trás da orelha, camisa amarela de cetim brilhante. Ele está ao volante de seu carro quando passa por uma mulher que caminha pela beira da estrada. Lábios fortemente pintados, vestido estampado de saia rodada e sapatos vermelhos combinando com a cor do batom, ela chama sua atenção. Ele lhe dá uma carona, os dois se encaram em silêncio por alguns momentos. Apresentam-se um ao outro e, entre os dois, se estabelece um diálogo absurdo e cheio de metáforas. E saem rodando de carro por recantos do Rio de Janeiro, ao som de Noel Rosa e Lamartine Babo. Eva e Antena - ela uma vidente, ele um assassino em fuga - iniciam um insólito caso de amor, onde o tédio muitas vezes cede lugar à tragédia, criando a agonia de um feriado passado num abismo.

Independência Ou Morte (1972) / Depositfiles

Dirigido por Carlos Coimbra

Elenco:

  • Tarcísio Meira .... Dom Pedro I
  • Glória Menezes .... Marquesa de Santos
  • Dionísio Azevedo .... José Bonifácio
  • Kate Hansen .... Imperatriz Leopoldina
  • Manuel de Nóbrega .... Dom João VI
  • Heloísa Helena .... Carlota Joaquina
  • Emiliano Queiroz .... Chalaça
  • Renato Restier
  • Anselmo Duarte
  • Jairo Arco e Flexa
  • Abílio Pereira de Almeida
  • Maria Cláudia .... Imperatriz Amélia de Leuchtenberg
  • Vanja Orico .... Baronesa de Goitacases
  • Francisco Di Franco
  • José Lewgoy
  • Macedo Neto
  • Carlos Imperial
  • Flora Geny
  • Edson França
  • Sérgio Hingst
  • Antonio Patiño
  • Rodolfo Arena
  • Lajar Muzuris
  • Victor Merinow
  • Clóvis Bornay
  • Lola Brah
  • Yves Hublet
  • Tarcísio Filho .... Dom Pedro I jovem
  • Monique Lafond
  • Rubens Ewald Filho

Uma visão heróica e quase mítica do processo que levou à emancipação política do Brasil em relação a Portugal.

O filme mostra o caso extraconjugal do príncipe/imperador com a Marquesa de Santos, mas com um tom romântico de amor impossível, sem mencionar outras aventuras, ao contrário do que seria mostrado na minissérie O quinto dos infernos, décadas depois.

Espaço Sagrado (1975)

Direção: Geraldo Sarno

O filme documenta o espaço sagrado de um candomblé típico do Recôncavo Baiano, com suas diferentes origens e sincretismos entre etnias africanas e indígenas; a casa de Exu e a comida sagrada, a camarinha, as ervas para fins rituais e os presentes para Iemanjá.

Resultado de imagem para O Poder da Mensagem (1975)

O Poder da Mensagem (1975)

Entrevista com Elis Regina 

JOELMA 23º ANDAR (1979)

Dirigido por Clery Cunha

ELENCO:

Beth Goulart - Lucimar
Liana Duval - Lucinda
Vilma Camargo
Ugo Canessa
Ed Carlos
Oswaldo Cirillo
Jesse James Costa
Henrique Verona Cristófani
Marly de Fátima
Valdemar de Lima
Ivo de Oliveira
Thiago Fabris
Paulo Farah
João Abraão Felício
Maria Ferreira
Márcia Fraga
Lilian Gonçalves
Castor Guerra
Ruy Leal
Landa Lopes
Carlos Marques
Paulo Mustafá
Antônio Pettan
Daniele Rodrigues
Lourenço Luís Sanches
Oricema Silveira
Malu Stein
Alvamar Taddei
Chico Xavier - Ele mesmo

A jovem Lucimar (Beth Goulart) e seu irmão Alfredo trabalham num dos escritórios do edifício, em São Paulo. No incêndio do Joelma, Lucimar morre e Alfredo escapa com vida. Dona Lucinda, a mãe de Lucimar, entra em depressão com a morte da filha. Aconselhada por amigos, ela procura o médium Chico Xavier, em busca de uma mensagem do outro mundo.

 

PURA COMO UM ANJO, SERÁ… VIRGEM? (1976) / Minhateca

Giovanni, que vive com a filha Márcia e o mordomo Aristóteles, em rica mansão balneária, costuma reunir amigos nos fins de semana. Com a chegada de um siciliano amigo de infância, Don Federico e a jovem esposa, Graziella, Giovanni convida casais amigos para uma festa: Genaro e Mara, Márcio e Sueli, Francesco e Gioconda, Giuseppe e Silvana, acompanhados do filho andrógino, Eduardo. Depois de um jantar típico à italiana, Giovanni propõe o jogo da troca das chaves, inicialmente recusado pelo siciliano conservador que, no entanto, termina cedendo. Para seu azar, ele é o único que fica de fora. A filha de Giovanni, Márcia, tenta seduzir Eduardo, no que é invariavelmente repelida. Até que, encontrando-o deitado ao sol num tapete, pede a Alá que faça o tapete voar. O pedido é atendido para horror do rapaz, compelido, afinal, a amar três vezes a moça que lhe entregou a pureza.

Direção: Raffaele Rossi. Elenco: Fred del Nero, Zaira Bueno, Guilherme Correa, Silvana Lopes, Eleu Salvador, Márcio Camargo, Ronny Cócegas, Cleide Viana, Mara Prado, Cavagnoli Neto, José Vedovato, Nestor Lima, Syllas Bueno, Vera Railda.

Resultado de imagem para O+VAMPIRO+DE+COPACABANA

Vera Setta

O Vampiro de Copacabana - 1976

Carlos (André Valli) e Suely (Ângela Valério) formam um casal comum. Porém, enquanto ele se envolve em inúmeras aventuras amorosas, ela vive para o marido, para o filho e para o lar. Carlos, que jamais se imaginou no papel do homem traído, acaba mal. Durante o carnaval, quando resolve sumir fantasiado de vampiro, Suely, magoada, segue o conselho de sua amiga Vera e também sai à procura de uma fantasia amorosa. Na Quarta-feira de Cinzas, o "vampiro" encontra sua mulher em casa, ainda vestida de odalisca e feliz.

Direção de Xavier de Oliveira

Elenco:

  • Ângela Valério… Sueli
  • Rossana Ghessa… Carmem
  • Miriam Pires… Esmeralda
  • Wilza Carla… Verônica
  • Otávio Augusto… Luiz
  • Rodolfo Arena… Motorista
  • Emiliano Queiroz
  • Denise Bandeira… Pirata
  • Kátia D'Angelo… Vera
  • Telma Reston
  • Vera Setta… Morena
  • Fábio Nercessian… Renatinho
  • Sandra Barsotti
  • Catalina Bonakie… Vizinha
  • Edyr de Castro… Babá
  • Fernando Reski… Ernesto
  • Norma Suely… Ivone 

PRESIDIO DE MULHERES VIOLENTADAS      Patrícia Scalvi in Presídio de Mulheres ViolentadasPatrícia Scalvi in Presídio de Mulheres ViolentadasPatrícia Scalvi in Presídio de Mulheres ViolentadasPatrícia Scalvi in Presídio de Mulheres Violentadas

Presídio de Mulheres Violentadas (1977) / Depositfiles

Dirigido por Luiz Castellini, Antonio Polo Galante

Elenco: 
Esmeralda Barros, (Nadir)
Meiry Vieira, (Rafaela)
Patrícia Scalvi, (Tininha)
Evelyn Erika, (Mercedes)
Zilda Mayo, (Joana)
Hugo Bidet, (Antunes)

Condenada injustamente pela morte de um guarda, durante um assalto, Tininha chega ao presídio feminino, sendo logo alvo de disputa entre Rafaela, diretora cruel e corrupta e Nadir, líder das detentas, que organiza um plano de fuga em massa. O projeto conta com o apoio de Ângela, vice-diretora que, auxiliada pelo amante Antunes, médico da casa, ambiciona ocupar o posto de Rafaela. A punição de Nadir, provocada por uma briga no refeitório, e a morte de Marilda, planejada por Ângela com a ajuda da louca Mercedes, ocasionam um motim no qual são massacradas duas presas, Mercedes e Marta. Tininha aproveita para fugir, sob as vistas de Rafaela, que tenta segui-la pulando um muro coberto de cacos de vidros, sofrendo uma hemorragia fatal. Com os acontecimentos, a fiscalização policial toma conhecimento do regime brutal que Rafaela exercia no presídio".

oclubedasinfieis #1

O CLUBE DAS INFIÉIS (1974) / Depositfiles / Minhateca

Elenco:

  • Kleber Afonso
  • Analy Alvarez
  • Carmem Angélica
  • Enoque Batista
  • Nice Beguet
  • Mário Bruni
  • Sebastião Campos
  • Cláudio Cunha
  • Liliana Cunha
  • Valéria D'Ellia
  • Célia Fróes
  • Sérgio Hingst
  • Iara Marques
  • Cila Monteiro
  • Aldine Müller
  • Célia Pozzi
  • Helena Ramos
  • Márcia Rosa
  • Marcos Rossi
  • Silas Sales
  • Lidu Siqueira
  • Tony Tornado

Luciene, recém chegada com o marido numa cidade do interior é convidada para fazer parte do clube das mulheres do local, apelidado de Clube das Infiéis. Para fazer parte do clube é necessário que a mulher tenha um amante, o que não está nos planos de Luciene. Tudo o que ela pretende é provocar a desconfiança no marido, Alberto, para que ele volte a ter interesse nela, e para isso inventa, com a ajuda de uma amiga, várias situações que dão a entender que ela tem mesmo um amante. Quando as mulheres do clube anunciam que darão uma festa para que seja revelado quem é o tal amante secreto, a situação passa a ficar complicada para Luciene.

Estréia de Cláudio Cunha na direção, esta comédia erótica, totalmente filmada em Campos do Jordão, teve como roteirista o escritor Marcos Rey, autor de Café na Cama, O Enterro da CafetinaMemórias de um Gigolô, entre outros.

O filme hoje em dia pode ser considerado bastante ingênuo, podendo ser exibido até numa Sessão da Tarde sem problema algum. Pensando bem, é capaz das crianças até o considerarem enfadonho demais!

Clube das Infiéis não é um bom filme, mas tem algumas qualidades que valem a pena ser destacadas.

Em primeiro lugar vêm os bons diálogos, que soam naturais na boca dos atores. O roteiro comporta uma crítica à hipocrisia da sociedade.

Algumas cenas são bem divertidas, como a de um cara que aparece pelado no meio de uma festa a rigor. Mas o mais engraçado é a própria participação do diretor como um radialista de voz grossa e sedutora.

Por outro lado cai no pior dos estereótipos na figura da empregada doméstica negra, abusada e de uniforme curtíssimo. Cláudio Cunha já demonstrava aqui o bom gosto nos enquadramentos, no encadeamento das cenas (montagem de Walter Wanny). Vejam, por exemplo, a seqüência mostrando as artimanhas das mulheres para traírem os maridos.

A bela paisagem de Campos do Jordão é muito bem utilizada (a fotografia é de Pio Zamuner). A produção demonstra capricho nos figurinos, penteados, maquiagem, direção de arte. E o elenco feminino é todo muito fotogênico, inclusive com a estréia no cinema de duas das maiores musas da Boca do Lixo: Helena Ramos e Aldine Muller.

Mas essas qualidades ficariam mais evidentes em dramas como Amada AmanteSábado AlucinanteO Gosto do Pecado e Profissão Mulher, que representam o melhor do seu cinema.

 Resultado de imagem para filme LUA DE MEL E AMENDOIMResultado de imagem para filme LUA DE MEL E AMENDOIMResultado de imagem para filme LUA DE MEL E AMENDOIM

LUA DE MEL E AMENDOIM (1971)

Elenco:

Episódio Lua de Mel e Amendoim

  • Rossana Ghessa - Márcia
  • Newton Prado - Alberto
  • Otelo Zeloni - Rodolfo
  • Consuelo Leandro - Assunta
  • Gilda Medeiros - Maria Augusta
  • Marina Freire - Dona Regina
  • Felipe Carone - Soares
  • Jairo Arco e Flexa - Alípio
  • Clodovil
  • Maria Alice - Sílvia
  • Homem de Melo - amigo
  • Zuzima - Eleonora Doren (sic)
  • Paulo Galvão
  • Fernando V. de Barros
  • Marlene França - atriz convidada
  • Ruthinéa de Moraes - atriz convidada

Episódio Berenice:

  • Carlo Mossy - Serginho
  • Renata Sorrah - Berenice
  • Vera Gimenez - Vera
  • Suely Fernandes - Maria Helena
  • Cláudia Ribeiro - Bárbara
  • Beatriz Lyra - Mãe
  • Lenoir Bittencourt - namorado
  • Galba Mello - amigo
  • Roderick Cavalcanti - amigo
  • Amando Tapler - gerente
  • Mário Panamá - amigo
  • Otto Aguiar - amigo
  • José Lewgoy - participação especial
  • Darlene Glória - participação especial
  • Ângelo Antonio - participação especial
  • Milito - participação especial

Uma comédia em dois episódios que mostram o estilo de ser do carioca e do paulista. No episódio "Lua de Mel e Amendoim', Alberto, um rapaz de tradicional família paulista e Márcia, filha de industriais italianos estão à beira do casamento e da lua de mel. No segundo episódio, "Berenice", um playboy de Copacabana coleciona calcinha de suas amantes, sustentado pela mãe, que vive cheia de amantes. Tudo muda na sua vida ao conhecer uma jovem chamada Berenice.

 

Parceiros da Aventura - 1979

Dirigido por: José Medeiros

Elenco:

  • Antônio Pompêo
  • Camila Amado
  • Cosme dos Santos
  • Eduardo Machado
  • Flávio Migliaccio Marcelo
  • Haroldo de Oliveira
  • Isabel Ribeiro
  • Jorge Coutinho
  • Louise Cardoso
  • Luiz Armando Queiroz
  • Marcus Vinícius
  • Maurício do Valle
  • Milton Gonçalves
  • Nildo Parente
  • Procópio Mariano
  • Reginaldo Faria
  • Rodolfo Arena
  • Stepan Nercessian
  • Wilson Grey
  • Zózimo Bulbul

Malandros cariocas que perambulam pela cidade realizando pequenas trapaças para sobreviver se junta a uma moça que é expert em roubar carros.Num boteco da Lapa, seis amigos se reúnem diariamente. O motorista Benê e o saxofonista Maestro procuram emprego. Ana Maria, uma prostituta, espera em vão um casamento. Vaselina e Fumaça só encontram trabalho no tráfico de tóxicos e o funcionário público Erva-Doce tenta provar sua inocência no desaparecimento de uns processos. A relação dos personagens fica cada vez mais forte com o decorrer das cenas. 

Resultado de imagem para Conversa com Cascudo (Walter Lima Jr 1977)

Conversa com Cascudo - 1977

Dirigido por: Walter Lima Jr.

O etnólogo e folclorista Luis da Câmara Cascudo surpreendido em seu cotidiano, junto à família e aos amigos, cercado do canto dos pássaros e dos objetos de estimação que colecionou, fala dos primórdios de sua carreira e de como se interessou pelas pesquisas folclóricas. Descreve o Bumba-meu-Boi, narra a história de um carreteiro-fantasma, disserta sobre a sua paixão pelo crepúsculo. As imagens visualizam tanto o dia-a-dia do escritor como documentam um grupo de Bumba-meu-boi, assinalam os hábitos alimentares que Cascudo estudou, detêm-se na narrativa da história do carreteiro e apreciam-no na sua diária contemplação do dia que morre e da noite que se inicia.

 

A Ilha dos Prazeres Proibidos (1979)

Diretor Carlos Reichenbach

Elenco:

  • Neide Ribeiro como Ana Medeiros
  • Roberto Miranda como Sérgio Lacerda
  • Meiry Vieira
  • Fernando Benini como Nilo Baleeiro
  • Zilda Mayo
  • Teca Klauss
  • Olindo Dias
  • José Maia Neto
  • Fátima Porto
  • Carlos Casan como William Solanas

O filme narra a história de Ana Medeiros, uma falsa jornalista que foi contratada por um órgão de extrema direita para eliminar dois pensadores considerados subversivos que vivem numa ilha. Usando como pretexto fazer uma reportagem com pessoas que têm a cabeça a prêmio, ela segue em direção à ilha paradisíaca, que é uma espécie de reduto da liberação sexual. 

 

Resultado de imagem para ascensão e queda de um paquera

Ascensão e Queda de Um Paquera - 1970

Alberto Lobo é um jovem inconsequente que mora em São Paulo e só pensa em "paquerar". Seu pai fica contrariado e o envia ao Rio de Janeiro, para que passe uns dias com o antigo amigo dele Dr. François, acadêmico, ginecologista e diretor de maternidade. François mora sozinho em seu apartamento respeitável com a empregada Doralina e Alberto se aproveita para levar mulheres e realizar festas barulhentas, envolvendo-o e a empregada em suas "armações" e brincadeiras. Durante suas paqueras, Alberto conhece na praia as "moças de família" Cláudia e Renata e as atrai para o apartamento dizendo ser um produtor teatral em busca de atrizes para uma peça. E que François é o diretor. Depois de muita confusão, Alberto percebe que se apaixonara por Cláudia mas a moça descobre suas mentiras e não quer mais nada com ele.

Dirigido por Victor di Mello

Elenco:

  • Cláudio Cavalcanti...Alberto Lobo
  • Mário Benvenutti...Dr. François Miranda
  • Dilma Lóes...Cláudia
  • Valentina Godoy...Doralina, a empregada
  • Henriqueta Brieba...Dona Chiquinha, avó de Cláudia
  • Urbano Lóes...Padre Mário
  • Kléber Santos...Juca, escritor teatral
  • Monique Lafond...Renata, amiga de Cláudia

 

Imagem

O Barão Otelo no Barato dos Bilhões (1971)

MEGA  SENHA PARA DESCOMPACTAR: cinecult

João Otelo dos Anzóis Carapuça (Grande Otelo), conhecido como João-Sem-Direção, é um homem pobre que equilibra seu trabalho em um posto de gasolina com diversos outros bicos, sendo até gândula do Maracanã. Tudo isso para sustentar três mulheres. Sua vida muda ao conhecer Carvalhais (Ivan Cândido), um industrial malandro que quer descobrir a forma infalível de ganhar na loteria. De repente, João se vê milionário e cai nas garras de Maria-Vai-Com-As-Outras (Dina Sfat), líder da alta sociedade, além de ser assediado por um trio sinistro (Wilson Grey, Hildergard Angel e Procópio Mariano), que representam a organização, o público e o mercado. Com sua vida virando de pernas pro ar, João logo vai perceber que só dinheiro não garante a felicidade.

Direção: Miguel Borges

ELENCO
Grande Otelo
Dina Sfat
Milton Moraes
Ivan Cândido
Pelé
Wilson Grey
Procópio Mariano
Rogério Fróes
Zilka Salaberry
Henriqueta Brieba
Hildegard Angel
Elke Maravilha
Tânia Caldas
Vera Manhães
Ana Maria Tornaghi

 

 

ImagemImagem

A Força de Xangô - 1977 / Mega

Um filme de Iberê Cavalcanti com Elke Maravilha, Zezé Motta

Baseado no conto Iaba, de Caribé.

Cansada de ser colocada de lado no namoro com o fanfarrão Tonho, a bela Zulmira pede ajuda aos seus santos para tirar do "amado" toda a sua alegria de viver. 

Resultado de imagem para O+Capitão+Bandeira+Contra+O+Dr.+Moura+Brasil

O Capitão Bandeira contra o Dr. Moura Brasil (1971)

Dirigido por Antônio Calmon

Elenco:

  • Cláudio Marzo... Capitão Bandeira
  • Norma Bengell... mensageira
  • Hugo Carvana... Dr. Gestaile
  • Suzana de Moraes... mulher do capitão
  • Dina Sfat... Irene
  • John Herbert
  • Wilson Grey
  • Roberto Maya
  • Paulo César Pereio
  • Otávio Augusto... advogado
  • Rose Lacreta
  • Luís Carlos Miele... médico
  • Billy Davis... motorista
  • Sérgio Oliva
  • Maria Gladys... Gladys
  • Vinícius Salvatori... Mata-Vaca
  • Jesus Pingo... ator
  • Daniela
  • Liége Monteiro
  • Sônia Braga

Esgotado física e psicologicamente, o mocinho Capitão Bandeira, que fizera um acordo mefistofélico com o invisível Dr. Moura Brasil, procura combater o vilão para sobreviver. Só o consegue na medida em que nega seu emprego de publicitário, resolve suas conquistas amorosas e foge para um aprazível lugarejo à beira-mar onde se realiza um filme.

Ele é um empresário riquíssimo, famoso, que tem tudo para ser feliz. No auge de sua carreira, resolve abandonar tudo, devido à perseguição movida pelo misterioso e temível Dr. Moura Brasil, que lhe envia, através de uma estranha mulher, avisos de suas intenções enigmáticas. Ele terá que cumprir um pacto secreto ou morrerá à beira de um esgotamento nervoso. Bandeira interna-se num hospital para se recuperar. O mistério, todavia, permanece. Bandeira, então, decide-se a enfrentar o problema e, tendo encontrado a mulher ideal, encontra-se a si mesmo, única forma de ser feliz. Agora, as terríveis investidas do Dr. Moura Brasil, contra o capitão Bandeira são rebatidas à altura.

Resultado de imagem para o porão das condenadas filme

O Porão das Condenadas - 1979

Direção: Francisco Cavalcanti

Marta deixa a casa dos pais para consumar um amor proibido e se casar com seu amante, um pequeno agricultor que é rejeitado pelos pais da moça. Determinados a trazer Marta de volta para casa, seus seis vingativos e perigosos irmãos saem no seu encalço, não parando de caçá-la até encontrarem a moça, cinco anos depois.

Marta não consegue proteger sua família e acreditando que até seu filho é morto na emboscada preparada por seus irmãos, não resiste à captura. Porém, Júlio, o filho, não morreu e jura vingança.

Elenco:

  • Lirio Bertelli
  • Francisco Cavalcanti
  • Joana de Oliveira
  • Sônia Garcia
  • João de Angelo
  • Maximino Garducci
  • Jean Garrett
  • Henrique Guedes
  • Ruy Leal
  • Noêmia Lemes
  • Marli Machado
  • João Paulo Ramalho (como João Paulo)
  • Iolanda Silva
  • Madalena Silva
  • Roney Wanderley

 

 Resultado de imagem para Brasil on report on torture

Brazil, a Report on Torture (Brasil: Um Relato de Tortura, 1971)

Dirigido por: Haskell Wexler, Saul Landau

Documentário raro que retrata o "Grupo dos 70", presos políticos da ditadura militar brasileira que foram libertados e exilados no Chile, em 1971. Nos depoimentos, eles revelam as humilhações e torturas sofridas nos porões da ditadura.

Ali Babá e os 40 Ladrões (1972)

Dirigido por Victor Lima

Ali Babá, na senda de Ali Babá representado no livro das Mil e Uma Noites, é interpretado por Renato Aragão, é um camarada folgado que vive à custa do irmão, vivido por Dedé Santana. A cunhada, não aguentando mais, manda Ali Babá embora. Agora, nas ruas, Ali Babá conhece a jovem Rosinha, uma ex-trapezista que ficou paralítica num acidente no circo. Ali Babá se apaixona por Rosinha e quer conseguir dinheiro para que a moça faça um tratamento e recupere sua saúde. De repente, Ali Babá descobre um depósito de mercadorias escondidas por 40 ladrões, onde há desde cigarros estrangeiros, uísque, aparelhos de rádio e televisão, muitas barras de ouros e muito, muito dinheiro falso.

Elenco:

  • Renato Aragão - Ali Babá
  • Dedé Santana - Cassim
  • Neila Tavares - Rosinha
  • Elza de Castro - Morgana
  • Luís Delfino - Dr. Ezequiel
  • Elisa Fernandes - Fátima
  • Wilson Grey - Chico
  • Angelo Antônio - Ziel
  • Tereza Teller - Sônia
  • Nelson Rauen - Beto
  • Kleber Drable - Seu Baltazar
  • Sérgio Cunha - Tavinho, o garoto
  • Fernando José - O Padre
  • Francisco Silva - O Delegado
  • Jece Valadão
  • Mariel Mariscot

Resultado de imagem para dama de branco filme 1978

A Dama de Branco - 1978 / Minhateca

Maurício, diplomata brasileiro morando no exterior há mais de cinco anos, vem de férias ao Rio de Janeiro e procura um antigo companheiro, Heitor, hoje um rico industrial. Ele lhe conta sobre o seu casamento frustrado com Marta, que o amigo não conhece. Maurício fica hospedado na antiga garçonière de Heitor. Marta, encontrando entre as coisas do marido um endereço, resolve ir até lá. Encontra Maurício e lhe diz que seu nome é Ana, que havia marcado um encontro ali com uma amiga, que não conhece seu marido. Os dois sentem-se mutuamente atraídos e passam a se encontrar com frequência.

Um filme de Mário Latini com Rubens de Falco, Márcia Latini, Rosana Martins, Milton Vilar.

Cabocla Tereza (1978)

Direção: Sebastião Pereira

Elenco: 
Zélia Martins, 
Sebastião Pereira, 
Carlito
Washington da Silva, (Ton-Ton)
Antonio Leme, 
Mathus Mathias, 
J. Alves, 
Adriano Silva, 
Francisco Tozzi, 
Silvio Zuim, (Dedé)
Norma Severo, 
Jaci Pinto, 
Alexandre Warnowski, 
Leopoldo J. V. Rosa, 
Bartolomeu Senha, 
Laerte Calicchio, 
Carlos Nassib, 
Nelson de Paula Teixeira, 
Mario Silva Lima, 
Raul C. Ruiz, 
Luiz Carlos da Silva, 
Maioral
Ator(es) Convidado(s): 
Chico Fumaça, 
Participação especial: 
Jofre Soares.

Cabocla Tereza, moça trigueira, cativava todos que a rodeavam, vivia só pelas plagas do sertão, com muitos admiradores à sua volta, nunca dando importância aos galanteios. Vivia sempre alegre, e dentre as suas amigas, era sempre a mais cortejada. Chico Mulato, órfão aos dez anos, saiu pelo mundo, e nas suas andanças conheceu um carreiro, rude, mas de coração mole. Passa o tempo e o carreiro morre, deixando seu carro e uma junta de bois para o rapaz, e sua vida passa a ser a boiada, com seus dois companheiros Chico Bento e Curió, caboclo cantador. Na currutela onde vivia Tereza, certo dia, Chico Mulato e seus companheiros chegam com uma boiada, depois da entrega vão para o botequim, onde travam conhecimento com Fumaça, caboclo bom, mas um tanto desajeitado e trapaceiro no jogo, que ao ser salvo de uma ferreiro forte que seria seu algoz, não fosse a pronta intervenção dos boiadeiros. Tornam-se amigos. Numa festa, Tereza e Pedro dançam, Chegam Chico Mulato e seus companheiros. Em um intervalo musical, uma das amigas de Tereza chama sua atenção para os insistentes olhares de Chico Mulato. Ambos daí em diante começam a se enamorar, o que é notado por Pedro, e o seu ódio exala pelos olhos. Tereza e Chico Mulato tornam-se noivos, mas Pedro insiste em demover Tereza da idéia do casamento, por ser Chico Mulato um boiadeiro, ao que ela dá pouca importância. Chico Mulato constrói um rancho, e nele passam a viver, depois de casados, onde, na ausência de Chico, Pedro vai visitar Tereza, sempre 'cutucando' a moça, que começa a pensar nas suas longas noites sozinha, sem que Chico cumprisse a promessa de deixar a boiada, sempre adiando, e assim se passa um ano. No aniversário de casamento, Chico Mulato diz ser sua última viagem, sem que isso venha a acontecer. Pedro, numa última investida, consegue convencer Tereza a ir com ele, pois já fazia um mês que Chico Mulato saíra com a boiada. No dia em que Tereza abandona o rancho, Chico Mulato chega ao anoitecer encontrando-o vazio e um bilhete. Cheio de ódio, Chico Mulato jura fazer vingança e sai à procura de Tereza. Chico encontra Tereza numa tapera, e não dando tempo a explicações, saca de uma garrucha, matando Tereza e Pedro. 

Resultado de imagem para andre a cara e coragem 

André, a Cara e a Coragem (1971) / Minhateca

Adolescente chega do interior para tentar vencer na cidade do Rio de Janeiro, mas enfrenta várias dificuldades, mora em pensão barata, torna-se gigolô e engravida uma operária.

Elenco:

  • Stepan Nercessian ... André
  • Ângela Valério ... Marly
  • Echio Reis ... Marujo
  • Antonio Patiño ... Guimarães
  • Elcy Andrade
  • Antônio Augusto
  • Alvim Barbosa
  • Dilberto da Silva
  • José De Freitas
  • Divaldo de Souza
  • Cid Fayão
  • João Gerônimo
  • José Guilherme
  • José Lube
  • Edil Magliari
  • Nelson Mariani
  • Ilva Niño
  • Edilson Oliveira
  • Pichin Plá
  • Maria Regina
  • Emiliano Ribeiro
  • Maria Rita
  • Manoel Santana
  • Eugênio Santos
  • Maria Luiza Splendore
  • Alcidia Tavares
  • Cirene Tostes

Dirigido por Xavier de Oliveira

Cassy Jones, o Magnífico Sedutor (1972)

Cassy Jones é paquerador contumaz, amado pelas mulheres, que começa a se sentir incomodado com o assédio e a perseguição feminina.

Dirigido por Luís Sérgio Person

Elenco:

  • Paulo José.... Cassy Jones
  • Sandra Bréa.... Clara
  • Sônia Clara.... Ingrid
  • Glauce Rocha.... Frida
  • Hugo Bidet.... Rouboult
  • Grande Otelo
  • Carlos Imperial
  • Gracinda Freire
  • Suzana Gonçalves
  • Nilson Condé
  • Henriqueta Brieba
  • Ilva Niño
  • Lenoir Bittencourt
  • Cláudio Ferreira
  • Mano Rodrigues
  • Tatiana Leskova

Resultado de imagem

O Amuleto de Ogum (1974)

Dirigido por Nélson Pereira dos Santos

Elenco:

  • Ney Santanna.... Gabriel
  • Anecy Rocha.... Eneida
  • Joffre Soares.... Severiano
  • Maria Ribeiro.... Maria
  • Emmanuel Cavalcanti
  • Jards Macalé.... Firmino
  • Ilya São Paulo
  • Luiz Carlos Braga
  • Olney São Paulo
  • Flávio São Thiago
  • Clóvis Scarpino
  • Antonio Carnera
  • José Carvalho
  • Washington Fernandes
  • Waldir Onofre
  • Erley José
  • Francisco Santos
  • José Marinho
  • Antônio Carlos de Souza Pereira
  • Russo

Violeiro cego conta (canta) a história de um menino cujo pai e irmão foram assassinados e que, a pedido da mãe, vai a um terreiro de umbanda para "fechar o corpo" (proteger-se pelos espíritos). Crescido, envolve-se com o crime e a contravenção na Baixada Fluminense, até que se envolve com amante do bicheiro e é jurado de morte — mas conta com a proteção do amuleto de Ogum.

Belinda dos Orixás na Praia dos Desejos (1979)

Dirigido por: Antonio Bonacin Thome

Elenco:

  • Clayton Silva
  • David Húngaro
  • Iara Stein
  • Marta Volpiani
  • Midori Tange
  • Nicole Puzzi
  • Noêmia Lemes
  • Novani Novakoski
  • Oasis Minniti
  • Pedro Cassador
  • Waldir Siebert
  • Walter Coletti

Uma inusitada mistura entre candomblé, sexo e crime. A história se desenrola a partir da chegada da jovem Belinda e suas amigas a um camping à beira-mar. Durante um passeio noturno, elas assistem a um ritual religioso, no qual o destino da moça é definitivamente marcado.

Contos Eroticos

Contos Eróticos - 1977 / DEPOSITFILES / Minhateca

 Composto por quatro estórias originalmente publicadas na revista Status.

Arroz e Feijão

Baseado em conto de Sérgio Toni, foi dirigido por Roberto Santos. Narra a história de um rapaz do interior que vai para São Paulo e acaba tendo envolvimento com a mulher de um caminhoneiro que lhe fornece comida.

As Três Virgens

Direção de Roberto Palmari, sobre conto de Yara Ramos Ribeiro. Retrata a decadência da aristocracia paulistana, ambientando uma jovem moça que mora num casarão com três velhas tias.

O Arremate

Dirigido por Eduardo Escorel, com base na história de Aécio Flávio Consolin, retrata a sociedade patriarcal rural, onde o proprietário da terra age também como dono de sua filha.

Vereda Tropical

Conto de Pedro Maia Soares, é dirigido por Joaquim Pedro de Andrade. Narra a preferência sexual do protagonista por melancias.

Este episódio foi objeto de pedido de censura, em julho de 1977, sendo considerada uma "aberração". O pedido é acolhido, e o órgão federal encarregado do veto libera somente a cena final do episódio, em que aparece o cantor Carlos Galhardo, sem qualquer associação com o restante do filme.

Após várias instâncias e recursos, finalmente o Departamento de Censura libera o filme sem os cortes desse episódio, em outubro de 1979, para um público maior que dezesseis anos, sob argumento de que “Absurdo se nos afigura o corte do episódio Vereda tropical, uma comédia quase escrachada, não tendo, em nenhum momento, preocupação de induzir o espectador a ter relações amorosas com uma melancia”.

Elenco:

  • Cristina Aché - (segmento "Vereda tropical")
  • Xandó Batista
  • Cláudio Cavalcanti - (segmento "Vereda tropical")
  • Paulo A. Costa
  • Lima Duarte - (segmento "O Arremate")
  • Beatriz O. Fanza
  • Joana Fomm - Joana (segmento "Arroz com feijão")
  • Carlos Galhardo - ele mesmo - (segmento "Vereda Tropical")
  • Garradinha
  • Castro Gonzaga - (segmento "O arremate")
  • David José - (segmento "Arroz com Feijão")
  • Lourdes Leal
  • Cássio R. Martins - (segmento "Arroz com Feijão")
  • Mirtes Mesquita
  • Dirce Militello
  • Paula Ribeiro - (segmento "As Três Virgens")
  • Eva Rodrigues - (segmento "As Três Virgens")
  • Maria Anita Shut
  • Carmem Silva - Tia Cotinha - (segmento "As Três Virgens")
  • Liza Vieira

[o que delicia[3].jpg]

Oh, que delícia de patrão (1974)

Para a nossa felicidade existe um negócio chamado Canal Brasil. 

Rodado em 1974, finzinho do sonho hippie que aqui no Brasil reverberou em camadas e meio de qualquer jeito, a desopilante comédia “Oh Que Delícia de Patrão” é uma daquelas pepitas que ainda merece maior atenção por parte da “crítica especializada”.

Dividido em dois episódios, o filme traz todos os clichês deste maravilhoso estilo das comédias setentistas. Provavelmente foi exibido no extinto e saudoso “Sala Especial”.

“As Loucuras do Patrão” conta a história do Dr.Felipe (Jorge Dória em atuação magistral) fazendo amor com sua secretária (Marta Moyano, falo mais dela lá embaixo), quando fica com o corpo todo paralisado. Marta, a secretária, liga para o irmão (Carlo Mossy, presença obrigatória neste tipo de comédia) e juntos procuram uma solução para o caso. Uma empresa estrangeira vai chegar em poucos dias para assinar um importante contrato e o patrão está “todo duro”. Assim lá vai o Mossy peregrinar pelas ruas, num Opala amarelo, a fim de achar um sósia que aceite o papel temporário de impostor.

Acham um mecânico tosco (o próprio Jorge Dória em atuação dupla) e obrigam o coitado a aceitar a trama. Obrigam o infeliz a tomar umas aulas de etiqueta: smoking, restaurante chique, boate e até o “Love’s Theme” do Barry White surge na trilha. O Jorge Dória é um trabalhador  humilde e não entende o porque de todos os mimos. Claro que tudo vai se encaminhando para uma grande confusão.

Como o patrão continua imóvel, a Marta vai fazer “uma massagem” no enrijecido chefe, para ver se ele volta ao estado normal , e é repreendido pelo irmão que diz que as massagens dela “não amolecem nada”. Só estes diálogos já valem o filme. Mas tem mais:

- O sósia-mecânico cansado em ter que vestir terno, sapato apertado e gravata (tudo para a tal reunião de negócios), aproveita a distração de todos e foge da mansão do patrão doente. Neste momento, três colegas de  oficina aparecem balançando um bilhete e aos berros gritam que ele acertou sozinho os treze pontos na loteca (lembram disso ?). Agora o mecânico é o mais novo milionário do país.

Com a notícia o Jorge Dória tira toda a roupa, fica  só de cueca e manda aquele gesto da banana para os confusos ex-patrões. Começa a tocar a música “Echoes” do Pink Floyd e na tela surge a palavra fim. Uma proeza !

O segundo epísódio, “Um Brinde ao Patrão”, traz o mesmo elenco do primeiro além da Zezé Macedo, Geórgia Quental e Sônia de Paula. Agora o Jorge Dória é o dono de uma revendedora de automóveis que morre de medo de sua esposa dominadora, ciumenta e meio louca. O que ele não sabe é que sua mulher está lhe traindo com seu melhor funcionário (Carlo Mossy com aquelas costeletas anos 1970).

Como o Dória não agüenta mais tanta confusão com a esposa, e já estava meio sufocado com tanta frescura, resolve não ser mais capacho da mulher e parte para o revide. Arquiteta uma inédita e mal ensaiada  “traição”. O alvo não poderia ser melhor: a atriz argentina Marta Moyano (não sabia desta ponte Brasil-Argentina no ramo da comédia...), loiríssima, na época com 23 anos, nariz arrebitado, magrinha, um espetáculo!

Bem, durante a tentaiva de sedução, o velho patrão  convence a gata a largar o antigo emprego para transforma-la na sua nova secretária. Ela vai, se envolve com o Mossy e desperta a fúria da mulher do chefe. Rola uns desencontros , cenas impagáveis de flagrante, nudez rápida, perseguições automobilísticas e tome, mais humor escrachado. Costurando tudo isso temos um Jorge Dória dirigindo uma Brasília vermelha, externas com o calçadão de Ipanema , mais Pink Floyd na trilha (o filme é 1974, “Dark Side of The Moon” era a bola da vez). Mas o que importa mesmo é a Marta Moyano de calça boca-de-sino não nos deixando nem piscar.

Sacou ? Um barato bicho !

Resultado de imagem para os monstros de babaloo

Os Monstros de Babaloo - 1970

Uma família imperfeita, e muitas vezes grotesca, habita uma pequena ilha metafórica chamada Babaloo, onde podem exercer o máximo de suas estranhas personalidades.

Direção: Elyseu Visconti

  • ELENCO: Helena Ignes, Wilza Carla, Zezé Macedo, Betty Faria, Tânia Scher, Badu, Kleber Santos, Jack de Castro, Dona Yolanda

Resultado de imagem para relatório de um homem casado filme

Relatório de Um Homem Casado (1974)

Carlos, advogado casado e bem-sucedido, com o incentivo do amigo João Silva, envolve-se com a cliente Norma. O temperamento imprevisível da amante o fascina e seduz. Após conturbada separação, Norma reaparece, exigindo que Carlos deixe a esposa. Torturado, ele segue os conselhos do amigo João, tentando substituí-la por outras mulheres.

Direção: Flávio Tambellini

ELENCO

Françoise Forton (Norma)
Néri Vitor (Carlos)
José Lewgoy (Dr. Francisco)
Otávio Augusto (João Silva)
Fábio Sabag (Cláudio)
Janet Chermont (Célia)
Betty Saddy (Sonia)
Paulo César Peréio (Médico)
Leila Cravo
Cláudia Fontenelle
Lícia Magno

Resultado de imagem para terra dos índios filme

Terra dos Índios - 1979

Documentário que retrata os povos indígenas remanescentes no Brasil, especialmente no estado do Mato Grosso do Sul. Em meio a problemas causados pela ocupação irregular das terras de reservas indígenas, essas populações lutam para preservar suas identidades culturais.

Um filme de Zelito Viana com Darcy Ribeiro, Marçal de Souza, Tzeremodzé Mário, Angelo Cretã

Os Mucker - 1978

No final do século XIX, no interior do Rio Grande do Sul, uma família de imigrantes alemães liderados por uma mulher (Jacobina) resolvem formar uma comunidade inspirada nas escrituras bíblicas, isolada das demais e autossuficiente. Os mucker eram um grupo socialmente isolado, que não bebia, não fumava e não usava dinheiro para as trocas comerciais. Eles encontraram no sectarismo e no fundamentalismo religioso uma resposta às condições de miserabilidade em que viviam. Jacobina era vista por seus seguidores como uma nova Jesus Cristo e passou a ser a porta-voz dos menos favorecidos. Logo, a comunidade dos Muckers começa a incomodar os católicos e protestantes da região, que os acusam de vários crimes, até que são massacrados por forças do governo.

Elenco:

  • Marlise Saueressig .... Jacobina Mentz
  • Paulo César Pereio
  • José Lewgoy .... juiz Abílio
  • Ricardo Hoepper .... Rudolf Sehn
  • Thelmo Lauro Muller .... delegado Splinder
  • Marcus Schmidt .... Wilhelm Golzer
  • Siguard Schinke .... pastor Klein
  • Vitali Bachtin .... Robinson
  • Elena Hill .... mãe de Jacobina
  • Slavia Haag .... a capataz
  • Tito Livio .... prefeito
  • Arti Hugenthobler .... Hannes Sehn

Direção: Jorge Bodanzky, Wolf Gauer

Soledade - A Bagaceira - 1976

Elenco:

  • Carlos Kroeber
  • Emmanuel Cavalcanti
  • Jofre Soares
  • José Marinho
  • Maria Ribeiro
  • Maurício do Valle
  • Nautília Mendonça
  • Nelson Xavier
  • Ney Santanna
  • Rejane Medeiros
  • Roberto Bonfim
  • Rosa Maria Penna
  • Sávio Rolim
  • Waldemar Solha

Dirigido por: Paulo Thiago

Engenho é modernizado pelo filho do senhor, que passa a sofrer represálias do pai. O rapaz vai estudar na capital e, com a morte do governador João Pessoa, volta para o engenho e sua amada, Soledade, para implantar a revolução nos canaviais.

CHUVAS DE VERÃO (1977)

Dirigido por Cacá Diegues

Os jornais do Rio de Janeiro trazem manchetes sobre a perseguição policial ao bandido Lacraia e ao sequestrador desconhecido de uma pequena menina, enquanto o funcionário público Afonso inicia a sua aposentadoria. Com setenta anos e morador do subúrbio carioca, Afonso só pensa em ficar de pijamas o dia todo. Enquanto os amigos e familiares faziam uma festa para ele pela sua aposentadoria, Afonso descobre que Lacraia é namorado de sua empregada Lurdinha e que ela o escondeu num quarto da casa dele. Ele não gosta disso mas passa a evitar que os vizinhos e principalmente o amigo e esperto malandro Juraci descubram sobre o casal e o entregue à polícia. Também se envolve com os problemas da filha e dos amigos e começa uma relação de amizade, amor e respeito com a vizinha Isaura.

Elenco:

  • Jofre Soares.... Afonso
  • Miriam Pires.... Isaura
  • Paulo César Pereio...Juraci
  • Rodolfo Arena.... Lourenço
  • Daniel Filho.... Geraldinho
  • Marieta Severo.... Dodora
  • Sady Cabral.... Abelardo
  • Lourdes Mayer...Dona Helô
  • Gracinda Freire...Judith
  • Cristina Aché.... Lurdinha
  • Luís Antonio...Honório, o Lacraia
  • Roberto Bonfim...Delegado
  • Emmanuel Cavalcanti...Cardoso
  • Jorge Coutinho...Sanhaço
  • Carlos Gregório...Paulinho
  • Procópio Mariano...chófer de táxi
  • Zaira Zambelli...moça da repartição
  • Regina Casé...moça da repartição

Resultado de imagem para em busca do susexo filme

Em Busca do Susexo (1970)

Zelinda (Eulina Rosa) é uma moça pura que foi criada com muita rigidez e sacrifício por sua mãe, Helena (Berta Loran). Aos 20 anos, Zelinda trabalha como dançarina num programa de TV. Sempre acompanhada da mãe, preocupada em manter a virgindade da filha, símbolo de sua dedicação à menina, Zelinda encanta sr. Borges (Cláudio Marzo), seu chefe e funcionário muito influente na emissora. A moça reclama ao chefe por ainda receber como figurante sendo que já é dançarina. Borges lhe garante um novo contrato. Quando d. Helena toma conhecimento da promoção da filha, convida Borges para um jantar em sua casa, durante o qual Zelinda o seduz, seguindo orientações da mãe que faz o homem prometer um papel para a filha numa telenovela. Com a promessa, d. Helena permite que a filha passeie a sós no carro do chefe, em que o casal se beija. Zelinda é escalada para a novela e outros programas gravados em São Paulo. A mãe acompanha a viagem da moça, para infelicidade de Borges. Helena passa a oferecer a virgindade da filha em troca de um apartamento, um carro e um bom contrato. Borges não cai no golpe da velha. Zelinda fica grávida, misteriosamente sem perder a virgindade, e diz à mãe que prefere deixar de ser virgem de maneira tradicional. As duas procuram Borges, explicam a situação e lhe oferecem a virgindade sem pedir nada em troca. Borges leva Zelinda para Cabo Frio. O médico que diagnosticara a gravidez de Zelinda descobre que por engano trocara o exame, liga para d. Helena e comunica que a moça não está grávida. A mãe, desesperada tenta completar ligações para Cabo Frio, porém só consegue falar com a filha após o ato consumado...

Elenco:

  • Cláudio Marzo - Borges
  • Eulina Rosa ... Zelinda
  • Berta Loran .... Dona Helena
  • Flávio Migliaccio
  • Silvio Lamenha
  • Moacyr Deriquém

Dirigido por Roberto Pires 

Resultado de imagem para MAR+DE+ROSAS 1978

Mar de Rosas - 1978

 

Elenco Original
Ator Papel
Norma Bengell Felicidade
Cristina Pereira Betinha
Hugo Carvana Sérgio
Miriam Muniz Dona Niobi
Otávio Augusto Orlando Barde
Ary Fontoura Dr. Dirceu
Maria Silva Mulher no Trem

Dirigido por Ana Carolina

Chegando ao Rio de carro, Sérgio (Hugo Carvana) e Felicidade (Norma Bengell), em companhia da filha adolescente, Betinha (Cristina Pereira), discutem sobre o impasse de sua vida matrimonial. Num hotel, Felicidade tenta matar o marido, agredindo-o com uma navalha. Convencida de que Sérgio está morto, foge com a filha de volta a São Paulo e nota que está sendo seguida na estrada. trata-se de Orlando Barde, capanga de Sérgio, que, aproveitando-se de uma tentativa de agressão de Betinha contra sua mãe, insinua-se junto às duas e as mantém sob vigilância, disfarçada de ajuda. Os três retornam ao Rio no carro de Orlando, mas, quando passam por uma cidade pequena, Felicidade tenta fugir com Betinha e quase é atropelada por uma caminhão. O incidente faz com que um entediado casal - o dentista e poeta fracassado Dirceu (Ary Fontoura) e sua mulher Niobi (Miriam Muniz) - acolha-os em sua casa, até Felicidade se recupere. Num jogo de revelações e agressões mútuas, os cinco personagens tentam se destruir com palavras e até mesmo com atos. Depois de nova tentativa de fuga, Felicidade e Betinha são alcançadas por Barde na estação ferroviária. Betinha, revoltada contra a tirania familiar, de cujo centro de decisões sempre esteve ausente, atira a mãe e Barde, substituto do pai, para fora do trem em movimento, seguindo sozinha.

Resultado de imagem para gordos e magros filme 1977

Gordos e Magros - 1977

Depois de uma jornada hedonista, Carlos, o gordo, volta bêbado para a mansão de seus pais, e cria uma confusão na festa que acontecia por lá. Fugindo de casa, ele conhece o faquir Sakhan, e decide torná-lo recordista mundial da fome, mas as coisas não andam muito bem, pois Carlos, no desfile de apresentação de Sakhan, faz um discurso em favor dos gordos e é sonoramente vaiado. Carlos, Sakhan e Benedito, o empresário do faquir, vão para a casa do gordo, e encontram a empregada Das Graças, com quem Benedito troca carícias amorosas, enquanto Carlos e Sakhan conversam sobra suas angústias existenciais.

Dirigido por Mario Carneiro

Elenco:

  • Roberto Bonfim
  • Sérgio Britto
  • Tônia Carrero
  • Hugo Carvana
  • Manfredo Colassanti
  • Jarbas Cumé-que-pode
  • Maria Lúcia Dahl
  • Carlos Alberto de Souza Barros
  • Edgard Dias
  • Vera Maria Domingues
  • Wilson Grey
  • Carlos Kroeber
  • Zezé Macedo
  • José Marinho
  • Judy Muller
  • José Napoleão
  • Paschoal
  • Paulo César Peréio
  • Luiz Rosemberg Filho
  • Regina Sanz
  • Paulo Cesar Saraceni
  • Maria Sílvia
  • Antônio Victor
  • Nelson Xavier

Resultado de imagem para jogo da vida filme lima duarte

O Jogo da Vida - 1977

Dirigido por Maurice Capovilla

Elenco:

  • Lima Duarte...Malagueta
  • Gianfrancesco Guarnieri...Perus
  • Maurício do Valle...Bacanaço
  • Jofre Soares...Lima (participação especial)
  • Myrian Muniz...Tonica (participação especial)
  • Martha Overbeck...Adélia (participação especial)
  • Maria Alves...Mulher de Bacanaço
  • Antônio Petrin...Silveirinha
  • Emmanuel Cavalcanti
  • Fernando Bezerra
  • Thaia Peres
  • Oswaldo Campozana
  • Maria Vasco
  • Cavagnoli Neto
  • Wanda Marchetti
  • Edson Santos

O trio de amigos desajustados, Malagueta, Perus e Bacanaço, vagueia pela noite paulistana em busca de ganhar dinheiro com apostas e trapaças envolvendo jogos de sinuca. Nos intervalos da jornada dos amigos, flashbacks mostram trechos do passado recente de cada um deles: Malagueta é sem-teto depois que seu barraco foi derrubado por ordem judicial, Perus (chamado assim por morar na cidade homônima), se desentende frequentemente com a esposa por estar insatisfeito com o trabalho de operário numa fábrica de cimento e com o local onde mora, e Bacanaço é visto explorando mulheres, fugindo de um tiroteio com a policia e sendo preso por atuar no jogo do bicho.

Resultado de imagem para cordélia cordélia filme

Cordélia, Cordélia... - 1971

Dirigido por: Rodolfo Nanni

Elenco:

  • Aparecida de Paula
  • Célia Helena Pregadora
  • Célia Padilha
  • Dora Cilento
  • Durval Tercius
  • Francisco Di Franco Leônidas
  • Heron Domingues
  • Ivone Dabrius
  • Joe Kantor Gordon
  • Júlia Lemmertz Cordélia criança
  • Lilian Lemmertz Cordélia
  • Lúcio Kodato
  • Miguel di Pietro Rico
  • Nadir Fernandes
  • Oscar Cabrera
  • Pedro Nanni
  • Pedro Paulo Hatheyer Marcos
  • Rodolfo Nanni
  • Selma Egrei
  • Wesley Duke Lee Otto

Uma mulher de 28 anos, ilhada entre quatro homens, é posta repentinamente ante uma sistemática de vida nunca desejada. As situações vão se desencadeando sob uma perplexidade passiva de Cordélia, que vê sua vida desfolhar, sem que ela mesma perceba a profundidade das situações que a absorvem com a dinâmica de uma vertigem. O marido Leônidas, personalidade sonhadora e dispersiva, é a principal alavanca dos acontecimentos que se precipitam. Ao mesmo tempo em que Cordélia transige em sua vida efêmera, Leônidas se lança numa espécie de aventura política, sem perceberem ambos que suas vidas estão num processo de autodestruição e apoiadas em bases extremamente frágeis.

O Homem de Papel (1976)

O repórter policial Carlos envolve-se em tráfico de armas para fazer uma reportagem que lhe aumentasse a fama. Nessa busca, despreza a noiva e se envolve com uma mulher perigosa.

Rodado inteiramente em Fortaleza, trama tem perseguições de carros, assassinatos e lutas.

Dirigido por Carlos Coimbra

Elenco:

  • Milton Moraes .... Carlos
  • Vera Gimenez .... Renata
  • Ziembinski .... Rivoni
  • José Lewgoy .... Raul
  • Teresa Sodré .... Marília
  • Jece Valadão .... Jece
  • Ezaclir Aragão .... Paulo
  • Esdras Guimarães .... Castelo
  • Eduardo Rodrigues .... Jeovah
  • Stael de Almeida .... Alfredo
  • Oliveira Filho .... Leonel
  • Francisco Arruda .... Novaes
  • José Raimundo Gondim
  • Ricardo Guilherme
  • Flávio Cavalcanti

Resultado de imagem para diamante bruto filme

Diamante Bruto - 1977

Lençóis é uma pequena cidade na Chapada Diamantina, no estado da Bahia, devastada após a decadência do garimpo de diamantes. A miséria dos garimpeiros é o comando da vida no local. Após vinte anos de sua partida, volta à cidade o astro de TV José de Castro, e reencontra Bugrinha, seu amor de infância. Além da paixão vivida com Bugrinha, José mantém encontros amorosos com Rita, mulher do matador Tibúrcio, e acaba por se envolver com os problemas da desvalida população.

Dirigido por: Orlando Senna

Elenco:

  • Conceição Senna Rita
  • Gilda Ferreira Bugrinha
  • José Wilker José de Castro
  • Raimundo Nonato
  • Wilson Mello

 

Resultado de imagem para a carne 1975

A Carne (1975)

Um drama baseado no romance do naturalista Júlio Ribeiro. Lenita, a personagem central, se vê órfã e solteira, em um período onde ser como ela é perigosa, pela tamanha dependência das mulheres ao sexo masculino. Cheia de si e já com 22 anos, não sabe entretanto lidar com os fatos da vida. Vai, então, morar com um velho fazendeiro que criou o seu pai e, ali, conhece o filho dele, Manuel, começando um ardente romance.

Dirigido por J. Marreco

Elenco:

  • Selma Egrei
  • Newton Prado
  • Geraldo Del Rey
  • Geraldo Decourt
  • Jonas Mello
  • Liza Vieira
  • Neuza Borges
  • Kleber Afonso
  • Benê Silva

 

KUNG FU CONTRA AS BONECAS (1975)

MEGA Parte01 / Parte02 SENHA: teladecinema_blog

Direção de Adriano Stuart

Elenco:

  • Antônio Livino Filho
  • Dionísio Azevedo
  • Maurício do Valle
  • Nadir Fernandes
  • Luely Figueiró
  • Edgard Franco
  • Célia Froes
  • David Neto
  • Armando Paschoallin
  • Helena Ramos
  • Fábio Rocha
  • Adriano Stuart
  • Walter Stuart
  • Lucimar Vilar

Chang, um mestiço de chinês com pernambucana, descobre que seu pai e irmã foram assassinados pelo cangaceiro Azulão.Chang se junta com Maria, lutadora de capoeira, para vingar-se, ocorrendo várias lutas com golpes de kung fu, karatê e capoeira. Conseguindo assim arrasar com Azulão e seu bando. Chang parte para o desconhecido… 

Resultado de imagem para damas do prazer

DAMAS DO PRAZER (1979) / MEGA / DEPOSITFILES

No baixo mundo da Boca do Lixo, em São Paulo, um grupo heterogêneo de prostitutas faz de um beco o ponto de encontro e aliciamento de fregueses. São mulheres que se vendem a homens de todas as classes, cercadas de bêbados, viciados, bandidos, traficantes e proxenetas. Juntas formam uma galeria de personagens unidas pela aflição e o desengano, em que se destacam: Cora, mulher idosa que trabalha para sustentar um filho paralítico; Beth, espécie de líder, que se prostituiu ainda cedo, após fugir de sua pequena cidade no interior; Sônia, a mais inteligente do grupo, que se deixa explorar por um rufião; Brigite, filha de operários; e Vera, uma novata que se inicia na profissão. Ao drama dessas mulheres, junta-se o de muitas outras, que se entregam diariamente a fregueses alheios a sua sorte

Direção de Antônio Meliande

Elenco:

Irene Stefânia

Bárbara Fazio

Sueli Aoki

Nicole Puzzi

Paulo Hesse

Nadia Destro

Francisco Curcio

Adriana Tasca

Genésio de Carvalho

Áurea Campos

Cavagnole Neto

Fátima Porto

Miriam Rodrigues

Olindo Dias

Tim Carlos

Luis Mewes

 

AS CANGACEIRAS ERÓTICAS (1974) / Minhateca

Dirigido por Roberto Mauro

Elenco:

  • Jofre Soares...Toneco
  • Enoque Batista...Cornélio Sabiá
  • Sérgio Hingst...Delegado (participação especial)
  • Marcos Miranda...Paulo Pastor
  • Marcos Rossi
  • Letácio Camargo...Padre Lara
  • Jeová Amaral...jornalista
  • Osvaldo Avila...coronel Demerval
  • Oasis Minniti
  • Marcus Vinícius...noivo
  • Laura Jane...noiva

Cangaceiras:

  • Sônia Garcia
  • Helena Ramos
  • Urbana da Costa
  • Ariane Arantes
  • Angélica de Araújo
  • Sônia Lírio
  • Dalva dos Santos
  • Matilde Mastrangi

Um bando de cangaceiros está acoitado numa fazenda quando é atacado pela volante, graças à traição de outro cangaceiro, Cornélio Sabiá. O capitão do bando é assassinado. Um dos mais leais companheiros do cangaceiro traído, Toneco, consegue fugir levando as duas filhas do capitão e entregando-as ao orfanato do Padre Lara. Passam-se dez anos. O cangaceiro Cornélio Sabiá aterroriza o sertão com seus crimes, enquanto Toneco procura descobrir quem traiu seu chefe e amigo, acabando por ingressar no bando de Cornélio Sabiá. Este fica sabendo que as filhas do capitão estão internadas no orfanato do Padre Lara e são duas lindas moças, ao mesmo tempo em que Toneco descobre o autor da traição ao seu chefe. Cornélio resolve atacar o orfanato e, não encontrando as moças, mata o Padre Lara e uma freira. As moças decidem vingar as vítimas, e depois de intenso treinamento, vão para o sertão. Encontram Toneco ferido. Este, antes de morrer, revela que Cornélio Sabiá fora o traidor de seu pai. Elas partem para a vingança utilizando-se de sua maior arma: o sexo.

Resultado de imagem para A Ilha das Cangaceiras Virgens (1976) 

A Ilha das Cangaceiras Virgens (1976)

Depois das maldades perpetradas por Ferreirão e seus cangaceiros contra os hóspedes do hotel do qual eram proprietárias, um grupo de moças passa a treinar o uso de armas e de técnicas de defesa pessoal, para se defender do malfeitor. Autorizadas pelo delegado do local a agir em nome da lei, elas se vestem de cangaceiras, e saem à caça de Ferreirão e seu bando.

 Direção: Roberto Mauro

ELENCO
Carlos Imperial, Helena Ramos, Aldine Müller, Carmen Angélica, Cinira Camargo, Wilza Carla
José Paulo (Delegado)
José Barros (Lugar-tenente)
Jo (Margarido)
Índio "telecatch" Paraguaio (Informante)
Malu Guizard
Sônia Vieira 

 

O Rei e os Trapalhões.jpg

O Rei e os Trapalhões (1979)

Dirigido por Adriano Stuart

Elenco:

  • Renato Aragão .... Abdul
  • Mussum .... Abol
  • Dedé Santana .... Abel
  • Zacarias .... Abil
  • Mário Cardoso .... Rei Amad
  • Carlos Kurt .... Jafar
  • Heloísa Millet .... Princesa Alina
  • Felipe Levy .... Sultão
  • Myriam Thereza .... Aia, a dama de honra de Alina
  • Tony Vermont .... Gênio da Garrafa
  • Dino Santana .... Guarda real
  • Edson Farias
  • Ubirajara Gama
  • Amauri Guarilha
  • Roberto Lee
  • Hélio Oliveira
  • Waldir Pedro
  • Dalmo Peres
  • Hélio Ribeiro

Numa cidade do Oriente, o trono do jovem rei Amad é usurpado pelo malvado Vizir Jafar. O rei vai preso e, na cadeia, conhece então os famosos ladrões do reino: Abdul, Abel, Abol e Abil.

Com a ajuda destes ladrões, o rei foge e, durante a fuga, conhece a princesa Alina, pela qual se apaixona ardentemente. O Vizir possui poderes mágicos, enfrentados pelos heróis com a ajuda do gênio de uma lâmpada encontrada por Abdul.

Com a ajuda do gênio, os quatro amigos são transportados para o século XX, onde provocam muita confusão e acabam sendo presos.

 

Resultado de imagem para jardim das espumas

O Jardim das Espumas - 1970

Em um mundo distópico onde os planetas são separados em pobres e ricos, um corpo celeste extremamente pobre recebe a visita de um emissário dos planetas ricos dispoto a negociar. Antes de encontrar o governante do local, esse emissário é sequestrado por uma facção contra o sistema e o que é dito oficialmente. Ao descobrir a realidade do local, o emissário entende que não poderia fomentar ali o mito que ia desenvolver.

 Um filme de Luiz Rosemberg Filho com Ecchio Reis, Labanca, Grecia Vanicori, Nildo Parente 

 

Resultado de imagem para vestido de noiva nathalia timberg filme

VESTIDO DE NOIVA (1974)

Baseado em peça homônima de Nelson Rodrigues e dirigido por Antunes Filho, foi exibido na Tv Cultura em 1974 , dentro do programa "Teatro Dois", no formato de teledramaturgia, ou teleteatro. Com atuações de Lílian Lemmertz, Nathália Timberg e Edwin Luisi.

A peça, encenada pela primeira vez em 1943, conta a história de Alaíde, que é atropelada. Enquanto é operada, relembra o conflito com sua irmã, de quem roubou o namorado, e imagina seu encontro com uma cafetina.  

 

DELÍRIOS DE UM ANORMAL (1978) Minhateca

DIREÇÃO: José Mojica Marins

Elenco: 
José Mojica Marins / Zé do Caixão 
Jorge Peres … Dr. Hamilton 
Magna Miller … Tânia, esposa do Dr.Hámilton  
Jaime Cortez 
Natalina Barbosa 
Lirio Bertelli 
Alexa Brandwira 
Andreia Bryan 
João da Cruz 
Anadir Goe 
Elza Perreira 
João Paulo Ramalho … Zé do Caixão (voz) 
Valter Setembro

Um brilhante psiquiatra é aterrorizado por pesadelos nos quais Zé do Caixão tenta roubar sua esposa, escolhendo-a como aquela que irá gerar seu filho perfeito. Desorientados, seus colegas médicos decidem buscar ajuda com o cineasta José Mojica Marins, que tenta fazer o psiquiatra compreender que Zé do Caixão não passa de uma simples criação de sua mente. Usurpado de seu direito de criar e mostrar ao público sua arte por mais de dez anos de sistemática perseguição pela Censura Federal. Mojica decidiu compilar as cenas mais chocantes de seus melhores filmes, para narrar esta história alucinante, através do “restos dos meus próprios restos” – nas palavras do próprio diretor. Mas, o filme não se resume a uma simples colagem, a brilhante edição de Nilcemar Leyart remonta cenas famosas e lhes dá um novo significado. Um trabalho minucioso e artesanal merecidamente reconhecido.

 

Tangarela, a Tanga de Cristal - 1976 / Minhateca

Viúva ambiciosa e mãe de três filhas, resolver reassumir seu lugar na sociedade, perdido com a creise financeira depois da morte do marido. Casa com o viúvo Tangarela, que desaparece deixando uma filha, Sandra. Desesperada exige que uma das meninas arrume um marido milionário. Sandra encontra um em uma festa, mas foge deixando com ele sua tanga. O rapaz procura por toda a cidade a dona da tanga, sua cinderela.

Dirigido por: Lula Campelo Torres

Elenco:

  • Alcione Mazzeo Sandra
  • Aloysio De Oliveira
  • Flávio Moreira da Costa
  • Jardel Filho Lúcio Tangarella
  • Jô Soares Erasmo
  • Lídia Mattos Luisa Maria
  • Marie Claude
  • Paulo Coelho Avelar

Resultado de imagem para filme o flagrante 1976

O Flagrante (1976)

Dirigido por: Reginaldo Faria

Elenco:

  • Adele Fátima
  • Antonio Pedro
  • Carlos Eduardo Dolabella
  • Cláudio Marzo
  • Flávio São Tiago
  • Grande Otelo
  • José Lewgoy
  • Maria Cláudia
  • Reginaldo Faria

É a história de um grupo de cinco amigos cariocas machistas, que dividem uma garçonnière. Eles vivem sossegadamente suas aventuras extra-conjugais, até que Marlene, esposa de Paulão, o mais sensível deles, resolve retribuir na mesma moeda. Os amigos se reúnem e preparam um flagrante do adultério de Marlene.  

O Caso Cláudia (1979)

Dirigido por Miguel Borges

Elenco:

  • Nuno Leal Maia
  • Kátia D'Ângelo .... Flávia
  • Jonas Bloch .... Pierre Dorf
  • Luiz Armando Queiroz .... Luís Francisco Mansur
  • Roberto Bonfim .... Guerra
  • Carlos Eduardo Dolabella .... Seixas
  • Lilian Staavik .... Cláudia
  • Zilda Mayo ... Mulher de Seixas
  • Cláudio Corrêa e Castro .... Otto Dorf
  • Reinaldo Gonzaga .... Caminhoneiro
  • Rogério Fróes .... pai de Flávia
  • Sônia Oiticica .... mãe de Flávia
  • Jorge Cherques .... traficante
  • Hildegard Angel .... Doutora
  • Moacyr Deriquém .... Di Carlo
  • Carlos Alberto Souza Barros
  • Eliana Dutra
  • Vinícius Salvatori
  • Hamilton Sbarra
  • Maria Lúcia Schimidt
  • Paulo Neves
  • Carlos Branco
  • Sebastião Pimentel
  • Mariano Antero
  • Aldo Frei
  • José Além Filho
  • Nelson Moura
  • Celso Farias
  • Waldir Onofre .... Ceará
  • Zélia Diniz
  • Newton Couto
  • Procópio Mariano .... Colega de cela de Mansur
  • Catalina Bonaky .... avó de Flávia
  • Leonides Bayer
  • Fernando José .... Sevilho

De seu barraco na Avenida Niemeyer, o operário Ceará vê dois homens, que chegam em um automóvel, jogarem um volume nas pedras. Informado pelo noticiário de que o corpo de uma jovem foi encontrado no local, telefona sem se identificar para uma estação de rádio, fornecendo o número da placa do carro.

Na delegacia, o detetive Guerra constata pertencer o carro à imobiliaria de Pierre Dorf, filho de Otto Dorf, figuras da alta sociedade carioca. De posse desses dados, procura Seixas, um amigo repórter. Impedidos de levar adiante a apuração do fato, passam a fazê-lo à revelia de seus superiores.

Obstinados, chegam ao esclarecimento completo do caso. Seixas publica uma reportagem onde relaciona a morte da garota com uma quadrilha de traficantes de drogas. Seixas é ameaçado de demissão do jornal e o detetive afastado do caso. Ao verem seus nomes implicados com o crime, Pierre e seu amigo Mansur contratam um advogado. Pierre foge do país e Mansur é preso.

ROBERTO CARLOS À 300 KM POR HORA (1971)

No filme “Roberto Carlos a 300 Km/h” o rei vive o mecânico Lalo,e trabalha numa revendedora de carros ( Chrysler Ibirapuera ). Ele quer ser piloto de automobilismo, sonho que divide com seu melhor amigo, Pedro Navalha, vivido por Erasmo Carlos. Lalo alimenta ainda outra paixão: conquistar Luciana (Libânia Almeida), a namorada do patrão Rodolfo interpretado por Raul Cortez. O patrão é um piloto que não consegue mais correr desde que um acidente o deixou traumatizado. Ele decide voltar a correr na Copa Brasil e para isso financia a construção de um protótipo; o Avallone Chrysler. Mas depois dos primeiros treinos, percebe que não se livrou do trauma, briga com a namorada e vai para a Europa. Com a desistência de Rodolfo, Pedro planeja fazer com que Lalo corra no lugar dele em Interlagos. Com a ajuda de Luigi (Flavio Migliaccio), motorista de um caminhão, Lalo e Pedro levam o carro a Interlagos para treinar, até que chega o dia da corrida e o mecânico aparece no autódromo fingindo ser Rodolfo. Em plena corrida, a trama é descoberta, mas Lalo realiza uma "performance" sensacional e tem reconhecida a sua vitória. 

 Diretor: Roberto Farias

Elenco:
Roberto Carlos (Lalo)
Erasmo Carlos (Pedro Navalha)
Raul Cortez (Rodolfo)
Mario Benvenutti (Alfredo)
Libânia de Almeida (Luciana)
Maria Cristina Martinez (Neusa)
Flávio Migliaccio (Luigi)
Otelo Zelloni (Mané)
Reginaldo Farias (Playboy)
Walter Forster (Dirigente da prova)
Jorberte dos Santos (locutor)
Antônio Carlos Avallone (piloto "italiano")
José Renato Catapani (piloto "inglês")
Olga Mary Hanada
Cacilfa Rita de Jesus
Beatriz Assumpção
Rina Ostasevic
Zélia Borges
Rita Olívia Veloso
Wanda Reiff
Irina Ostasevic

 

Resultado de imagem para anjo loiro filme

Anjo Loiro - 1973

Armando (Mário Benvenutti) é um professor quarentão, solteiro, que leva uma vida metódica. Sem se prender a ninguém, tem algumas aventuras e é muito dedicado ao trabalho. Na escola, percebe que um de seus alunos, Mário (Ewerthon de Castro), apresenta declínio nos estudos. Trata de averiguar a causa e descobre que o rapaz está apaixonado por Laura (Vera Fischer), uma colega. Armando vai então falar com a moça e lhe sugere que se afaste de Mário. Mas nessa espinhosa missão, o professor acaba se deixando envolver por Laura.

Dirigido por Alfredo Sternheim

Elenco:

  • Mário Benvenutti.... Armando
  • Vera Fischer.... Laura
  • Célia Helena.... Helena
  • Ewerton de Castro.... Mário
  • Liana Duval.... Sônia
  • Lineu Dias.... Ângelo
  • Ivete Bonfá
  • Roberto Rocco
  • Cláudio Savietto
  • Nuno Leal Maia.... Paulo
  • Léa Surian
  • Vanda Marchetti.... Maria
  • Semme Lufti.... Sérgio
  • Lídia Vani.... mãe de Mário
  • Walter Portela
  • Vicente Tutuilmondo.... Sílvio
  • Gracinda Fernandes.... Sandra
  • Rosemar Di Paula
  • Lino Braga
  • Antônio Carlos Contrera
  • Mia de Almeida
  • Mayara de Castro
  • Carlos de Simone
  • Durvalino de Souza
  • Rui Frete
  • Celso Karan
  • Paulo Lara
  • Hélcio Magalhães
  • Inês Marinho
  • Nelcy Martins
  • Albari Fernando Rosa
  • Wladimir Soares

                  

A Dama Do Lotação (1978) / Minhateca

Solange e Carlos se conhecem desde a infância e se casam. Na noite de núpcias, Solange resiste ao seu marido, que, impaciente, acaba estuprando-a. Solange fica traumatizada e, apesar de desejar Carlos, não quer mais nada com ele. Para se satisfazer, ela começa a fazer sexo com homens que não conhece, que encontra andando de lotação (espécie de micro-ônibus que faz transporte público).

Elenco:

Sônia Braga .... Solange

Nuno Leal Maia .... Carlos

Jorge Dória .... Pai de Carlos

Paulo César Pereio .... Assunção

Cláudio Marzo .... psicanalista

Márcia Rodrigues ....

Paulo Villaça .... vadio

Roberto Bonfim .... Bacalhau

Rodolfo Arena ....

Ney Santanna ....

Ivan Setta .... Mosquito

Washington Fernandes ....

Yara Amaral .... amiga da mãe de Carlos

Dirigido por Neville de Almeida 

ImagemImagem

Amada Amante (1978)

Direção: Cláudio Cunha

Elenco:

  • Neuza Amaral ... Tide
  • Malu Brandão
  • Sandra Bréa ... Fátima
  • Simone Carvalho ... Míriam
  • Sandra Castro
  • Cláudio Cunha
  • Rogério Fróes ... Augusto
  • Luis Gustavo ... Tuca
  • Carlos Imperial
  • Ana Maria Kreisler ... Aparecida
  • Maurício Lessa
  • Miriam Nascimento
  • Petty Pesce
  • Fernando Reski

A desintegração de uma família provinciana chegando ao Rio de Janeiro. O patriarca Augusto envolve-se com a secretária Aparecida. Os irmãos Zequinha, Marita e Fátima vivem a nova realidade. Zequinha não consegue se relacionar com a jovem Míriam, Marita desenvolve um romance homossexual, e Fátima envolve-se com o playboy Tuca. Ao descobrir a traição do marido Augusto, Tide busca consolo e vingança em outros braços.

 

 

O Marginal (1974)

Um menino pobre torna-se marginal notório, após crescer em instituições de caridade. Já adulto, envolve-se com um grupo da alta sociedade e é preso por assassinato. Ao saber que tem um filho de sua relação com uma vedete de teatro-revista, decide mudar de vida.

Dirigido por Carlos Manga

Elenco:

  • Tarcísio Meira .... Valdo
  • Darlene Glória .... Leina
  • Vera Gimenez
  • Carlos Kroeber
  • Ednei Giovenazzi
  • Anselmo Duarte
  • Francisco Di Franco
  • Ruthinéa de Moraes
  • Claudia Wonder ... Karina
  • Maurício do Valle
  • Júlio César

 

 Resultado de imagem para o poderoso garanhão filme

O Poderoso Garanhão - 1974

Dirigido por: Antonio Bonacin Thome

Elenco:

  • Adélia Coelho
  • Armando Paschoallin
  • Heitor Gaiotti
  • José Velloni
  • Maria Viana
  • Nestor Alves de Lima
  • Nivaldo Lima
  • Waldick Soriano Heitor

Tudo na vida de Heitor se resume à boemia e à entrega aos prazeres da carne, onde muitas mulheres e um gosto pela bebida são parte crucial de sua rotina. No entanto, quando ele descobre que seu pai foi assassinado, Heitor retorna à fazenda que abandonara dez anos antes com o objetivo de tocar o negócio do pai e descobrir quem o assassinou.

 

Resultado de imagem para traídas pelo desejo 

Traídas Pelo Desejo (1976)

Dirigido por: Tony Vieira

Elenco:

  • Afonso Brazza
  • Claudette Joubert Gina
  • Heitor Gaiotti
  • Tony Vieira Régis Cavalcanti

Gina é órfã e herdeira de grande fortuna, que só poderá receber após seu casamento. Douglas, seu mordomo, planeja com uma quadrilha encontrar um indigente sem família, fazê-lo casar-se com Gina, matar ambos e ficar com a herança. O escolhido é Regis, pretenso indigente, mas, na realidade, um astuto advogado que perdera a esposa num acidente. A quadrilha ignora esse fato e o casamento é realizado. Mas Regis, percebendo a intenção de Douglas e seu bando, foge com Gina logo após a cerimônia. Na perseguição aos dois, a quadrilha é desmantelada e os noivos encontram a felicidade.

Eu Dou O Que Ela Gosta (1975) / Minhateca

Numa pequena cidade do interior, Giovana, de ascendência italiana, ama Marcos, um caminhoneiro pobre. A família é terminantemente contra o romance. O pai da moça, sr. Provologne, quer que ela se case com Carlo, o rico filho de seu correligionário político Coriolano. Carlo, por sua vez, ama Julinha, filha do farmacêutico, candidato da oposição. Coriolano não aceita que eles se casem. Marcos, desesperado com a impossibilidade do romance, manda um lençol com marcas de sangue para o sr. Provologne, como se ele tivesse desvirginado sua filha. A avó da moça tem um acesso de fúria e morre. Embriagado Marcos vai à procura de Coleta, a esposa alcoólatra e adúltera de Viriato, o farmacêutico. Eles passam a noite na carruagem fúnebre que levará o ataúde da avó de Giovana. O casal é descoberto aos olhos de todos os presentes no féretro. Magoada Giovana consente em se casar com Carlo. Este, por não esquecer Julinha, seu grande amor, se mostra impotente. Coriolano toma conhecimento do caso e contrata uma prostituta para tirar esta estória a limpo. O rapaz terá que transar com a meretriz em uma rinha de briga de galo, sob as vistas do pai, do sogro e de dois capangas. Carlo falha. Para preservar a honra da família, Coriolano vai transar com a contratada e morre. Viriato e Provologne resolvem fazer uma coligação política. Giovana e Marcos tramam encenar um relacionamento sexual, para serem flagrados pelo pai da moça. O sacristão bêbado convoca Provologne, que chega ao local acompanhado de dois capangas e Viriato. Na linha de trem eles encontram um casal transando: Carlo e Julinha. Quando estão para ir embora, ouvem ruídos propositais e se deparam com Giovana e Marcos. O pai da moça fica furioso, mas agora nada mais poderá vencer o amor dos quatro jovens enamorados".

 Direção de Braz Chediak

Jotta Barroso

Henriqueta Brieba

Milton Carneiro

Fernanda de Jesus

Monah Delacy

Ênio Gonçalves

Sérgio Hingst

José Lewgoy

Fernando Reski

Telma Reston

Cecil Thiré 

O Estranho Vício do Dr. Cornélio - 1975

Direção: Alberto Pieralisi

Elenco: 
Alcione Mazzeo  (Angélica)
Stan Cooper (Bruno)
Paulo Fortes (Cornélio Mansini)
Tião Macalé (Tião)
Perla (Sandra)
Participação especial: 
Pedro de Lara (James)

Dr. Cornélio, famoso barítono, rico e com importante carreira no Metropolitan de Nova Iorque, se apaixona por Angélica, uma modelo, e lhe propõe casamento. A moça já é amante de Bruno, um boa-vida que escreve roteiros cinematográficos e quer produzir filmes. Na noite anterior ao casamento, Angélica passa a noite com Bruno. Este convence a moça a matar Cornélio, para quem ela apresenta o amante como sendo seu primo. Na lua-de-mel em Cabo Frio, Angélica faz com que Cornélio ingira muitas ostras, no intuito de que contraia tifo. Ele sai ileso da comilança, mas ela acaba contraindo a doença. O casal de amantes tentam vários assassinatos, mas todos falham. Enquanto casada, Angélica não transa mais com o amante, pois ela não quer ser infiel. Prefere ser viúva. Como Cornélio está em uma idade propensa a problemas do coração, eles o induzem a comer muito, fazer muito sexo e muitos exercícios físicos. O cantor faz um eletrocardiograma e descobre que está com problemas cardíacos seríssimos, mas continua a cometer excessos. Bruno, que desde o casamento, passara a ser um habitué da casa, conta para Cornélio que tem um amigo de meia-idade que faz tudo o que o médico não recomenda, e está ótimo. Além do mais, pratica, como jogo erótico, o 'golpe do touro' que consiste no homem deixar a mulher bem na ponta da cama, indo até a parede mais distante, tomar impulso e vir correndo se atirar sobre ela. Dr. Cornélio adora a idéia, e diz que daquele momento em diante este passará a ser o seu estranho vício. Quando o barítono vai praticar o 'golpe do touro' com a esposa, ele escorrega no tapete, cai e bate com a cabeça, vindo a falecer. Depois do enterro, Angélica vai transar com Bruno. Ele resolve praticar também o 'golpe do touro', e tem o mesmo destino de Cornélio. James, o mordomo puritano, resume a moral da história: 'Quem com ferro fere, com ferro será ferido.

Resultado de imagem para lilian m

Lilian M: Confissões Amorosas (Relatório Confidencial) / 1975

Maria abandona o marido lavrador e os dois filhos pequenos, seduzida por um mascate falador. Após um trágico acidente de carro, segue sozinha para tentar a vida na cidade de São Paulo. Perdida na metrópole, é presa sem documentos e uma assistente social arruma-lhe emprego na casa do industrial Braga. Os dois tornam-se amantes e, ao conhecer a estabilidade econômica, Maria é rebatizada de Lilian, nome da mãe de Braga. Lilian vai se envolvendo com excêntricos tipos humanos: o auto-destrutivo filho de Braga, um industrial alemão que financia a repressão política, um grileiro de terras falastrão, um detetive boçal, uma rumbeira e cafetina, um bandido tuberculoso com cara de santo e, finalmente, um submisso funcionário público e sua mórbida irmã. Do campo à cidade, do concubinato à prostituição, da opulência à marginalidade, Maria/Lilian retorna às origens para reaver a sua família.

Elenco:

  • Célia Olga Benvenutti
  • Benjamin Cattan
  • Sérgio Hingst
  • Maracy Mello
  • Walter Marins
  • Edward Freund
  • Caçador Guerreiro
  • José Julio Spiewak
  • Thereza Bianchi
  • Lee Bujyja
  • Genésio Carvalho
  • Paolo Picchi
  • Ruben Val
  • Bernardo Vorobow
  • Oamir Carvalho
  • Jairo Ferreira
  • Olga Maria Andrade
  • Luiz Nadas
  • Lygia Marques Leite
  • Silvana Maria
  • David Eustaquio
  • Sonia Maria Cabral
  • João Armando Spiller
  • Wilson Ribeiro
  • Washington Lasmar

Dirigido por Carlos Reichenbach

Imagem relacionada

Nos Tempos da Vaselina (1979)

Direção de José Miziara

Elenco:

  • João Carlos Barroso… Onofre
  • Kate Lyra
  • Aldine Müller
  • Andrea Camargo
  • Alvamar Taddei
  • Maurício do Valle
  • Petty Pesce
  • Marcos Jardim
  • Nidia de Paula
  • Meiry Vieira
  • Canarinho
  • Fernando Reski
  • Ângelo Antônio
  • Carlos Lyra
  • Myone Pimentel

Chega a ser injusta a forma como o público, hoje, renega as pornochanchadas. Sucesso comercial das décadas de 1970 e 1980, os filmes desta época nada mais eram do que isso: pura diversão. Até inocente em alguns casos, já que pornografia mesmo praticamente inexiste nas produções. No máximo vemos uma bunda exposta ou alguns rápidos closes nas partes frontais. O mesmo acontece com este Nos Tempos da Vaselina, um dos vários longas do gênero dirigidos por José Miziara.

A trama é digna de um filme norte-americano da década de oitenta: Onofre (João Carlos Barroso) é um caipirão que vive tranquilo no campo até receber um convite do primo, Paulinho, para ir ao Rio de Janeiro conhecer as "maravilhas" (leia-se "mulheres desnudas") da cidade. Ele se muda para próximo da praia de Ipanema, mas tudo que esperava acontece ao contrário. O azarado mal chega e já perde a mala para um meliante, pega um táxi com um motorista sacana que leva todo seu dinheiro e, logo mais, ainda vai ter as roupas furtadas - detalhe: com uma vara de pescar enquanto está "ocupado" com uma moça. Isso num dos raros momentos em que consegue efetivamente ficar com alguém. Como já disse, a má sorte ronda o coitado.

Com seu frasco de vaselina em mãos (única coisa que lhe resta, por sinal), o rapaz vai tentando todas as sortes com as garotas, que ficam encantadas com os boatos sobre sua virilidade voraz, assim digamos. Como a fofoca (nem tão verdadeira assim) se espalha, são outros 500. Ele é praticamente o protagonista de American Pie: A Primeira Vez é Inesquecível (1999) de tão atrapalhado e sem jeito que é, tanto na vida quanto no trato com as mulheres. Um exemplar típico e estereotipado (ainda que engraçado) do brasileiro que está sempre otimista, independente das situações adversas que lhe cercam. Mais clichê ainda é o retrato maldoso e exagerado do mesmo brasileiro sacana e que sempre "dá um jeitinho" para se prevalecer sobre os outros. Ou seja, a maior parte dos personagens que ronda o protagonista.

Com muita praia, corpos bronzeados a Rayito de Sol e piadas escatológicas e inocentes, Nos Tempos da Vaselina é mais um produto que causa algumas gargalhadas e se torna esquecível assim que acaba. E isso é de todo ruim? Afinal, nem sempre cinema precisa ser arte. Às vezes, basta ser puro entretenimento. É óbvio que a decupagem é recheada de erros técnicos, o roteiro é um furo atrás do outro e as atuações também não são grande coisa. Mas é para isso que existe o termo guilty pleasure, especialmente aplicado aqui. O riso involuntário acaba tornando as peças defeituosas num produto divertido. Nada mais, nada menos que isso.

 

Resultado de imagem para Se Segura, Malandro! critica

Se Segura, Malandro! (1978)

Dirigido por Hugo Carvana

Elenco:

  • Hugo Carvana.... Paulo Otávio
  • Denise Bandeira.... Calói Volante
  • Cláudio Marzo.... Zatopek
  • Lutero Luiz.... Alcebíades
  • Louise Cardoso.... Laurinha
  • Maria Cláudia.... Jô
  • Helber Rangel.... Candinho
  • Maria Alves.... Marilu
  • Henriqueta Brieba.... Clotilde
  • Milton Carneiro.... Cândido
  • Thelma Reston.... mulher de Alcebíades
  • Anselmo Vasconcelos.... Beto
  • Eliane Narducci.... Agripina
  • Vinícius Salvatori.... Bob
  • Ivan Setta.... Serginho
  • Vera Setta.... Marlene
  • André Villon.... Leandro
  • Antônio Pedro.... Aderbal
  • Manfredo Colasanti
  • José Dumont
  • Elza Gomes
  • Wilson Grey
  • Oswaldo Loureiro
  • Ana Maria Magalhães
  • Zezé Motta
  • Nildo Parente
  • Marília Pêra
  • Paulo César Peréio

 Conta a história de Paulo Otávio, que tem uma estação de rádio clandestina na favela, e sua repórter de rua, Calói Volante.

Sábado Alucinante (1979)

Dirigido por Cláudio Cunha

Elenco:

  • Sandra Bréa ... Laura
  • Djenane Machado ... Baby
  • Rogério Fróes ... Werneck
  • Sílvia Salgado ... Diana
  • Simone Carvalho ... Gina
  • Marcelo Picchi ... Bebeto
  • Fernando Reski
  • Rodolfo Arena ... Afonso
  • Maurício do Valle ... Ivan
  • Moacyr Deriquém ... Sílvio
  • Heloísa Raso ... Joana
  • Neuza Borges
  • Sônia de Paula
  • Canarinho
  • Miriam Ficher - Gracinha
  • José Carlos Sanches ... Márcio
  • Marcos Miranda
  • Suzane Carvalho
  • Selma Martins
  • Agnes Xavier
  • Rita de Cássia
  • Danusa Machado
  • Kiriaki
  • Ivo da Mata
  • Maurício Lessa
  • Cláudio Equer
  • Miguel Carrano
  • Petty Pesce
  • Lia Farrel ... Lenita

Da noite de sexta-feira até a madrugada de domingo, as portas de um novo mundo se abrem no interior de uma discoteca na Zona Sul do Rio de Janeiro. São emoções e conflitos vividos por uma série de personagens, que encontram na pista de dança o palco ideal para representarem a tragédia de suas vidas.

Resultado de imagem para O PORÃO DAS CONDENADAS

O Porão das Condenadas (1979)

Dirigido por: Francisco Cavalcanti

Elenco:

  • Francisco Cavalcanti
  • Henrique Guedes
  • Jean Garrett
  • Joana de Oliveira
  • Lírio Bertelli
  • Maximino Garducci
  • Ruy Leal
  • Sonia Garcia

Contrariando a vontade paterna, Marta, moça de família rica, foge de casa para se casar com Soares, um camponês. Inconformados, seus irmãos decidem persegui-la para evitar a união. Após cinco anos de busca, os irmãos conseguem localizá-la. Decididos a levar de volta a irmã, eles acabam matando Soares e ferindo gravemente Júlio, o pequeno filho do casal. Criado por José, irmão de Soares, Júlio torna-se exímio atirador e recebe a missão de vingar a morte do pai. Marta, desde o rapto, vive enclausurada num quarto na casa da família, lamentando a morte do marido e do filho, que também julga morto. São passados trinta anos e Júlio decide que é chegada hora de assassinar os irmãos de Marta, que vivem do lenocínio e do tráfico de mulheres. Ao final da luta, Júlio reencontra e liberta a mãe e as mulheres exploradas pelos tios.

 

O Ibraim do Subúrbio (1977)

OS EPISÓDIOS

Roy, O Gargalhador Profissional – Direção: Astolfo Araújo – 33’
Com: Paulo Hesse, Susana Faini e Wilson Grey
Roy vive de pequenos bicos, até receber uma oferta de emprego para trabalhar como membro da claque, em programa de TV.

O Ibraim do Subúrbio – Direção: Cecil Thiré – 42´
Com: José Lewgoy, Lucélia Santos e Luiz Fernando Guimarães
Casimiro, um alfaiate pobre, sonha em ter seu nome citado por Ibrahim Sued. A cerimônia de casamento da filha grávida é a ocasião de aparecer na coluna do ídolo.

 

Imagem relacionada

O Rei da Noite (1975)

Tertuliano narra sua história, desde a infância quando nasceu por volta da década de 1920 numa família paulistana tradicional arruinada pela doença mental do pai, até a velhice decadente. Quando jovem, se enamorara de Ana, também moça de família, mas o casamento não aconteceu porque os pais dela a internaram num sanatório por problemas de saúde (ela sofria de "sopro no coração"). Desiludido, Tertuliano vai estudar e trabalhar com o tio mas logo abandona tudo e entra para a boêmia paulistana, vivendo um caso com Pupi, prostituta e cantora de cabaré que se apresentava como "A rainha da noite". Ao mesmo tempo ele conhece três irmãs filhas de Dona Sinhá, uma amiga da mãe, e acaba se casando com uma delas, ao tentar voltar a uma vida tranquila. Mas passa a sofrer com os ciumes, humilhações e inseguranças da esposa.

Dirigido por Hector Babenco

Elenco:

  • Paulo José...Tertuliano ("Tézinho")
  • Marília Pêra...Pupi
  • Vic Militello...Maria das Graças
  • Isadora de Farias...Maria do Socorro
  • Cristina Pereira...Maria das Dores
  • Yara Amaral...Mãe de Tézinho
  • Márcia Real...Dona Sinhá
  • Emílio Fontana...Pai de Tézinho
  • Dorothée Marie Bouvyer...Ana
  • Maria do Roccio
  • Ivete Bonfá...Agripina
  • Áurea Campos
  • Kleber Afonso
  • Gledi Marise
  • Clemente Viscaíno (creditado como "Clemente Vascaíno" [1])
  • Francisco Curcio...Tabelião
  • Carlo André Oneken
  • Nádia Luciano Teixeira
  • Deivy Rose (creditada como "Deive Rose")
  • Andre Luiz de Augustinis (Junior)

 

 Imagem

A Herança (1970)

Direção de Ozualdo Candeias, para esta adaptação de Hamlet, de Shakespeare. Omeleto, filho de senhores do sertão, vai para a capital estudar. O pai morre e ele volta encontrando a mãe casada com o irmão do falecido, que, como uma assombração, conta para o filho que foi assassinado. Omeleto promete vingança para dar o descanso à alma do pai.

ELENCO

David Cardoso
Américo Taricano
Rosalvo Caçador
Zuleica Maria
Barbara Fázio
Agnaldo Rayol
Túlio de Lemos
José Lopes
Clemente Viscaino
Rubens Ewald Filho 

Resultado de imagem para o sexo mora ao lado filme 

O Sexo Mora ao Lado (1975)

Dirigido por: Ody Fraga

Elenco:

  • Carlos Bucka
  • Geórgia Gomide
  • John Herbert
  • Jussara Freire
  • Lia de Aguiar
  • Roberto Bolant

João e Marcelo mantém um apartamento para encontros amorosos. Além de dividirem as despesas, compartilham as conquistas amorosas. Tudo com a cumplicidade e sob os ouvidos atentos de Clotilde e Esmeralda, duas solteironas vizinhas dos garanhões. A festa rola solta... Até que João recebe a notícia da chegada de sua virginal sobrinha Mércia. O surpreendido tio põe-se a "organizar a zona" para receber a nova moradora. Sobra até para Marlene, a preferida de João. Mas quando Mércia chega... 

Resultado de imagem para tudo bem filme

Tudo Bem (1978)

Juarez é um aposentado e pai de família de classe média que vive às voltas com uma obra no apartamento. Aposentado, ele está sempre cercado pelos fantasmas de seus amigos já falecidos.Elvira não acredita na impotência do marido e pensa que tem uma amante.Os filhos Zé Roberto e Vera Lucia são oportunistas ele executivo e ela preocupada com um marido.Para completar as empregadas Aparecida de Fátima mística fervorosa, e Zezé, que trabalha como prostituta nas horas vagas. Juntos eles precisam lidar com as dificuldades da vida e os operários da obra, que estão sempre no apartamento.

Dirigido por Arnaldo Jabor

Elenco:

  • Paulo Gracindo – Juarez
  • Fernanda Montenegro – Elvira
  • Regina Casé – Vera Lucia
  • Luiz Fernando Guimarães – Zé Roberto
  • Zezé Motta – Zezé
  • Paulo César Peréio – Bill Thompson
  • Fernando Torres – Giacometti
  • Luiz Linhares – Pedro Penteado
  • Jorge Loredo – Amigo de Juarez
  • Daniel Dantas – Amigo de José Roberto
  • Maria Sílvia– Aparecida de Fátima
  • José Dumont – Piaui
  • Stenio Garcia – Zeca Maluco
  • Anselmo Vasconcelos – Trabalhador

Resultado de imagem para toda nudez será castigada 

Toda Nudez Será Castigada (1973)

Dirigido por Arnaldo Jabor

Elenco:

  • Paulo Porto .... Herculano
  • Darlene Glória .... Geni
  • Paulo Sacks .... Serginho
  • Paulo César Pereio .... Patrício
  • Isabel Ribeiro .... tia
  • Hugo Carvana .... delegado
  • Henriqueta Brieba .... tia
  • Elza Gomes .... tia
  • Sérgio Mamberti .... Odésio

Herculano é um viúvo conservador, que jura a seu filho Serginho que nunca terá uma outra mulher. No entanto, apaixona-se por uma prostituta, Geni, que conhece através de seu irmão Patrício, interessado em que Herculano volte a sustentar seus vícios de bebida e mulheres. Quando resolve se casar com Geni, gera uma série de conflitos em sua família, entre eles a prisão de Serginho por uma briga de bar. O rapaz é estuprado na prisão e, solto, torna-se amante de Geni, para vingar-se do pai por haver quebrado o juramento. Desesperada, Geni se suicida, deixando uma fita gravada narrando toda a história para Herculano.

 

Resultado de imagem para Pra Quem Fica, Tchau! (1971)

Pra Quem Fica, Tchau! (1971)

Luisinho é um rapaz do interior de Minas Gerais que chega ao Rio de Janeiro para morar com o primo Didi, dizendo que a mãe morrera e o pai lhe abandonara. O primo aceita ficar cuidando dele quando Luisinho lhe mostra uma grande soma de dinheiro que trouxera na bagagem. Didi é um grande boêmio e Luisinho logo o acompanha nessa vida, apesar da pouca idade. Mas o rapaz se apaixona por uma mulher casada com um marido ciumento e logo vai experimentar uma decepção amorosa.

Direção: Reginaldo Faria

Elenco:

  • Reginaldo Faria...Didi
  • Stepan Nercessian...Luisinho
  • Rozana Tapajós...Maria
  • Flávio Migliaccio...Chuca
  • Hugo Bidet...Teleco
  • José Lewgoy...Gustavo (participação especial)
  • Gracinda Freire...Lourdes (participação especial)
  • Jorge Cherques...marido de Maria
  • Henriqueta Brieba...Isaura, mãe de Maria
  • Irma Alvarez...mulher do jipe (participação especial)
  • Tânia Scher...mulher do conversível (participação especial)
  • Wilza Carla...Dalva (participação especial)
  • Almir Look
  • Ricardo Petraglia 

 

MANICURES A DOMICÍLIO (1977) / MINHATECA

Dirigido por: Carlo Mossy

Elenco:

Adele Fátima

Carlos Leite Aurora Boreal

Henriqueta Brieba

Humberto Catalano Venâncio

Marta Moyano

Aurora Boreal, um cabelereiro desconhecido, sonha com a glória e a fortuna. Mas seu salão é muito humilde e ele só lida com empregadas domésticas. Quando Conceição, uma parente sua, chega ao Rio de Janeiro para morar com ele, Aurora resolve fazer dela manicure e capitalizar a paixão que a bela mulata desperta nos homens. Um rico comendador se apaixona por Conceição e ela passa a noite com ele no seu supermercado. Mas ela só traz para casa um saco de gêneros alimentícios. Aurora entra em crise e tenta seu primeiro suicídio, fazendo uma câmara de gás de perfume. Tudo o que ele consegue, porém, é uma forte crise de fígado. Surge então Glorinha, uma manicure morena e muito descontraída, que enfeitiça Flávio, gerente de um banco, conseguindo um enorme empréstimo para Aurora. Novo Suicídio é tentado pelo cabeleireiro quando o empréstimo não chega, deitando-se em plena Avenida Copacabana na hora do 'rush', a terceira manicure, Madalena, uma loura argentina, agarra o Dr. Curto, um homem complexado por sua baixa estatura. Mas Madalena é raptada por Severino Fritz, chefe de segurança da fábrica, ex-oficial nazista e neurótico de guerra, que alega ser a moça uma terrorista. Mas Madalena, apesar de tudo, consegue com industriais japoneses o restante do dinheiro para montar o mais lindo salão para Aurora. 

Um Uísque Antes ...Um Cigarro Depois (1970) / MINHATECA

Comédia erótica em três episódios, baseada em contos de Orígenes Lessa (“Vingança’ e “Ivone”) e Dalton Trevisan (Mocinha de Luto). 1.º Episódio – Um Uísque Antes: Vingança Publicitário é traído pelo melhor amigo e oferece jantar para vingar-se. Com Mário Benvenutti, Ary Fontoura, Samanta, Ângelo Antonio & Iara Stein. 2.º Episódio - ...: Mocinha de Luto Desvirginada pelo noivo, moça casadoira procura um advogado para defender seus direitos e o solícito rábula passa a confortá-la. Com Murilo Néri, Fregolente, Geraldo Del Rey, Lícia Magna & Neila Tavares. 3.ª Epsódio – Um Cigarro Depois: Ivone Durante o dia, adolescente é tratado dom desdém por sua prima. Mas, durante a noite... Com Flávio Ramos, Murilo Néri, Sônia Calmon & Ângela Vasconcelos.

Resultado de imagem para o pornógrafo

O PORNÓGRAFO (1970) / MINHATECA

Numa editora de revistas pornográficas, Miguel Metralha tenta imitar os gangsteres de Chicago. Com a morte do dono ele assume a chefia e tem que enfrentar a cafetina que dava cobertura à publicação, quando ele procura mudar o estilo das revistas.

Direção: João Callegaro

 ELENCO

Stênio Garcia (Miguel Metralha)
Ednardo Pinheiro (Funcionário da revista)
Betinho (Fiscal)
Francisco di Franco (Fábio)
Júlia Miranda (Amante)
Clarice Piovesan (Amante)
Edgar Gurgel Aranha (Peter Aster)
Carlos Reichenbach (Mordomo)
Sérgio Hingst (Chefe)
Liana Duval (Madame Rosália)
Américo Taricano 
Rosângela Maldonado

 

Imagem

Possuídas pelo Pecado (1976) / Minhateca

Leme, rico e idoso, sente-se frustrado por não ter tido um filho de seu casamento com Raquel. Entrega-se à bebida e a amores passageiros com suas secretárias. André, seu motorista, torna-se amante de Raquel e os dois planejam se apossar da fortuna de Leme. Dora, filha da governanta da casa, apaixona-se por André e se entrega a ele, ficando grávida. André decide, então, usar Dora em seus planos, fazendo com que Leme, em constante estado de embriaguez, pense que foi ele que a deflorou e é o pai da criança.

Direção de Jean Garrett

Elenco:

  • Luiz Carlos Braga
  • Zilda Brando
  • Nicole Puzzi
  • Lídia Camargo
  • David Cardoso… André
  • Miro Carvalho
  • Benjamin Cattan
  • Alvino Correa
  • Ruthinéa de Moraes
  • Ubirajara Gama
  • Gilberto Marques
  • Marthus Mathias
  • Zilda Mayo
  • Miguelito
  • Ana Paula
  • Hélia Pelitzer
  • Tyhana Perckle
  • Helena Ramos
  • Agnaldo Rayol
  • Ronaldo Rayol
  • Márcia Real
  • José Rolim
  • Nicole Saline
  • Zilda Sedenho
  • Meiry Vieira
  • Nicole Woodward

 

As Borboletas Também Amam - 1979

Direção: J. B. Tanko

Elenco:

  • Alberico Bruno
  • Angelina Muniz
  • Arlindo Barreto
  • Carlos Kurt
  • Catalina Bonakie
  • Duarte de Moraes
  • Francisco Di Franco
  • Jotta Barroso
  • Neila Tavares
  • Nélia Paula
  • Nestor de Montemar
  • Paulo Porto
  • Rossana Ghessa
  • Wilson Grey

Mônica, uma garota de programas, vem sendo seguida por um senhor. Eles vão até um bar. Ele diz que não quer sexo com ela, quer apenas protegê-la. Ela narra sua história. Filha de uma família simples, de rígidos princípios morais, Mônica é compelida por sua amiga Virgínia a se prostituir. Ela é levada até um bordel de luxo para satisfazer um senhor que se diz industrial. Mônica namora Flávio, que a respeita muito. Para camuflar suas atividades, a moça começa a vender cosméticos a domicílio. Quando muda de escola, Mônica se depara com Raimundo, o falso industrial, que vem a ser o seu novo professor. Flávio começa a ficar intranqüilo com as atividades de sua noiva em Copacabana. Ele vai ter com Virgínia, que lhe dá o endereço do bordel. Ele vai até o estabelecimento e encontra Mônica à espera do professor. Por conta de um relógio que lhe foi presenteado, Flávio descobre que a noiva está transando com seu pai, o professor. Ele leva o relógio até sua casa e dá de presente a mãe. Pai e filho discutem. Flávio lhe chama de hipócrita e o professor Raimundo diz que ele não é seu filho. Surge a mãe e esclarece que ele é fruto de uma relação extraconjugal. Como Raimundo era estéril, ela engravidou de outro homem para dar-lhe um filho. Quando o marido descobriu, sua relação conjugal ficou péssima e ele passou a odiar Flávio. Depois do relato, a mãe se mata. Flávio culpa o pai. O rapaz obriga Raimundo a se casar com Mônica. Este, muito moralista, reluta. Ele é coagido pelo filho e aceita a empreitada. Na noite de núpcias o filho impede o pai de dormir com a noiva. Ele invade o quarto e quer possuí-la a força. Muito infeliz seu pai se suicida com um tiro. Nervosa Mônica abandona a casa e está prestes a ser estuprada por um bando de motoqueiros. Flávio pega o revólver e dá alguns tiros. Eles são perseguidos pela polícia. O casal vai até a casa de Virgínia. Quando a polícia chega, Flávio foge. No bar, ao final de sua narrativa, Mônica diz para o senhor nunca mais ter visto Flávio. Eis que ele irrompe no ambiente. O senhor nota e se afasta. Sorrisos de amores contidos se esboçam nos rostos do casal. 

Bonitas e Gostosas - 1978

Direção: Carlo Mossy

Elenco:

  • Ângelo Antônio
  • Carlos Kurt
  • Lucia Legrand
  • Martim Francisco
  • Meiry Vieira
  • Pedro de Lara
  • Yara Stein

O filme se baseia nos estudos de um alemão chamado Vinny Bosta, que deduziu que o Brasil começou em uma ilha, onde habitavam aves coloridas e exuberantes, que por desobedecer ao criador, teriam sido exiladas aqui e transformada em urubus cagões. Eles se alimentavam de uma grande árvore que davam notas de 500 e nas mais quentes e produtivas estações, também podia dar dolar.

O primeiro habitante e nosso ancestral comum, era o sacana-coca-saco-tropical, que era conhecido por sua imensa barriga de chopp, e por andar sempre cansado, mesmo não tendo feito porra nenhuma. Ele costumava ir a um bananal pega banana, da qual se alimentava. Seu cotidiano era basicamente comer e cagar, mas ele encontra com nossa primeira ancestral comum, a mulata bunduda, que era tão boa, mas tão boa, que se demorasse pra comer apodrecia.

Resultado de imagem para monica e cebolinha em romeu e julieta 

Mônica e Cebolinha – No Mundo de Romeu e Julieta (1979)

Dirigido por José Amâncio

Personagens

Nome Personagem Nome do tipo do personagem
Cebolinha Romeu Montéquio Romeu Montéquio Cebolinha
Mônica Julieta Capuleto Julieta Monicapuleto
Cascão Frei Lourenço Frei Cascão
Magali Angélica, a Ama de Julieta Ama Gali
Anjinho Benvólio Montéquio Anjinho Benvólio Montéquio
Xaveco Príncipe Escalo de Verona Príncipe Xaveco de Verona
Chico Bento Tebaldo Capuleto Chico Bento Tebaldo Capuleto
Zé Lelé Mercúcio Zé Lelé Mercúcio
Zé da Roça Mensageiro do Príncipe Escalo de Verona Mensageiro do Príncipe Xaveco de Verona
Hiro   Hiro

Em Verona, Itália, viviam duas famílias rivais, os Montéquio e os Capuleto. Constantes confrontos levaram o Príncipe Xaveco a proibir brigas e duelos entre ambas, com a promessa de castigar quem violasse a paz. Anjinho Benvólio é convidado para um baile de máscaras na casa dos Capuleto - e Romeu Montéquio Cebolinha resolve ir para lá disfarçado (com uma máscara de Cebolinha). Lá dentro Romeu esbarra em Julieta Monicapuleto, que se apaixona por ele. Após um encontro no balcão, ela decide se casar com Romeu - e ele fica relutante, só mudando de ideia após ser espancado pelo Frei Cascão. Após um casamento que só sai pela noiva estar armada com um coelhinho, Romeu e Frei Cascão correm para disputar o campeonato de bola de gude. Lá, Romeu briga com Chico Bento Tebaldo, primo de Julieta, e é expulso da cidade. Desesperada, Julieta pede para o Frei bolar um plano infalível - e ele decide consultar Romeu e Julieta. Mas como o livro acaba com os dois protagonistas mortos, Mônica não gosta e vai atrás do Príncipe Xaveco, que após uma surra decide perdoar Romeu.

Resultado de imagem para a morte ea morte de quincas berro d'água globo

A Morte e a Morte de Quincas Berro D'Água (1978)

Humilde funcionário público, pai e marido exemplar, subitamente se transforma num boêmio e passa o resto de seus dias entre as mulheres, a bebida e a jogatina. Até o dia em que é encontrado morto. Baseado em obra de Jorge Amado. Feito para a TV.

Dirigido por: Walter Avancini

Elenco:

  • Ana Maria Magalhães
  • Antonio Pitanga
  • Cesário dos Santos
  • Chica Xavier
  • Cidinha Millan
  • Dina Sfat
  • Dionísio Azevedo
  • Esmeralda Barros
  • Flávio Migliaccio
  • Hélio Ary
  • Ivan Mesquita (as Yvan Mesquita)
  • Jucilea Telles
  • Léa Garcia
  • Macedo Neto
  • Paulo Gracindo Quincas Berro D'Água
  • Regina Dourado
  • Renato Pupo
  • Stênio Garcia
  • Suzy Arruda
  • Thelma Reston

 

 Resultado de imagem para o rei do baralho filme

O Rei Do Baralho - 1973

Elenco:

  • Cahuê Filho
  • Edson Santos
  • Elisa
  • Elke Maravilha
  • Fininho
  • Grande Otelo
  • Guará Rodrigues
  • Guilherme Guimarães
  • Ivan Cardoso
  • Marta Anderson
  • Wilson Grey

Semi-homenagem do diretor Julio Bressane às chanchadas dos anos quarenta e cinquenta, gênero famoso à época. Um homem se auto-intitula como "O Rei do Baralho" e vive grandes aventuras e desventuras, todas elas previstas por uma duvidosa cartomante, que também prevê o envolvimento do Rei com a sensual Loura do Bacará. 

Sem Essa, Aranha! - 1970

Direção: Rogério Sganzerla

Elenco:

  • Helena Ignez
  • Jorge Loredo ... Aranha
  • Maria Gladys
  • Luiz Gonzaga
  • Aparecida
  • Moreira da Silva
  • Neville de Almeida
  • Lelé
  • Guará Rodrigues

Resultado de imagem para memórias de um gigolô filme 1970

Memórias de um Gigolô - 1970

Quando morre sua tia, um menino vai morar na casa de uma cafetina. Já adulto, ele se apaixona por uma prostituta mas, para ficar com ela, ele precisa separá-la de seu amante atual.

Dirigido por Alberto Pieralisi

Elenco:

  • Cláudio Cavalcanti .... Mariano
  • Rossana Ghessa .... Guadalupe
  • Jece Valadão .... Esmeraldo
  • Fábio Sabag .... Alceu
  • Afonso Stuart .... Gumercindo
  • Milton Carneiro .... Fernando Franco
  • Neuza Amaral .... Madame Iara
  • Watusi .... Aurélia
  • Estelita Bell .... Marina
  • Elza Gomes
  • Daniel Barcellos
  • Almir Look
  • Mara Carvalho Ferro
  • Roberto Argolo
  • Leda Valle
  • Angelito Mello
  • Fernando José
  • Antônio Patiño
  • Antônio de Cabo

 

Resultado de imagem para os sensuais crônicas filme

OS SENSUAIS - CRÔNICA DE UMA FAMÍLIA PEQUENA BURGUESA (1977)

Dirigido por: Gilvan Pereira

Elenco:

  • Fernando José
  • Francinette Costa
  • Lídia Mattos Edith
  • Marcelo Marcello
  • Maria Lúcia Dahl
  • Milton Vilar
  • Navarro Puppin
  • Neila Tavares

Uma fotógrafa profissional vê em um aventureiro de Angola incríveis semelhanças com seu marido morto. Ao enxergar semelhanças com seu marido morto, uma fotógrafa profissional introduz um estranho homem da Angola em sua família. Aos poucos, o homem desperta a verdadeira identidade emocional de cada um dos integrantes. Adultério, homossexualidade, tentativa de suicídio, entre outros. No entanto, os fatos não afastam a fotógrafa de viver uma grande paixão pelo angolano. 

Que legal sexta-feira 13

AS 1001 POSIÇÕES DO AMOR (1978) / DEPOSITFILES

Dirigido por: Carlo Mossy

Elenco:

  • Fernando José Doutor Bilu Bilu
  • Jotta Barroso Zé Pobrinho
  • Lucia Legrand
  • Marineide Vidal
  • Pedro de Lara
  • Sérgio Guterres Sérgio
  • Tião Macalé Petróleo

O programa de rádio "Barulhos da Cidade" irradia os últimos fatos, comentados por Pedro de Lara em quatro episódios: O Mijão, Quizumba no Bilhar, Eu Não Sou Bicha e As 1001 Posições do Amor, em que o Doutor Bilu-Bilu cria novas posições sexuais para diminuir a hipertensão e a neurose.

Resultado de imagem para seu florindo e suas duas mulheres filme

Seu Florindo e Suas Duas Mulheres - 1978

Direção: Mozael Silveira

Elenco:

  • Wilza Carla...Vadia
  • Mozael Silveira...Florindo das Flores
  • Lameri Faria...Dora Rodrigues
  • Vitor Lustosa...Piolho
  • Lúcia Regina...Mãe de Dora
  • Matheus Matias...Delegado

Florindo é um professor de arte culinária prosaico e bem sucedido que abandona a profissão quando sua esposa Vadia morre durante um desfile de escola de samba. Vadia é velada com requintes de amor e do grotesco e Florindo passa a viver das lembranças atormentadas mas excitantes daquela que soube ser amante como nenhuma outra mulher, embora vivesse brigando e enganando o marido. O viúvo passa a ser disputado pelas moças da cidade, inclusive suas ex-alunas. Sentindo-se solitário, Florindo casa-se pela segunda vez, escoltando Dora, jovem recatada e de aparência enganadora. Mas o matrimônio é perturbado pelo fantasma de Vadia que vem assediá-lo nas horas mais impróprias, obrigando-o a se tornar bígamo e adúltero pela imaginação.

O Artesão de Mulheres (1978) / Depositfiles

Dirigido por: Antonio Bonacin Thome

Elenco:

  • Aldine Muller
  • Andrea Camargo
  • David Húngaro
  • Genésio de Carvalho
  • Lourênia Machado
  • Sonia Garcia
  • Waldir Siebert

O massagista Marcus Vinícius desperta apavorado de um pesadelo em que ele, acompanhado de seu assistente Trindade, é capado por um guardião de uma tenda árabe, onde desfrutavam da companhia de algumas beldades. Dr. Marcus Vinícius e Trindade se beneficiam de sua clínica de massagens para atender diversas mulheres, geralmente madames jovens e sensuais casadas com homens mais velhos. Embora se aproveite de todas, Dr. Marcus se enamora de Verinha, filha de uma de suas poucas clientes mais velhas e sérias, enquanto Trindade consegue se envolver com Odete, uma moça que torcera o tornozelo nas redondezas da clínica. À medida que Dr. Marcus se envolve mais seriamente com Verinha, a placa na fachada com os dizeres "Massagem só para mulheres" é substituída por outra, "Massagem só para homens". Após duras massagens em senhores nada sensuais, a começar pelo marido de uma de suas ex-clientes, Dr. Marcus e Trindade são massageados na beira da piscina da clínica por Verinha e Odete. 

TEU TUA (1977)

 

Dirigido por: Domingos de Oliveira

Elenco:

  • Armando Bogus
  • Jorge Dória
  • Leda Zeppelin
  • Lenita Plonckzynska
  • Louise Cardoso
  • Luiz Fernando Guimarães
  • Marco Nanini

Episódio: "O oráculo" 

O advogado Nelson (Armando Bógus) pretende livrar-se da amante, uma jovem e bela viúva, mas não sabe como fazê-lo. Aconselhado por um amigo, resolve acusá-la de uma suposta infidelidade. A viúva descobre suas intenções e arma um ardil. Assume a culpa para provocar ciúmes no amante, fazendo com que ele volte atrás em sua decisão. 


Episódio: "Um homem debaixo da cama" 

Diante de um edifício suspeito, um marido ciumento aborda um rapaz, supondo ser o amante de sua esposa. O jovem confessa que tem uma amante no prédio, mas que é uma outra mulher. E sobe para seu encontro amoroso. O marido ciumento sobe atrás e, ao entrar no apartamento, encontra uma mulher nua e desconhecida. Ao tentar se retirar, encontra o esposo traído. Refugia-se sob a cama e lá encontra o rapaz. Enquanto isso, marido e mulher se amam sobre a cama.


Episódio: "O corno imaginário" 

O pai de Celinha (Louise Cardoso) quer que ela se case com um milionário. A jovem se aconselha com Frê (Luis Fernando Guimarães), um amigo. O encontro entre os dois é notado por Donga (Miguel Oniga) e Bia (Leda Zeppelin), respectivamente namorado e namorada de Celinha e de Frê. Os quatro acabam brigando por ciúmes. Desfeito o equívoco, os pares se reconciliam e Celinha se livra do noivo rico.

Herança dos Devassos (1979) / MINHATECA

Após a morte de um milionário, sua família começa a brigar por causa da herança.

Dirigido por Alfredo Sternheim

Elenco:

Sandra Bréa

Roberto Maya

Francisco Curcio

Ricardo Dias

Edward Freund

Elizabeth Hartmann

Claudete Joubert

Imagem

Juliana do Amor Perdido (1970) 

O apito de um trem de carga vem mexer com a lembrança e a consciência dos pescadores do litoral. Um estrangeiro, proprietário da ilha, mantém os pescadores escravizados, alimentando seu misticismo através de Juliana, tida como santa em toda a região. Corrompe seu pai, chefe dos pescadores, obrigando-o a manter a santidade da filha. Ela não acredita, mas mantém a santidade para escapar ao assédio dos homens da aldeia, indo buscar uma esperança, na beira da estrada, acenando para Faísca, o maquinista do trem.

Direção: Sérgio Ricardo

ELENCO

Maria Do Rosario
Francisco Di Franco
Ítala Nandi
Antonio Pitanga
Macedo Neto

Resultado de imagem para a morte não marca tempo filme

A MORTE NÃO MARCA TEMPO (1973) / MEGA

DIREÇÃO: Pereira Dias

O filho de um importante fazendeiro, recém formado e recém chegado da capital, é encontrado morto a tiros, junto a um penhasco. A morte é atribuída a um famigerado bandido que vive foragido na região e a quem a própria polícia teme capturar. A tranqüilidade do lugar é abalada quando corre a notícia de que o bandido se aproxima da vila. Todos tratam de fugir, com exceção do vigário que, após parlamentar com o bandido, deixa-se convencer de que pelos menos com relação àquele crime, ele é inocente. Tendo em mão a prova da inocência do bandido, o padre esclarece tudo e, para evitar um linchamento dá-lhe refúgio na própria igreja. Suspeitando do irmão de criação do morto, também apaixonado pela noiva do rapaz, o padre acaba descobrindo que, além de autor do crime, o irmão de criação é também filho do bandido refugiado na igreja. Enquanto procura meios de resolver o problema à luz da justiça, o bandido, determinado a salvar o filho, resolve enfrentar a polícia e assumir a autoria do crime.

 

ÓDIO (1977) / MEGA

Dirigido por: Carlo Mossy

ELENCO:

Átila Iório Geraldão

Carlo Mossy Roberto

Celso Faria Nestor

Cléa Simões

Fátima Freire Clarisse

Fernando Reski Vanuza

Francisco Dantas Advogado

Heloísa Helena Rosa

Jaime Barcellos Mário

Wilson Grey

O advogado Roberto, após assistir o massacre de seus pais, de sua irmã pequena e da empregada por quatro assaltantes - Nestor, Geraldão, Souza e Carvão -, vê ruir na prática a tese que defendia de que não existem criminosos, e sim crimes. Obcecado pelo ódio e pelo desejo de vingança, abandona a carreira, para se entregar inteiramente à perseguição dos criminosos... 

 

Resultado de imagem para um soutien para papai filme

Um Soutien Para O Papai - 1975

Elenco:

  • Henriqueta Brieba
  • Íris Bruzzi Lara
  • Jorge Dória Dória
  • José Lewgoy Castrossian
  • Renata Fronzi

Dirigido por: Carlos Alberto de Souza Barros

 Aqui está uma comedia maliciosa que tem a participação de astros da televisão, entre eles Jorge Dória, Iris Bruzzi e José Lewgoy nos papéis centrais. O filme mostra as aventuras de Dória (Jorge Dória), um quarentão que não quer nada com o trabalho e vive às custas da sua mulher (Renata Fronzi), dona de uma fábrica de soutiens. Ele não consegue tirar da cabeça a tentadora e "muito doida" Lara (Iris Bruzzi), esposa de Castrossian (José Lewgoy) sócio da sua mulher. Numa das tentativas, ele consegue conquistá-la e marcam um primeiro encontro, super discreto. Este, acontece num apartamento onde o casal acaba ficando preso por engano. Partem daí as situações hilariantes e inusitadas que envolvem até mesmo o corpo de bombeiros e a televisão, quando o casal tenta fugir. Na confusão, uma surpresa que somente Dória seria capaz de resolver. 

Resultado de imagem para o estripador de mulheres

O Estripador de Mulheres - 1978

Um assassino está a solta pela cidade, colecionando vítimas. Sem nenhuma prova evidente e agindo pelo impulso de dar uma resposta à população, a polícia prende um funcionário de um frigorífico - que conhecia duas das vítimas e tem um comportamento muito suspeito.

Um filme de Juan Bajon com Ewerton de Castro, Renato Master, Henrique César, Paulo Domingues.

O Trote dos Sádicos (1974)

Dirigido por Aldir Mendes de Souza

Elenco:

  • André Luiz .... Ricardo
  • Vera Maria .... Patrícia
  • Carlos Coelho .... Mário Márcio
  • Nydia de Paula .... Lúcia
  • Ciro Corrêa .... Bernardo
  • Ricardo Blat .... Valente
  • Betinho .... Bedel
  • Jofre Soares .... Delegado
  • Sérgio Hingst .... pai de Patrícia
  • Xandó Batista .... Gerente
  • Cavagnoli Neto .... pai de Ricardo
  • Irene Kramer .... mãe de Ricardo
  • Silvana Lopes .... Sra. Muller
  • Durval de Souza .... Maître

A trama de humor negro aborda a violência do trote nas universidades. Ricardo e Patrícia são um jovem casal que ingressam na universidade e sofrem trotes violentos de um grupo de veteranos. O romance dos jovens acaba esfriando, por causa das desigualdades de classe social dos dois e pela atitude de passividade de Ricardo em relação aos trotes. Mário Márcio, o veterano líder, não satisfeito em humilhar o humilde calouro, ainda faz investidas para conquistar a bela e rica Patrícia.

Resultado de imagem para os devassos filme

Os Devassos - 1972

Dirigido por Carlos Alberto de Souza Barros

Elenco:

  • Jardel Filho
  • Darlene Glória
  • Francisco Di Franco
  • Jorge Dória
  • Milton Moraes
  • Ana Maria Magalhães
  • Fábio Sabag
  • Ana Maria Miranda
  • Wilson Grey
  • Mário Petraglia
  • Carlos Alberto de Souza Barros
  • Hélio Fernando
  • Armando Riggo
  • Sérgio Malta
  • Sindoval Aguiar
  • Raquel Di Biasi

Um professor universitário em conflito com um mundo agressivo e com o desespero de uma mulher que se envolve com ele.

 

 

Assuntina das Amérikas (1976)

 Direção: Luiz Rosemberg Filho

Elenco: Nelson Dantas, Jairzinho Graça, Xuxa Lopes, José Celso Martinez Corrêa

 A vida de uma prostituta que quer ser atriz, retratada em um período de 24 horas. Desde o momento em que acorda até o fim da noite, ela experiencia eventos cotidianos que a fazem refletir sobre como são turbulentos os anos 1970. Ela briga com a mãe, que não tem marido, enquanto desmoraliza o filho, que não tem pai. Depois, parte para seus encontros diários com as mais diversas figuras, que incluem um Papai Noel, um Urso Azul e duas amiguinhas. Finalmente, para encerrar o dia, ela se encontra com um amante velho e milionário, com quem ela tem mais do que um simples relacionamento profissional.  

 

Resultado de imagem 

Cuidado Madame (Julio Bressane, 1970)

Em CUIDADO MADAME, o crime e as temáticas populares voltam a figurar como elementos-chave de sua obra. Aqui, Helena Ignez, Maria Gladys e Susana Moraes vivem três empregadas que um dia resolvem se revoltar contra a sociedade que as oprime e começam a assassinar suas próprias patroas.

Elenco:

  • Maria Gladys
  • Helena Ignez
  • Suzana de Moraes
  • Renata Sorrah 

OS INCONFIDENTES (1972)

Um grupo de intelectuais e integrantes da elite brasileira se une para libertar o país da opressão portuguesa. Dos engajados no movimento, Tiradentes é o que está disposto a levar a revolução às últimas consequências.

Dirigida por Joaquim Pedro de Andrade

Elenco:

  • José Wilker .... Tiradentes
  • Luiz Linhares .... Tomás Antônio Gonzaga
  • Paulo César Peréio .... Alvarenga Peixoto
  • Fernando Torres .... Cláudio Manuel da Costa
  • Carlos Kroeber .... tte-cel. Francisco de Paula Freire de Andrade
  • Nelson Dantas .... côn. Luís Vieira da Silva
  • Margarida Rey .... Marília de Dirceu
  • Susana Gonçalves .... rainha Maria I de Portugal
  • Carlos Gregório .... José Álvares Maciel
  • Wilson Grey .... Joaquim Silvério dos Reis
  • Fábio Sabag .... Visconde de Barbacena

Resultado de imagem para chumbo quente léo canhoto e robertinho

Chumbo Quente - Léo Canhoto e Robertinho (1977)

Dirigido por: Clery Cunha

Elenco:

  • Durvalino De Souza Coronel Lucas
  • Léo Canhoto Leonardo
  • Márcia Fraga Marina
  • Robertinho Berto
  • Tony Santos Corvo
  • Arlete Moreira
  • Armando Paschoallin Jeremias
  • Carlos Aguiar Padre Miguel
  • Cavagnole Neto Julião
  • Eva Paiva
  • Hércules Breseghelo Rodrigo
  • Jesse James Costa Zico
  • José Lopes Índio

O Coronel Lucas tenta de todas as formas se apossar das terras do Delegado Julião. Rodrigo, seu filho, apaixonado por Marina, em um ato de desespero sequestra a moça no dia do casamento, matando o Delegado no processo. É quando a dupla Berto e Leonardo (a dupla sertaneja Leo Canhoto e Robertinho) sai em busca dos criminosos para resgatar Marina.

Imagem relacionada

O PORÃO DAS CONDENADAS (1979) / Depositfiles / Minhateca

Direção de Francisco Cavalcanti

Elenco:

Lirio Bertelli

Francisco Cavalcanti

Joana de Oliveira

Sônia Garcia

Maximino Garducci

Jean Garrett

Henrique Guedes

Ruy Leal

Noêmia Lemes

Marly Machado

João Paulo Ramalho (como João Paulo)

Iolanda Silva

Madalena Silva

Roney Wanderley

Contrariando a vontade paterna, Marta, moça de família rica, foge de casa para se casar com Soares, um camponês. Inconformados, seus irmãos decidem persegui-la para evitar a união. Após cinco anos de busca, os irmãos conseguem localizá-la. Decididos a levar de volta a irmã, eles acabam matando Soares e ferindo gravemente Júlio, o pequeno filho do casal. Criado por José, irmão de Soares, Júlio torna-se exímio atirador e recebe a missão de vingar a morte do pai. Marta, desde o rapto, vive enclausurada num quarto na casa da família, lamentando a morte do marido e do filho, que também julga morto. São passados trinta anos e Júlio decide que é chegada hora de assassinar os irmãos de Marta, que vivem do lenocínio e do tráfico de mulheres. Ao final da luta, Júlio reencontra e liberta a mãe e as mulheres exploradas pelos tios.  

 

Ana Terra - 1971 / MINHATECA

Em fins da década de 1770, durante o Império, e com a destruição das missões jesuítas, o fazendeiro paulista Manuel Terra leva sua família - a esposa Henriqueta e os filhos Antonio, Horácio e Ana - para uma área gaucha de fronteira onde organiza uma estância de criação de gado e plantação de milho. Constantemente ameaçados pelos bandoleiros armados e grupos de índios sobreviventes das missões ("bugres"), além do temor de invasão por parte dos países de língua espanhola (os "orientais"), Manuel só pode contar com ele e seus filhos e a proteção esporádica das milícias para se defender, uma delas comandadas pelo Major Bandeira. Certo dia, a família socorre um mestiço índio ferido a bala, Pedro Missioneiro, ex-tenente de Bandeira, tencionando mandá-lo embora logo que consiga andar novamente. Mas quando se recupera, Pedro permanece com a família como um valoroso ajudante nos serviços da estância, além de fascinar Ana Terra com sua religião, artes e alfabetismo que aprendera na missão.

Direção: Durval Garcia

Elenco:

  • Rossana Ghessa.... Ana Terra
  • Geraldo Del Rey.... Pedro Missioneiro
  • Pereira Dias.... Manuel Terra
  • Vânia Elisabeth.... Henriqueta
  • Naide Ribas.... Antônio
  • Antonio Augusto Fernandes.... Horácio
  • Rejane Schumann.... Eulália
  • Carlos Castilhos.... Major Bandeira
  • Pedro Machado.... chefe dos bandoleiros
  • Antônio Augusto Fagundes Filho.... Pedrinho
  • Gilberto Nascimento
  • Alexandre Ostrovski
  • Augusta Jaeger
  • Maximiliano Bogo

 

Xica da Silva - 1976 / MINHATECA

Segunda metade do século XVIII. Xica da Silva (Zezé Motta) era uma escrava que, após seduzir o milionário João Fernandes (Walmor Chagas), se tornou uma dama na sociedade de Diamantina. Ela passou a promover luxuosas festas e banquetes, algumas contando com a exibição de grupos de teatro europeus. Sua ostentação fez com que sua fama chegasse até a corte portuguesa.

Um filme de Carlos Diegues com Zezé Motta, Walmor Chagas, Altair Lima, Elke Maravilha.

 

Resultado de imagem para o trapalhão no planalto dos macacos

O Trapalhão no Planalto dos Macacos (1976)

Dirigido por J.B. Tanko

Elenco:

  • Renato Aragão .... Conde
  • Dedé Santana .... Alex
  • Mussum .... Guarda Azevedo " Guarda Azevedis"
  • Alan Fontaine .... Rodrigo
  • Rosina Malbouisson .... Rainha Cacenique
  • Carlos Kurt .... Macaco Guerreiro / Prof. Bicard
  • Fátima Leite .... Ula
  • Renato Bastos
  • Vera Capua
  • Milton Carneiro .... Seu Delegado
  • Olívia Pineschi .... N'Komo
  • Índio Colombiano
  • Youssef Salim Elias .... Velho Macaco
  • Ferreira Duarte
  • Edson Farias
  • Afonso Brazza

Paródia livre e escrachada de O Planeta dos Macacos (1968), este filme coloca Didi, Dedé e Mussum numa aventura em terras habitadas por símios. Antes, ainda no Rio de Janeiro, há uma sucessão de acontecimentos aleatórios, como o surfe acidental de Conde (Renato Aragão) no dorso de um tubarão e o pandemônio protagonizado pelos Trapalhões e por uma gangue de assaltantes. Esse começo serve apenas para os personagens se encontrarem. Nada ali é muito importante, embora seja evidente a vontade do diretor J.B. Tanko de tornar tudo menos dependente da comédia física. Ele faz da câmera um componente criativo da construção narrativa. Nesse sentido, o uso da perspectiva subjetiva se sobressai em O Trapalhão no Planalto dos Macacos, principalmente nas cenas em que somos apresentados ao Guarda Azevedo (Mussum), figura que não demora a roubar a cena com sua autoridade embananada.

Tem-se aqui um esboço de quarteto, já que, além do trio mencionado, sobe no balão rumo à localidade estranha o piloto Rodrigo (Alan Fontaine) que, a bem da verdade, tem pouca participação efetiva na trama, a não ser tornar-se alvo da rainha dos macacos, por ele apaixonada, e se envolver com uma humana nativa. De qualquer maneira, mesmo na condição de figurante de luxo, ele ajuda a configurar uma dinâmica que mais adiante ganharia o aporte significativo do talento de Zacarias. Feito prisioneiro, sobretudo por um grupo de radicais, o grupo precisa arrumar um jeito de voltar para casa. O Trapalhão no Planalto dos Macacos tem aquele gosto de farsa ligeira, para ser consumida no calor de cada esquete constituída de sucessivas gags. Embora progrida em função de uma história com início, meio e fim, sua relevância reside nos segmentos. Isso abre espaço para incongruências e o aceite dos absurdos nos quais acabamos embarcando.

O Trapalhão no Planalto dos Macacos é o primeiro longa-metragem em que Mussum contracena com Didi e Dedé, colegas de vários trabalhos posteriores. Seu carisma é suficiente para transformar um papel aparentemente pequeno num dos pilares do filme. Renato Aragão, outra vez o protagonista evidente, deita e rola com o espaço que o roteiro lhe concede, destacando-se tanto no que diz respeito às tiradas verbais – algumas, inclusive, que ele carregou durante toda carreira, como “ô psit” e “é fria!” – quanto às peripécias físicas, vide saltos, cambalhotas e demais truques que potencializam o efeito cômico. No mais das vezes apagado, Dedé só ganha relevância quando vira macaco, primeiro, por imposição dos captores, e, segundo, para se infiltrar nos domínios do inimigo a fim de aumentar as chances de fuga. A direção de arte faz do limão uma limonada, driblando o desfavorável com inventividade.

De determinado ponto em diante, mais precisamente a partir da prisão dos humanos, O Trapalhão no Planalto dos Macacos abandona de vez as tentativas de fazer sentido, privilegiando as piadas e o ritmo frenético que nutrem, de certa forma, sua veia aventureira. Parodiar exemplares hollywoodianos de sucesso foi algo constante na trajetória cinematográfica dos Trapalhões, em produções ora próximas, ora bastante distantes das originais. Neste filme temos do americano somente a ideia de um lugar habitado por macacos falantes e inteligentes, nada mais. Há a paixão da rainha símia pelo humano, a tirania do antagonista com ares de vilão e a obsessão do personagem de Aragão pelas pérolas locais. Mas o verdadeiramente válido, e que diz respeito à forma acima do conteúdo, é a interação entre Didi e Dedé, sendo este escada àquele, e a feliz adição de Mussum, dali em diante imprescindível à trupe.

Resultado de imagem para o azarento um homem de sorte

O Azarento, Um homem de Sorte (1973) / Minhateca

Direção: João Bennio

ELENCO
Geraldo Alves
Cláudia Aparecida
Rodolfo Arena
Sandra Barsotti
João Bennio
Henriqueta Brieba
Pascoal Guida
Joshey Leão
Antonio Segatti

Numa fazenda do interior, um rapaz é evitado por todos pela fama de azarento que o acompanha. Desgostoso, ele resolve se mudar para uma cidade grande. À sua chegada surgem incêndios, acidentes, engarrafamentos, a ponto de se declarar estado de calamidade pública. Ele é identificado pela imprensa como a causa dos desastres, deixando a população atemorizada. Ao comprar um sapato com sola de borracha, seu azar é isolado. Descobrindo nisso uma fonte de propaganda, o fabricante de calçados entra em fase de grandes negócios. O ex-azarento transforma-se numa máquina publicitária e aqueles que o odiavam passam a amá-lo como um ídolo.

Mágoa de Boiadeiro (1978) / MINHATECA

Diogo (Sérgio Reis), é um peão boiadeiro, revoltado com a chegada do progresso a sua pequena cidade no interior de São Paulo. Com o progresso chegaram os caminhões, que agora transportam os bois, com isso Diogo e seus amigos perdem seus empregos. Para piorar a situação, Mariana, o amor de sua vida, fora violentada por um caminhoneiro e teve um destino trágico.

Elenco:

  • Sergio Reis.... Diogo
  • Liana Duval
  • Mali Rocha
  • Zé Coqueiro
  • Carlos Alberto
  • Maria Viana
  • Eduardo Abbas
  • Marcos Miranda
  • Turíbio Ruiz
  • David Netto

Dirigido por Jeremias Moreira Filho

Resultado de imagem para luar do sertão filme

Luar do Sertão (1971) / Minhateca

Numa cidadezinha do interior paulista, todos vivem felizes: Tinoco e sua noiva Joana, 
Pirulito e Nhá Barbina. Um dia chegam os homens encarregados de abrir uma estrada de 
ferro e, com eles, os aborrecimentos. Paulo, um dos engenheiros, tenta afastar Joana 
de Tinoco. Este é acusado do roubo do dinheiro dos operários e vai preso. 
Tonico pressiona o delegado a investigar o caso, para que Tinoco prove sua inocência.

Direção: Oswaldo de Oliveira

ELENCO

Tonico
Tinoco
Petrus Bakker
Nhá Barbina
Marlene Costa
Wilson Louzada
Pirolito

Soledade - A Bagaceira (1976) / MINHATECA

Dirigido por: Paulo Thiago

Elenco:

  • Carlos Kroeber
  • Emmanuel Cavalcanti
  • Jofre Soares
  • José Marinho
  • Maria Ribeiro
  • Maurício do Valle
  • Nautília Mendonça
  • Nelson Xavier
  • Ney Santanna
  • Rejane Medeiros
  • Roberto Bonfim
  • Rosa Maria Penna
  • Sávio Rolim
  • Waldemar Solha

Engenho é modernizado pelo filho do senhor, que passa a sofrer represálias do pai. O rapaz vai estudar na capital e, com a morte do governador João Pessoa, volta para o engenho e sua amada, Soledade, para implantar a revolução nos canaviais.

Resultado de imagem para Quando as Mulheres Querem Provas

Quando as Mulheres Querem Provas (1975)

Direção: Cláudio MacDowell

Elenco:

  • Carlo Mossy... Bira
  • Rossana Ghessa... Marta
  • Henriqueta Brieba... Violeta
  • Rodolfo Arena... Arquimedes
  • Iara Stein... Verônica
  • Shulamith Yaari... Terry
  • Tutu Guimarães... Brigite
  • Hugo Bidet... Dr.Sampaio
  • Fernando José... Antônio
  • Black John... Jorge
  • Dita Côrte-Real... Penha

É comum para boa parte de críticos ignorantes e público idem colocar todo o cinema popular no balaio da pornochanchada, quando sabemos que ele abriga todo um leque variado de gêneros. E mesmo a pornochanchada jamais poderia ser sinônimo de mal cinema, quando, na verdade, o gênero abriga também tantos filmes deliciosos. Como esse Quando as Mulheres Querem Provas.

Dirigido por Cláudio MacDowell e produzido pela Vydia de Carlo Mossy, que faz o protagonista, Quando as Mulheres Querem Provas tem na bula tudo o que as pornochanchadas prezavam: um galã comedor, sexo sem elucubrações, muita cena de cama, e muita mulher com peitinho de fora. Pois seguindo à risca esses mandamentos, o filme pode não ser dos melhores do gênero, mas diverte e prende a atenção.

Quando as Mulheres Querem Provas foi rodado em Vitória, no Espírito Santo, geografia pouco explorada pelo cinema da época, e mesmo o atual, e aqui não se destaca sob a lente da fotografia de José Rosa. Na trama, Carlo Mossy é Bira, um carioca em férias em Vila Velha, onde se hospeda no hotel de um amigo . É nesses domínios que vai conhecer um casal em crise, Stan Cooper e Rossana Ghessa, e fica fascinado pela psicanalista Verônica, interpretada por Yara Stein, casada com o Dr. Sampaio, de Hugo Bidet.

Só que a fama de garanhão de Bira  vai ser maculada por uma confusão envolvendo uma cena de aparente homossexualidade e será divulgada pela cidade inteira, despertando interesse em várias mulheres, as tais que vão querer as tais provas do título.

Como ambiente para os quiproquós de Quando as Mulheres Querem Provas, o hotel é um caso a parte, pois cenário para desfile de toda uma fauna de personagens à volta com sexo. Dentre eles um casal formado por Henriqueta Brieba e Rodolfo Arena, que briga o tempo todo  – e ninguém faz velho ranzinza melhor que o GRANDE Rodolfo Arena.

Há ainda Pedro de Lara, que encarna o moralista de plantão, fazendo discursos, se sacudindo todo, e levando sempre o buquê de flores de praxe.

Pura diversão.

Resultado de imagem para o bom marido filme

O Bom Marido (1978) / MINHATECA

Dirigido por Antônio Calmon

Elenco:

  • Paulo César Pereio.... Afraninho
  • Maria Lúcia Dahl.... Malu
  • Sandra Pêra
  • Nuno Leal Maia
  • Helber Rangel
  • Misaki Tanaka

O filme conta a história de um homem que, para manter seu alto padrão de vida, monta um serviço de atendimento a clientes estrangeiros, no qual sua esposa é o produto oferecido. 

 

Resultado de imagem para uirá um indio em busca de deus filme

Uirá, Um Índio em Busca de Deus (1973) / MINHATECA

O filme foca a trajetória de Uirá, um índio Urubu-Kaapor, na busca pela "terra sem males". A aventura começa após a morte de seu primogênito, quando ele e sua família decidem sair em busca de Maíra, o Herói criador nas culturas Tupi. Nesse processo, Uirá atravessa o interior do Maranhão e chega à capital, São Luís.

Dirigido por Gustavo Dahl

Elenco:

  • João Borges
  • Gustavo Dahl
  • Capitão João
  • Ana Maria Magalhães.... Maíra
  • Érico Vidal.... Uirá
  • Ana Zilda 

Resultado de imagem para os trombadinhas

Os Trombadinhas (1979)

Dirigido por Anselmo Duarte

Elenco:

  • Pelé …ele mesmo
  • Paulo Goulart …Doutor Frederico
  • Ana Maria Nascimento e Silva ...Arlete
  • Raul Cortez ...Juiz
  • Paulo Villaça …Detetive Bira
  • Francisco Di Franco …Renato
  • Kátia D'Ângelo …Ana Maria
  • Paulo Duarte …Moleque de Rua

Um bem sucedido empresário decide modificar a vida das crianças abandonadas que praticam furto em São Paulo, os chamados "trombadinhas" (gíria para menores que derrubam as pessoas nas ruas para as roubarem enquanto estão caídas). Porém, a polícia o desencoraja, pois dizem que raramente os trombadinhas agem por conta própria, e que em geral, são comandados por marginais de maior idade que exploram a impunidade dos menores para agir. O empresário então entra em contato com o ex-jogador Pelé, que resolve colaborar com a polícia e ajudar a redimir as crianças delinquentes alocando-as aos projetos sociais do empresário e outros, inclusive levando algumas para treinarem futebol. A partir daí, Pelé faz de tudo para prender os marginais que comandam os trombadinhas e tirar os menores abandonados das ruas.

O Cortiço (1978) / MINHATECA

Baseado no livro homônimo de Aluísio Azevedo.A história de dois portugueses que vivem no Rio de Janeiro, no século XIX: um trabalhador e que casa com uma negra tratada por ele como uma escrava; e outro que vive à beira da malandragem e se envolve com uma disputada mulata, vivendo um romance que o levará ao crime.

Diretor: Francisco Ramalho, Jr.

Elenco:

  • Armando Bógus...João Romão
  • Betty Faria...Rita Baiana
  • Mário Gomes
  • Maria Alves
  • Maurício do Valle
  • Jorge Coutinho
  • Ítala Nandi
  • Beatriz Segall
  • Jacyra Silva
  • Zaira Zambelli
  • Antônio Pompêo
  • Helber Rangel
  • Sílvia Salgado
  • Carmem Monegal
  • Marco Antônio
  • Phydias Barbosa
  • Leonidas Bayer
  • Teresa Briggs
  • Dinorah Brillanti

Resultado de imagem para iracema uma transa amazonica nudez

Iracema - Uma Transa Amazônica (1976)

 Dirigido por Jorge Bodanzky e Orlando Senna

Elenco:

  • Paulo César Peréio .... Sebastião (Tião "Brasil Grande")
  • Edna de Cássia .... Iracema
  • Lúcio dos Santos
  • Elma Martins
  • Fernando Neves
  • Wilmar Nunes
  • Sidney Piñon
  • Rose Rodrigues
  • Conceição Senna

 O filme começa com a família de Iracema chegando de barco em Belém no Pará, para a festa do Círio de Nazaré. Mesmo com apenas quinze anos, ela permanece na cidade e começa a se prostituir, recebendo as orientações das mulheres mais velhas. Num cabaré, ela conhece o caminhoneiro Tião "Brasil Grande", que cruza a rodovia Transamazônica transportando madeira. Tião leva Iracema para suas viagens, até que se cansa dela e a deixa num prostíbulo de beira de estrada. Tempos depois, os dois se reencontram rapidamente. Tião parece ter melhorado de vida, está com um caminhão novo e agora transporta gado. Já Iracema está completamente entregue à prostituição e à miséria.

 

O Menino da Porteira (1976) / MINHATECA

Dirigido por Jeremias Moreira Filho

Elenco:

  • Sérgio Reis (Diogo)
  • Jofre Soares (Major Batista)
  • Márcio Costa (Rodrigo)

O peão boiadeiro Diogo (Sérgio Reis) traz uma grande boiada para vender ao major Batista (Joffre Soares), dono da Fazenda Ouro Fino. Antes de sua chegada, o peão decide descansar no Sítio Remanso, de Octacílio Mendes (Jorge Karam), local onde ele conhece o menino da porteira Rodrigo (Márcio Costa), com quem simpatiza. Diogo acaba descobrindo que o major quer controlar todos os preços da região e ele, irritado, se volta contra o peão. A raiva só aumenta quando ele descobre que sua enteada Juliana (Maria Viana) se apaixona por Diogo e o poderoso declara guerra ao desafeto, que agora conta com a ajuda da população da região, que luta por justiça.

 

Betão Ronca Ferro (1970) / Minhateca

Direção: Geraldo Affonso Miranda e Pio Zamuner

Elenco:

  • Mazzaropi - Betão
  • Geny Prado
  • Dilma Lóes
  • Roberto Pirillo
  • Araken Saldanha
  • Tony Vieira
  • Dina Lisboa
  • Cláudio Roberto Mecchi
  • Gilmara Sanches
  • Milton Pereira
  • Yaratan Lauletta
  • Carlos Garcia
  • Henricão
  • Judith Barbosa
  • Rogério Câmara
  • Augusto César Ribeiro
  • Fábio Vilela Ribeiro
  • Quinzinho
  • Zequinha
  • Aristides Marques Ferreira
  • Cleusa Maria
  • José Velloni
  • Linda Fernandes
  • o macaco Bob

As paródias que Mazzaropi fez em sua carreira aconteciam mais pelo título ou pela aproximação temática, mas nunca pela essência do enredo. Quer dizer, Mazzaropi queria tirar proveito de certas constantes do gosto popular à época, mas sempre fiel ao seu estilo de fazer filmes, nunca fazendo concessões.

Uma pistola para D'Jeca tem pouco ou quase nada de Django; O Exorcista pouca coisa acrescentou aos filmes Jeca Macumbeiro e Jeca contra o Capeta. Logo, a novelaBeto Rockefeller, fenômeno extraordinário da TV brasileira entre os anos de 1968 e 1969, nada tem a ver com este Betão Ronca Ferro.

É, sem sombras de dúvida, o filme mais "sincero" de Amácio Mazzaropi. Ele presta uma grande homenagem aos artistas mambembes e ao circo. O circo foi sua iniciação artística, sua escola, e, para todos os efeitos, as influências artísticas que Mazzaropi sofrera vieram do picadeiro. É inegável o amor que Mazzaropi tem às artes circenses; o filme é todo contemplação e festa em mostrar os números sob a lona, o riso da plateia, o esperado aplauso.

O circo sempre teve uma posição interessante para o cinema. Desde O Circo (1928) de Chaplin ao popularesco Os saltimbancos trapalhões (1981), esta representação artística autenticamente popular foi homenageada com um quê de mágico.

Betão Ronca Ferro soa um tanto quanto autobiográfico. E aqui parece que tanto o seu jeitão histriônico de atuar quanto a trilha sonora de fanfarra de Hector Lagna Fietta se justificam extraordinariamente, se encaixam com incrível justeza.

O Grande Xerife (1972) / MINHATECA

Direção: Pio Zamuner

Elenco:

  • Amácio Mazzaropi...Inácio Pororoca
  • Patrícia Mayo .... Terezete
  • Paulo Bonelli .... João Bigode
  • Araken Saldanha
  • Paulette Bonelli .... Mariazinha
  • Tony Cardi
  • Ester de Oliveira
  • Rogério Câmara
  • João Batista de Souza
  • Wanda Marchetti .... Mulher do Prefeito
  • Carlos Garcia
  • Carlos Roberto Mechi
  • José Matheus
  • Argeu Ferrari
  • Judith Barbosa
  • Cavagnoli Netto .... delegado
  • Nena Viana
  • Gentil Rodrigues
  • Jose Veloni
  • Linda Fernades

Há dois símbolos que realmente marcaram a filmografia de Mazzaropi. Se nos primeiros filmes, seus personagens sempre ficaram marcados com um veículo caindo aos pedaços, nos seus filmes mais recentes, a vez ficaria para uma espingarda torta.

É realmente incrível que, em tempos de radicalização política, Mazzaropi colocasse nas mãos de um xerife uma espingarda torta para colocar a ordem e a paz na pequena Vila do Céu. Se Amácio Mazzaropi fosse um expoente do Cinema Novo, poderíamos até ajustar os óculos nos olhos e supor, superiores, uma sátira aos métodos truculentos da Ditadura... Ou a incapacidade de defesa do povo... Mas, quem sabe?

O Grande Xerife é um bangue-bangue pastelão com suas tinturas de comédia. Inácio Pororoca (Mazzaropi) é chefe do correio local, viúvo e pai de Mariazinha, uma caipirinha meiga. Por ser chefe dos correios e o mais antigo morador de Vila do Céu, Pororoca sabe da vida da cidade inteira, inclusive das autoridades.

É aí que chega em Vila do Céu o bandido João Bigode, que mata o xerife da cidade e, por gozação, acaba nomeando Pororoca em seu lugar. O que era para ser uma brincadeira acaba sendo levado a sério pelos moradores e pela administração de Vila do Céu. Armado com uma espingarda torta, o xerife Pororoca se meterá em muitas confusões para colocar João Bigode atrás das grades.

Engraçado é que João Bigode acaba se disfarçando de padre para fazer seus crimes e não ser pego pela Polícia. Com sua insistência em pedir dinheiro aos fiéis para reformar a igreja, acredito que O Grande Xerife geraria muito mal-estar se fosse estreado atualmente, com os nossos sempre evidentes pastores-empresários e a polêmica Teologia da Prosperidade.

Um Caipira em Bariloche (1973) / MINHATECA

Direção: Amácio Mazzaropi e Pio Zamuner

Elenco:

  • Amácio Mazzaropi ... Polidoro
  • Geny Prado ... Duvige, esposa de Polidoro
  • Edgard Franco ... Zé Luís
  • Beatriz Bonnet .... Nora, a moça argentina
  • Ivam Mesquita...Agenor
  • Fausto Rocha...Antonio
  • Analu Graci
  • Maria Luiza Robledo
  • Carlos Garcia...Virgílio
  • Judith Barbosa .... Filha de Polidoro
  • Paulo Sérgio(participação especial) interpretando a música: Todo mundo cantando, de Tony Damito
  • Elza Soares(participação especial) interpretando a música: "Rio, carnaval dos carnavais" de Padeirinho, Nilton Russo e Moacir

Aí Mazzaropi resolve "internacionalizar" o seu Jeca. Primeiro filme do comediante paulista rodado fora do País, "Um Caipira em Bariloche" nos causa uma certa estranheza.

Apesar de todos os elementos repetitivos que compõem a sua filmografia, o fazendeiro ingênuo, o "maniqueísmo quadrado", e tantas outras coisas, o que nos chama a atenção é, justamente, a insistência em retratar circunstâncias de desajustes familiares.

Até mesmo o intransigente Polidoro (Mazzaropi) tem seu momento de derrapagem moral, ao esboçar um pular de cerca em uma noite de máscaras. Aliás, a cena do baile de máscaras contém uma das sequências mais cômicas e engenhosas de todos os filmes de Mazzaropi.

Com locações e filmagens em Bariloche, na Argentina, Mazza arranca uma certa poesia nas cenas onde o caipira tenta desastradamente esquiar na neve.

Com uma fotografia excêntrica, que às vezes deforma a imagem das paisagens, dando em muitos momentos uma tosca atmosfera de sonho, "Um Caipira em Bariloche" é uma curiosa e eficaz maneira que Mazza encontrou de "inovar" sem sair da sua congelada "tradição" de fazer filmes. 

Jecão Um Fofoqueiro No Céu (1977) / MINHATECA

Direção:

Pio Zamuner
Amácio Mazzaropi

Elenco:

  • Amácio Mazzaropi… Jecão
  • Geny Prado… Cesariana (esposa de Jecão)
  • Paulo Castelli… Martinho (filho de Jecão)
  • Dante Ruy… Chico Fazenda
  • Gilda Valença… Margarida (esposa de Chico Fazenda)
  • Denise Del Vecchio… Jaqueline (filha de Chico Fazenda)
  • Edgard Franco… Robertão (capataz de Chico Fazenda)
  • Elizabeth Hartmann… freira do orfanato
  • João Paulo Ramalho... delegado
  • Leonor Navarro… Joly
  • Antônio Malhone - Pirulito... Nhonhô, amigo falecido de Jecão no céu
  • Rose Garcia… anjo da guarda de Jecão
  • Armando Paschoalim… São Pedro
  • André Luís Toledo... escrivão da delegacia
  • Paulo Celso Toledo... Santo Antônio
  • Argeu Ferrari... Seu José, dono da Pensão
  • José Velloni... Prefeito
  • Augusto César Ribeiro... Padre
  • Carlos Garcia... Seu Carlos, dono do Bar
  • Carlos Garcia Jr....criança no bar
  • Oswaldo Leonel - Mazzinha... dublê de Mazzaropi
  • Ballet Ismar Guiser... cena da dança no Inferno
  • Luiz Homero... médico da maternidade
  • Nena Viana... empregada da fazenda

Ao descrever o cotidiano das pessoas do campo, Mazzaropi retrata com muito humor a religiosidade dessa gente, uma mistura realmente curiosa de catolicismo popular com o espiritismo. Talvez seja até para tornar verossímil o uso de certos elementos católicos (céu, inferno, anjo, demônio) e espíritas (reencarnação, fantasmas, assombrações).

A trama é simples. Jecão e seu filho Martinho vão a São Paulo para receber o dinheiro que ganharam da Loteria Esportiva. Ao regressarem à sua cidadezinha de Saracutica, são recebidos festivamente. No entanto, a fortuna desperta a cobiça de um fazendeiro da região, Chico Fazenda. Em uma das muitas tentativas de assaltá-lo, um dos capangas acaba por matar Jecão que, por suas boas ações, vai para o Céu. E lá, Jecão vive a dupla aventura de tirar do Céu toda a "chatice", e na Terra de prender o assassino.

O que chama a atenção são os cenários, feito numa simplicidade bem ao estilo do caipira. Dói constatar que, dos mesmos estúdios que saiu toda aquela soberba de Casinha Pequenina, tenha saído esse teatrinho filmado. Plasticamente falando, para ser bondoso, é um filme naïf por excelência na carreira de Mazzaropi.

É realmente impossível não traçar paralelos com o Jecão e o Amácio Mazzaropi que foi na vida real. Desde Nadando em Dinheiro (1952) que Mazzaropi vem pregando uma espécie de mal inerente no dinheiro, de que pobre quando fica rico acaba sofrendo uma quantidade inimaginável de infortúnios. Ele que foi, talvez, o nome mais bem-sucedido do cinema brasileiro, que, praticamente sozinho, montou uma verdadeira indústria para conceber, produzir e distribuir suas películas. Em outras palavras, tornou-se um homem muito rico.

Fazer humor com signos religiosos tornou-se uma coisa perigosa nos dias atuais, coisa que Mazzaropi pareceu se dedicar com maior apetite em suas últimas histórias. Jecão... um fofoqueiro no Céu é, de certa forma, continuação de O Jeca Macumbeiro (1974), a paródia mazzaropiana de O Exorcista (Friedkin, 1973).

O Jeca Macumbeiro (1974) /  MINHATECA

Direção:

Pio Zamuner
Amácio Mazzaropi

Elenco

  • Amácio Mazzaropi… Pirola
  • Gilda Valença… Ignácia
  • Joffre Soares… Januário
  • Selma Egrei… Filomena
  • Ivan Lima… Mário
  • José Mauro Ferreira… Zé
  • Maria do Roccio… Ester
  • Aparecida de Castro
  • Felipe Levy
  • Broto Cubano
  • Araken Saldanha
  • Jair Talarico
  • Pirolito
  • José Velloni
  • Miltinho

Possivelmente o pior filme de Amácio Mazzaropi. Talvez porque tenha sido capa da revista Embrafilme ao ganhar o prêmio de campeão de bilheteria, que o "cineasta das multidões" tenha relaxado mais ainda a mão.

Já foi dito várias vezes que os últimos filmes de Mazzaropi vão deixando de ser filmes, e se tornando uma espécie de circo-teatro filmado. É engraçado que, ao lado de uma equipe de técnicos considerada uma das melhores do País, e utilizando recursos muito à frente daquilo que os outros cineastas dispunham, Mazzaropi conseguisse descuidar do argumento, do roteiro e da direção.

Pirola é um pobre caboclo, que recebe a inusitada visita de um amigo seu, o velhinho Nhonhô. Nhonhô pressente a morte, e dá de presente ao pobre matuto um saco cheio de dinheiro. Pirola não sabe o que fazer com o dinheiro, e acaba confiando o saco para o seu patrão, Januário (Joffre Soares).

O personagem de Joffre Soares é um pai-de-santo fajuto, às portas da falência, que acaba tramando algo para ficar com o dinheiro do pobre Pirola. O restante do filme é um amontoado de tentativas de Pirola para reaver o dinheiro.

Com o sucesso comercial de "O Exorcista" [William Friedkin, 1973], houve uma enxurrada de filmes que apelavam para o sobrenatural, que vai desde o pornô "The devil in Miss Jones" [Gerard Damiano, 1973] ao terror tupiniquim de "O Exorcismo Negro" [José Mojica Marins, 1974].

É tirando proveito dessa situação que Amácio Mazzaropi não só faz um filme "sobrenatural", mas contrata um dos atores do filme de Zé do Caixão, o Joffre Soares, para fazer papel do macumbeiro impostor.

O Jeca Macumbeiro irrita com suas longas tomadas de possessão de mentirinha. O casamento flutuante da filha de Pirola com o filho de Januário, a mãe portuguesa maligna, Januário que enrola com aquele saco de dinheiro, a trupe de cangaceiros que, de tão bondosa, chega a ser inumana... tudo isso chega a enfastiar.

Como se não bastasse, o maestro Lagna Fietta nos dá seu tiro de misericórdia, com a horrorosa canção "Lavadeiras do Amor", que mais parece um daqueles machistas e coloridos comerciais radiofônicos dos anos 1950.

Será que tanto relaxo aconteceu porque Geny Prado não contracenara com Mazzaropi? Aliás, por que ela não apareceu nesse filme?

 

Jeca e Seu Filho Preto (1978) / MINHATECA

Dirigido por Pio Zamuner e Berilo Faccio

Elenco:

  • Amácio Mazzaropi - Zé do Traque
  • Geny Prado - Maria Bomba
  • Yara Lins - Dona Cheirosa
  • Carmen Monegal - Laura
  • David Neto - Seu Rebouças
  • Joanes Dandaró - Seu Cheiroso
  • Elizabeth Hartmann - Carolina
  • André Luiz Toledo - Laurindo
  • Everaldo Bispo de Souza (Lobão) - Antenor
  • Leonor Navarro - Inocência (parteira)
  • Denise Assunção
  • Henricão
  • James Lins
  • Rose Garcia
  • Jair Talarico
  • José Velloni
  • Gilda Valença…Maria
  • Valter Mendonça Cris
  • Augusto César Ribeiro
  • João Paulo
  • José Luiz de Lima
  • Carlos Garcia…Juiz

Consta que, ao lançar Jeca e seu filho preto em abril de 1978, os críticos ficaram divididos. A audácia de Amácio Mazzaropi em discutir, à sua simplicidade, o racismo, não poderia passar despercebida aos olhos dos seus detratores mais xiitas.

Mazzaropi já tinha encarado seu trabalho como veículo em Jeca contra o Capeta(1975), ao debater o projeto de lei do divórcio. Ou melhor, ele não debate, simplesmente o condena desde o início e a história simplesmente segue o caminho para justificar a negativa.

É mais ou menos a mesma matéria de Jeca e seu Filho Preto, embora aborde o problema do racismo e o alia às diferenças sociais e culturais, ao insistir na personalidade maligna e retrógrada de Cheiroso. Zé (Mazzaropi) é um empregado de Cheiroso, e possui um filho negro, Antenor, que, apesar do amor e da educação que recebeu, ainda desperta desconfianças de ser realmente seu filho.

Antenor namora desde criança a filha de Cheiroso, mas com o tempo, o que era brincadeira acaba tornando-se coisa séria. Os dois não conseguem ocultar por tanto tempo, e ao revelar o namoro acabam sofrendo uma artilharia pesada de racismo e discriminação por parte de muitos, principalmente de Cheiroso.

No final, se descobre que Cheiroso é pai de Antenor, fruto de um estupro. Ao morrer a mãe biológica de Antenor ainda no parto, a parteira usa de uma estratégia ridícula de dizer que era filho do Jeca. E é tratado como filho “natural” desde então.

A “revelação bombástica” do final esvaziou e muito o potencial de discussão do tema. Ainda que torne a figura de Cheiroso um pouquinho só mais complexo que os vilões monotons da filmografia mazzaropiana – pois fica no ar: ele impediu o casamento da filha por mero racismo ou porque sabia que ele era seu filho? – ainda assim a consanguinidade, embora funcionasse como um interessante elemento dramático, fez demolir o alcance da abordagem do filme.

Mas a ousadia temática de Mazza merece ser aplaudida de pé, mesmo com suas escandalosas limitações técnicas, seu humor já cansado, e Hector Lagna Fietta aproveitando pedaços de trilhas de outros filmes e costurando-os aleatoriamente, Mazzaropi consegue empurrar as massas à reflexão.

Jeca contra o Capeta (1975) / Minhateca

Direção: Pio Zamuner e Mazzaropi

Elenco:

  • Mazzaropi .... Poluído
  • Geny Prado .... Dona Poluição
  • Roberto Pirillo .... Augusto
  • Néa Simões .... Dionisía
  • Leonor Navarro .... Almeirinda
  • Rose Garcia .... Ritinha
  • Carlos Garcia .... Camarão
  • Jair Talarico
  • Jorge Pires
  • Aparecida de Castro
  • José Mauro Ferreira
  • Cavagnole Macedo .... Delegado
  • Fausto Rocha ... Jesus Cristo
  • José Velloni
  • Élcio Rosa
  • Aparecida dos Santos
  • Peter Pan

Mazzaropi fez um filme “apostólico”. Apesar do cansaço de suas últimas películas, do humor triste, desencantado e aborrecido, o comediante campeão de bilheteria ainda exploraria sua capacidade de inserção nas mais diversas camadas sociais ao debater um tema então em voga: o divórcio.

O que comprova que, mesmo sofrendo o desprezo da intelectualidade e vivendo uma espécie de autismo cinematográfico já de longos anos, Mazzaropi mantinha-se antenado com questões do seu tempo.

O título Jeca contra o Capeta é meramente sensacionalista e pouco se justifica. Há cenas deliberadamente paródicas em relação ao filme O Exorcista [William Friedkin, 1973], mas a matéria de Jeca contra o Capeta é a de funcionar justamente como um libelo contra o projeto de lei de divórcio (que só seria aprovado em 1977, com a Lei nº 6.515).

Embora conservador e de certa maneira panfletário, recorrendo inúmeras vezes à figura do Padre e até mesmo à de Jesus Cristo (ainda que meio hippie) para legitimar seu discurso, Mazzaropi fez um filme com um aspecto de western spaghetti, aspecto esse muito bem materializado pelas cenas de tiro, pancadaria e da morte de Camarão.

O assassinato do Camarão (em uma referência escancarada a um dos maiores sucessos do grupo carioca Os Originais do Samba) é o começo de toda a tragédia mazzaropiana. Acusado pela polícia de matá-lo, o ferreiro filho do Jeca tenta em vão provar sua inocência.

O ar supersticioso de Jeca contra o Capeta faz, em conjunto com os outros filmesJeca Macumbeiro (1974) e Jecão... um fofoqueiro no Céu (1977), aquilo que poderia se chamar de “trilogia de sobrenatural”. Não só pela aproximação temática e por serem produzidos na sequência, não só também pela insistência de determinados elementos da fé católica popular e do baixo espiritismo, mas pela tônica reacionária e moralizante de certas falas e situações.

É, porém, interessante observar a trilha sonora do filme. Abandonando a musiquinha de fanfarra circense, Hector Lagna Fietta nos surpreende ao elaborar um interessante tema musical, que imprime mistério em ótimas situações do filme, além soar parentesco a grandes trilhas de terror e suspense.

Portugal... Minha Saudade (1973) / Minhateca

Direção: Amácio Mazzaropi

Elenco:

  • Amácio Mazzaropi… Sabino/Agostinho
  • Gilda Valença
  • David Neto
  • Pepita Rodrigues
  • Fausto Rocha
  • Elizabeth Hartmann
  • Dina Lisboa
  • Ana Luisa de Barros Lancaster
  • Adelaide João
  • Júlio César
  • Marília Gama
  • Angela Maria

Portugal... Minha Saudade é o filme mais triste que Mazzaropi já fez.

Se comparando com Um Caipira em Bariloche, seu filme anterior, notamos que Mazzaropi insiste não só na "pegada" de "internacionalizar" o seu Jeca, como também em demonstrar desajustes familiares.

A diferença está, justamente, em vermos esta fórmula melhor trabalhada que na película antecessora.

É, talvez, o único filme de Mazzaropi em que a história consegue ser maior que o comediante; em que a trama consegue permanecer (do começo ao fim) em um plano muito acima que os trejeitos teatrais-circenses e a chulice ingênua do Jeca de Amácio Mazzaropi.

Afinal, o velho Mazza construiu boa parte de sua filmografia em cima de uma filosofia de "cinema de ator": filmes que eram ele, a sua comicidade, as suas falas, o seu jeitão na tela grande. E só.

Em Portugal... Minha Saudade, isso não acontece, vejam que interessante.

Esse é um filme que dificilmente se enquadraria na qualificação de comédia. O humor está pontuado aqui e ali, mas o que reina é o drama, em tudo: nas várias cenas de tragédias, dor, separação, morte, abandono, ingratidão, na trilha sonora plangente apesar de alguns momentos de luminosidade.

Desgraça pouca é bobagem no roteiro assinado por Amácio Mazzaropi. Neste que seria "um dramalhão deslavado" como o próprio comediante chamaria, o que marca é a versatilidade do ator em representar dois papéis distintos no filme, sem muito daquilo de caipira estilizado, histriônico e caricato que foi, por anos, a identidade constante de seus personagens.

É visualmente interessante e é também um filme de história tocante e marcante em toda a carreira de Amácio Mazzaropi.

Resultado de imagem para a banda das velhas virgen

A BANDA DAS VELHAS VIRGENS (1979) / Minhateca

Direção: 

Pio Zamuner
Amácio Mazzaropi

Elenco:

  • Amácio Mazzaropi.... Ananias Gostoso
  • Geny Prado ... Dona Generosa
  • Renato Restier ...Seu Gerôncio
  • André Luiz Toledo ... Nestor
  • Cristina Neves ... Dorinha
  • Marcos Wainberg ... Raul
  • Heloísa Raso ... Marina
  • Felipe Levy .... Padre
  • Gilda Valença ...Dona Mercedes
  • Denise Assunção ... empregada da Fazenda
  • Aparecida Baxter ... esposa de seu Gerôncio
  • Paulo Pinheiro ... delegado
  • Will Damas ... ladrão das joias
  • José Velloni ... detetive
  • Guiomar Pimenta ... velha que quer tocar na Banda
  • Carlos Garcia ... dono do bar (na praia)
  • Leonardo Camilo ... caipira que gosta de Dorinha
  • Antonio Rodi ... caipira que gosta de Dorinha
  • Edson Gallo ... caipira que gosta de Dorinha
  • Augusto César Guará
  • Douglas Tadeu

Não é raro que Mazzaropi associe seu humor a certa chulice, e dessa associação mostre ao público uma inusitada poesia. Se em épocas onde a produção cinematográfica nacional se resumia apenas às pornochanchadas, um título como"A Banda das Velhas Virgens" parece querer apenas tirar proveito da moda do momento.

Em busca de um efeito dramático, Mazzaropi pesa a mão no enredo. Gostoso (Mazzaropi) é regente de uma bandinha formada por beatas idosas. Gostoso também trabalha para um fazendeiro ganancioso chamado Gerôncio. Tem dois filhos. A filha, Dorinha, que namora Raul, o filho do patrão... e Nestor um rapaz, de cadeira de rodas, que namora a filha do patrão...

Está bem que Mazzaropi mostra ousadia em fazer um filme que tenta pôr em pauta a inserção social dos deficientes físicos. Mas parece usar isso como um instrumento para o drama fácil, o que irrita ao colocar a namoradinha de Nestor como uma inescrupulosa que usa o rapaz apenas para se "libertar" das amarras do pai.

Todo esse namoro provoca a fúria de Gerôncio. Gostoso, expulso das terras de Gerôncio, acaba morando no lixão. O que mais uma vez nos deixa de calça justa: a ousadia de Mazzaropi em retratar a disparidade social das pessoas além da linha da miséria que apostam na reciclagem como único meio de subsistência, e a maneira como Mazzaropi veicula isso tudo, como pontas de lança para um sentimentalismo banal.

É possível que o título do filme tenha servido de inspiração para a banda paulista “Velhas Virgens”, que iniciou a trajetória em 1986. 

Resultado de imagem para uma pistola para djeca

UMA PISTOLA PARA DJECA (1970) / Minhateca

Dirigido por Ary Fernandes

Elenco:

  • Mazzaropi...Gumercindo "Djeca" da Conceição
  • Patrícia Mayo...Eulália da Conceição
  • Tony Vieira...Luis
  • Yaratan Lauletta
  • Zaira Cavalcanti
  • Wanda Marchetti
  • Elizabeth Hartmann...Professora
  • Linda Fernandes
  • Nena Viana
  • Paulo Bonelli
  • Cleusa Marim
  • Rogério Câmara
  • Carlos Garcia
  • Rildo Gonçalves...promotor
  • Nello Pinheiro
  • Milton Pereira
  • Rogério Câmara
  • Tony Cardi

O sucesso estrondoso que o filme do diretor italiano Sergio Corbucci (1926-1990) fizera em 1966 não passaria despercebido aos olhos de Mazzaropi. Django seria tão logo abrasileirado, teria em breve a sua paródia mazzaropiana, chamar-se-ia Djeca.

Uma pistola para Djeca é, por excelência, paródia aos western spaghetti, como são chamados os filmes italianos de faroeste. O figurino, os cenários, a trilha sonora, até mesmo determinadas sequências, tudo é construído para alimentar essa atmosfera de filme de cowboy. O figurino que o diga, com cores vibrantes, escandalosas até, principalmente os vestidos das moças.

Um baile é o que abre o filme, o que já denuncia a preocupação artística do mais novo colaborador da PAM Filmes, o diretor Ary Fernandes (1931-2010). Mazza era um cômico intuitivo, adorava improviso e sempre modificava em última hora alguma coisa do roteiro, do argumento. Se aqui e ali existiu o esforço de dar ao fluxo narrativo mazzaropiano um acabamento razoável, principalmente no quesito plástico e formal, esse mérito deverá ser dado, sem quaisquer sombras de dúvida, a Ary Fernandes.

Como quase todos os personagens do Mazzaropi, Gumercindo é um homem pobre e honesto que trabalha para um fazendeiro inescrupuloso. Sua bela filha Eulália fora seduzida pelo filho do fazendeiro, Luiz, e engravidara. Oito anos se passaram, e a criança sofre por não possuir um pai. Aí explodem as reviravoltas, com o mais do mesmo: vilões monotons e poderosos, uma solteirona dando em cima do nosso herói, ode à pobreza, o catolicismo rústico e seu deus ex machina, o humor triste e desencantado.

A fotografia cheia de colorido, exuberante e "limpa" de Pio Zamuner (1935-2012) e a trilha sonora sem muitos excessos de Hector Lagna Fietta têm seu mais alto momento na cena de tiroteio entre os amigos de Gumercindo e os capangas do coronel, assumindo de vez a feição de faroeste caboclo do filme.

Imagem relacionada

NÃO APERTA, APARÍCIO (1970) Minhateca

DIREÇÃO: Pereira Dias

Elenco:

  • Grande Otelo Tonico
  • José Lewgoy Canhoto
  • José Mendes (III) Aparício
  • Adolar Costa
  • Alexandra Maria Aurora
  • Angelito Mello Coronel Saraiva
  • Dimas Costa
  • Edison Acri
  • Mano Bastos

O coronel Amaro Silva, criador de gado, é proprietário de uma vasta fazenda no interior da cidade gaúcha de Dom Pedrito. Seu filho Aparício é o capataz da fazenda, tedo como seu auxiliar o negrinho Tonico, afilhado do coronel. Certo dia, surge ali um novo vizinho: Dr. Azevedo, que acaba de comprar vastas terras. Com ele vem sua filha Aurora. Um dia ela e Aparício encontram-se nas terras deste e iniciam um romance. Canhoto e mais três contrabandistas roubam o gado da fazenda do Dr. Azevedo. Aparício é acusado do roubo em virtude das pistas falsas deixadas pelos ladrões. As relações entra as duas famílias sofrem mudanças, afetando o amor existente entre Aparício e Aurora. Tonico, ao levar uma carta de Aparício para sua amante, descobre, por acaso, o local do gado roubado. É descoberto e preso pelos ladrões. No dia seguinte, Aparício, que estava a sua procura, descobre o esconderijo e o gado. Trava-se então violento tiroteio entre ele e os ladrões. Canhoto foge, mas é perseguido por Aparício, que o prende em terras uruguaias. Com a morte e a prisão dos culpados, a verdade é esclarecida e a paz volta a reinar entre as duas famílias. Aurora volta aos braços do seu amado Aparício.

 

Motorista Sem Limites (1970) / Minhateca

Um motorista de caminhão passa a maior parte do tempo cantando, e vira herói ao salvar sua namorada e o pai dela de perigosos assaltantes de banco.

Elenco:

Teixeirinha .... Jorge

Mary Terezinha ... Angelita

Oswaldo D'ávila

Walter D'Ávila

Liorrey Gomes

Nelson Lima

Antônio Mardini

Jasson Natei

Jimmy Pippiolo

Rejane Schumann

Dionísio Stelo

Ivan Trilha

Dirigido por Milton Barragan

 

 

A MORENINHA (1970) / Minhateca

Toda a história se passa na paradisíaca Ilha de Paquetá centrada em Carolina (Sonia Braga) e Augusto (David Cardoso). Amigos da família reúnem-se para um sarau na casa de Carolina. Lá, ele vai reencontrar aquele amor dos tempos de criança, com quem trocou juras de amor e um camafeu, peça fundamental para que eles se reconheça. Adaptação do livro homônimo de Joaquim Manuel de Macedo.

Dirigido por Glauco Mirko Laurelli

Elenco:

Sônia Braga .... Carolina, a Moreninha

David Cardoso .... Augusto

Nilson Condé .... Filipe

Cláudia Mello .... Clementina

Roberto Orosco .... Fabrício

Tony Penteado .... Joaninha

Carlos Alberto Riccelli .... Leopoldo

Tereza Teller .... Quiquininha

Gésio Amadeu .... Rafael

Vera Manhães .... Paula

Lúcia Mello .... Violante

Adolfo Machado .... Kleberc

Sônia Oiticica .... Donana

Carlos Alberto .... Tobias

Neuza Borges .... voz

Sylvia Massari .... voz

Agnaldo Rayol .... voz

Clóvis Trindade .... voz

                  8wy3x6y3Etjx9tbo     

DONA FLOR E SEUS DOIS MARIDOS (1976) / Minhateca

Dirigido por Bruno Barreto

ELENCO:

  • Sônia Braga ... Dona Flor (Florípides) Guimarães
  • José Wilker ... Valdomiro 'Vadinho' Santos Guimarães
  • Mauro Mendonça ... Dr. Teodoro Madureira
  • Dinorah Brillanti ... Rozilda
  • Nelson Xavier ... Mirandão, amigo de Vadinho
  • Arthur Costa Filho ... Carlinhos, o guitarrista
  • Rui Resende ... Cazuza, o bêbado
  • Mário Gusmão ... Arigof
  • Nelson Dantas ... Clodoaldo, o poeta
  • Haydil Linhares ... Norminha, amiga de Flor
  • Nilda Spencer ... Dinorah, amiga de Flor
  • Sílvia Cadaval ... Jacy
  • Ivanilda Ribeiro ... Sofia, a empregada
  • Sue Ribeiro ... Magnólia
  • Francisco Santos ... Venâncio, o padre
  • Francisco Dantas ... Dr. Argemiro
  • João Gama ... Moreira, marido de Dona Norma
  • Alvaro Freire ... Silvério
  • Hélio Ary ... Venceslau Diniz
  • Wilson Mello ... Vivaldo
  • Lourdes Coimbra ... Dionísia, a prostituta
  • Miguelão ... Paranaguá Ventura
  • Manfredo Colassanti ... Pelanchi
  • Antonio Ganzarolli ... Dedinho
  • Jurandyr Ferreira ... Emílio Veiga
  • Mara Rúbia ... Claudete
  • Lícia Magna ... Filó
  • Joaquim Menezes ... Comendador
  • Orlanita Ribeiro ... Mulher
  • Antônio Victor ... Antiógenes
  • José Ribeiro ... Gerônimo
  • Cláudio Mamberti ... Homem
  • Dita Corte Real ... Inácia
  • Marta Anderson ... Mirabel
  • Eliane Rogério ... Tavinha
  • Betty Lago ... Zizi
  • Marta Moyano ... Amália
  • Gigi ... Garota
  • Zé Anão ... Homem
  • Heleno Lopes ... Homem
  • Betty Faria ... Leniza Mayer, a famosa cantora
  • Fernanda de Jesus
  • Mercedes Ruehl ... Garota americana no cassino

No início da década de 1940, Dona Flor, sedutora professora de culinária em Salvador, é casada com o malandro Vadinho, que só quer saber de farras e jogatina nas boates da cidade. A vida de abusos e noites em claro acaba por acarretar sua morte precoce num domingo de Carnaval de 1943, deixando Dona Flor viúva. Logo ela se casa de novo, com o recatado e pacífico farmacêutico da cidade. Com saudades do antigo marido que apesar dos defeitos era um ótimo amante, acaba causando o retorno dele em espírito, que só ela vê. Isso deixa a mulher em dúvida sobre o que fazer com os dois maridos que passam a dividir o seu leito. 

 

BYE BYE BRASIL (1979) / Minhateca

Dirigida por Carlos Diegues

ELENCO:

José Wilker .... Lorde Cigano

Bety Faria .... Salomé

Fábio Júnior .... Ciço

Zaira Zambelli .... Dasdô

Jofre Soares .... Zé da Luz

José Maria Lima .... assistente

Emmanuel Cavalcante .... prefeito

Rinaldo Gines .... chefe índio

Marieta Severo .... assistente social

José Carlos Lacerda

Marcus Vinícius

Príncipe Nabor

Salomé, Lorde Cigano e Andorinha são três artistas mambembes que cruzam o país com a Caravana Rolidei, fazendo espetáculos para o setor mais humilde da população brasileira e que ainda não tem acesso à televisão. A eles se juntam o acordeonista Ciço e sua esposa, Dasdô, com os quais a Caravana cruza a Amazônia pela rodovia Transamazônica até chegar a Altamira.