Sites Grátis no Comunidades.net
COMÉDIA
COMÉDIA

 

Os Caras de Pau em O Misterioso Roubo do Anel (2014) /Minhateca / MEGA

 Dirigido por Felipe Joffily

Os Caras de Pau em O Misterioso Roubo do Anel tem sido “vendido” pelos realizadores da obra como um filme d´Os Trapalhões, no sentido da tentativa de recuperar a tradição da franquia de férias para a família – e sem legendas. As crianças podem até rir, mas será difícil para o papai, a mamãe e o vovô apreciarem da mesma forma o humor infantil – físico, bobo mesmo – da dupla Jorginho (Leandro Hassum) e Pedrão (Marcius Melhem), que salta agora do programa da TV Globo para a tela do cinema.

Trata-se de um projeto ambicioso de produção caprichada, recheado de cenas de lutas e referências a outros filmes – a começar pela cinematografia de Os Trapalhões, é claro, passando por Missão Impossível, A Dama e o Vagabundo, além dos personagens O Gordo e O Magro e os de Jerry Lewis, influências da dupla. São pontos positivos do longa-metragem dirigido por Felipe Joffily (Muita Calma Nessa Hora), bem como o apoio do roteiro em situações do tipo nonsense, como na cena em que os “heróis” fogem dos bandidos cruzando um corredor de portas ao estilo Scooby-Doo.

Mas prevalecem os clichês: cenas de sexo simulado “inocentemente”; mordomo francês "afrescalhado", briga com cachorro tipo Quem Vai Ficar Com Mary?; e já já não vai mais ser possível fazer piada com a gordura de Leandro Hassum, que passou recentemente pela cirurgia de redução do estômago (e esse dia há de chegar!).

Na trama, a socialite Gracinha de Medeiros (Christine Fernandes) contrata os atrapalhados seguranças Pedrão e Jorginho para tomarem conta do anel Tatu Tatuado de Topázio, uma herança de família, enquanto o objeto fica em exposição em um museu. Acontece que a jóia é roubada por uma quadrilha de ninjas e a dupla é acusada pelo furto e tem que provar sua inocência.

Uma sinopse, até, redonda – apesar de previsível e inverossímil na execução –, que ganha tons apelativos com o surgimento de uma quadrilha de portugueses comandada por Manuel Capone (André Mattos), interessada na relíquia. Em nada o bando contribui para a fluência do roteiro (assinado por Mauro Wilson e pelo próprio Melhem). Pelo contrário: o grupo só serve para inserir uma série de piadas preconceituosas a respeito dos lusitanos (da “burrice” ao bacalhau).

No fim, Os Caras de Pau resulta explicado demais: para que as crianças ainda sem muito repertório tenham ferramentas para compreender a história, ou uma forma de subestimar a inteligência do espectador?

 

DE PERNAS PRO AR 2 (2012)  / Minhateca / MEGA

Direção: Roberto Santucci

Elenco:

Ingrid Guimarães como Alice Segretto
Bruno Garcia como João
Maria Paula Fidalgo como Marcela
Eriberto Leão como Ricardo
Denise Weinberg como Marion
Cristina Pereira como Rosa
Christine Fernandes como Vitória Prattes
Eduardo Mello como Paulinho

Atrizes Convidadas
Tatá Werneck como Juliana Tavares
Alice Borges como Regina
Pia Manfroni como Valéria

Participação Especial
Luís Miranda como Mano Love
Rodrigo Sant'Anna como Garçom Geraldo
Wagner Santisteban como Leozinho
Edmilson Barros como Peão

Elenco Secundário
Kiria Malheiros como Alice pequena
Mabelle Louise como filha de Marcela
Dudu Sandroni como Dr. Rafael
Gil Hernandez como Marcão
Ignacio Aldunate como Estevão
Carlos Sato como Sr. Hiró
David Meyer como Mr. Gordon
Billy Blanco Jr. como Investidor americano
Bruno Bebianno como Investidor
Diego Kelman Ajuz como Investidor
Kate Lyra como Madre Mary
Jaime Leibovitch como Garçom
Emmanuel Pasqualini como Antoine

Dessa vez, a empresária Alice (Ingrid Guimarães) decide ampliar o prazer, quer dizer, negócio das sexies shops. Sua ideia é abrir uma filial na desejada cidade de Nova York, mas o maridão (Bruno Garcia) anda preocupado com o excesso de trabalho da esposa e, após um piripaque durante a inauguração da 100ª loja, ela acaba internada num SPA. Só que ninguém imaginava que até lá ela iria aprontar e, muito menos, que conheceria um cara que poderia mexer no seu futuro comercial e amoroso.

Quem viu aí um flerte com a comédia romântica (sim ele existe) é importante deixar claro que é pura azaração e fogo de palha, não servindo para convencer os amantes do gênero. Melhor ficar com a ideia de que a comédia, pura e simples, funcionou. Escrito por Paulo Cursino, Marcelo Saback e pela própria protagonista, o roteiro explora a conhecida "química" do binômio sexo/humor e não prentede oferecer um conteúdo mais profundo, mas é menos raso que o primeiro filme e, portanto, se distancia um pouco mais do humorístico (?) Zorra Total.

Com essa comicidade melhor elaborada, algumas situações tem potencial para provocar o riso e boa parte delas com Alice, como aquela sob efeitos de remédios numa reunião de negócios ou a trapalhada no restaurante, típica de comédias americanas bem aceitas pelos brasileiros. Boas também são as participações de Rodrigo Sant'anna (a Valéria do citado humorístico "global") e de Luis Miranda. Outros momentos já se aproximam mais das "bobeirites" comuns em programas de TV populares, como as cenas com a empregada vivida pela experiente Cristina Pereira, mas nada que afunde a produção.

De resto, para quem viu a primeira vez e não esqueceu, sai o coelho e entra o polvo (com duplo sentido). O resultado? Um filme com potencial para agradar uma camada substancial da sociedade. E ponto. Dirigida novamente por Roberto Santucci, se eles vão repetir (ou melhorar) o êxito de De Pernas pro Ar, que fez mais de 3.3 milhões de espectadores em 2011, só o tempo dirá. Mas dá para dizer que essa "segunda vez" foi melhor e muita gente vai achar o filme gozado. Cabe a você saber se estará nessa lista ou não.

 

De Pernas Pro Ar (2010) / Minhateca

Direção: Roberto Santucci

 ELENCO:

Ingrid Guimarães
Maria Paula
Bruno Garcia

A pornochanchada foi símbolo do cinema brasileiro durante várias décadas. Era comum ver algumas das maiores estrelas da época tirando a roupa no cinema, em cenas ousadas que podiam até ser dispensáveis, levando-se em conta o roteiro, mas faziam a alegria de boa parte do público. Reflexo do estilo caliente do brasileiro, que costuma falar abertamente sobre sexo. Por outro lado, a pornochanchada serviu também para criar um forte estereótipo sobre o cinema nacional, que aos poucos afastou o público. Na retomada do cinema brasileiro o sexo foi tratado como tabu, com poucos filmes explorando-o abertamente. Entretanto nunca deixou de existir, só que ficou mais pudico e menos explícito. De Pernas pro Ar fica no meio deste caminho. Não há cenas de nudez, mas há um forte apelo sexual graças aos brinquedos eróticos e suas utilidades, presentes ao longo de todo o filme.

A história é, de certa forma, simples. Alice (Ingrid Guimarães) é uma empresária de enorme sucesso no trabalho e um fracasso estrondoso em casa, não dando atenção ao marido e filho. Resultado: ele pede um tempo. Uma troca de encomendas faz com que acabe sendo também demitida, o que significa a ruína completa de seu mundo. Ao se aproximar de uma vizinha (Maria Paula), ela conhece uma nova realidade: a do prazer. Tanto no âmbito pessoal como no lado empresarial. Logo se tornam sócias em uma sex shop e investem na popularização do negócio, apostando firme no batido conceito consagrado pela Avon: a da venda de porta em porta.

De Pernas pro Ar fala de questões delicadas, que não costumam vir a público, como a do orgasmo feminino. Sempre em ritmo de piada, é claro, para amenizar o clima. Por este lado é um filme interessante, que toca mais fundo no público feminino por se reconhecer na história. Afinal de contas, é o relacionamento da mulher com o sexo que está em jogo, em um mundo onde é também cobrada para ser uma boa profissional, uma boa dona de casa, uma boa esposa e uma boa mãe. E, ainda por cima, diante de um universo machista, onde muitas vezes o prazer masculino surge como necessidade primária. Os primeiros 30 minutos do filme, no qual o mundo de Alice desaba e ela é apresentada ao país das maravilhas, ou seja, o orgasmo, dá bem esta ideia. É a mulher valorizando a si mesma, descobrindo o prazer e o amor próprio. Só que, apesar de jamais abandonar este conceito, o filme o deixa de lado.

A ladeira abaixo começa quando Alice tenta reatar o casamento com João (Bruno Garcia). Apesar do bom truque de esconder o rosto do marido, o que se vê é uma profusão de brincadeiras envolvendo os apetrechos eróticos. Tudo porque Alice, temerosa com a reação de João, não conta que agora trabalha em uma sex shop. O prazer feminino torna-se então comércio, sem maior aprofundamento na questão pessoal. A divisão entre trabalho e família volta à tona, de forma que não seja possível a coexistência pacifica entre ambos. Ou seja, Alice volta ao reduto que estava até então, agora consciente de sua situação. Só muda de endereço - comercial, no caso.

É claro que há várias situações envolvendo o inusitado e, em certos casos, a vergonha pela exposição de questões tão íntimas quanto o sexo. Algumas cenas até são boas, como a da partida de futebol, mas em muitos casos apelam para frases de duplo sentido, estereótipos e uma suposta ingenuidade em relação ao tema. Há também Maria Paula, a vizinha, com sua voz supostamente sedutora e o exagero na maquiagem. Por outro lado, Ingrid Guimarães segura bem o ritmo, graças ao seu timing cômico.

De Pernas pro Ar é um filme que trata de questões importantes, mas procura sempre o caminho fácil. Prega a descoberta do prazer feminino, mas também defende que as mulheres precisam se decidir entre a vida pessoal e o trabalho, lidar com ambos ao mesmo tempo não dá. Ou seja, há uma aura de modernidade usada para reforçar velhos preceitos. Como comédia, para fazer rir sem pensar muito, até funciona em alguns momentos. Mais do que isso, não. É uma bobagem travestida de uma falsa profundidade. 

 Imagem

O Azarento, Um homem de Sorte (1973) / Minhateca

Direção: João Bennio

ELENCO
Geraldo Alves
Cláudia Aparecida
Rodolfo Arena
Sandra Barsotti
João Bennio
Henriqueta Brieba
Pascoal Guida
Joshey Leão
Antonio Segatti

Numa fazenda do interior, um rapaz é evitado por todos pela fama de azarento que o acompanha. Desgostoso, ele resolve se mudar para uma cidade grande. À sua chegada surgem incêndios, acidentes, engarrafamentos, a ponto de se declarar estado de calamidade pública. Ele é identificado pela imprensa como a causa dos desastres, deixando a população atemorizada. Ao comprar um sapato com sola de borracha, seu azar é isolado. Descobrindo nisso uma fonte de propaganda, o fabricante de calçados entra em fase de grandes negócios. O ex-azarento transforma-se numa máquina publicitária e aqueles que o odiavam passam a amá-lo como um ídolo.

Imagem relacionada

El Justicero (1967) / Minhateca

As aventuras de um playboy de Copacabana, conhecido como "El Justicero", por defender fracos e oprimidos, o jovem é também um boa vida e conquistador, filho de general, que usa e abusa do dinheiro e prestígio do pai. Acaba apaixonando-se por uma garota bem mais avançada, enquanto sua biografia está sendo filmada por um amigo jornalista.

Diretor: Nelson Pereira dos Santos

ELENCO
Arduíno Colassanti,
Adriana Prieto,
Márcia Rodrigues,
Emmanuel Cavalcanti,
Álvaro Aguiar. 

 

 Viva Sapato! (2003) / MINHATECA

Dolores (Laura Ramos) é uma bela dançarina cubana que decide abandonar seu casamento desastroso para abrir um restaurante à beira-mar, em parceria com a tia (Irene Ravache) que mora no Brasil. Precisando de dinheiro para concluir as obras do restaurante, Dolores fica furiosa ao receber como presente da tia um par de sapatos de dança em vez da ajuda financeira prometida. Sem dinheiro, vende os sapatos por alguns trocados. Todos os seus planos parecem ter ido por água abaixo, até que ela descobre que o dinheiro estava escondido nos grandes saltos dos sapatos.

Direção: Luiz Carlos Larcerda

Elenco:

  • Jorge Sanz .... José
  • Laura Ramos .... Dolores
  • Ney Latorraca .... Claudionor
  • Cláudia Mauro .... Conchita
  • Irene Ravache .... Isolda
  • María Galiana .... Mercedez
  • Vladimir Cruz .... Carlos
  • Paula Burlamaqui .... Trini
  • Caio Junqueira .... Jobson
  • Isadora Ribeiro .... Eugenia Maria
  • Maitê Proença .... Caroline
  • Marcello Antony .... Fifi Capote
  • Ângela Vieira .... Dra. Máxima
  • José Wilker .... Fernando
  • Zezé Motta

Trair e Coçar É Só Começar (2006) / MINHATECA

Olímpia (Adriana Esteves) é uma confusa e intrometida empregada, que trabalha em um condomínio de classe média alta, seus patrões, Inês (Bianca Byington), uma arquiteta, e Eduardo (Cássio Gabus Mendes), um médico. Eles estão prestes a completar 15 anos de casados, sabendo disso Olímpia e Inês preparem uma surpresa a Eduardo, que está retornando de um congresso emBrasília. Porém a empregada Olímpia erroneamente supõe que Eduardo esteja traindo a esposa com uma dançarina que Eduardo conheceu na viagem de volta, a Salete (Lívia Rossy). Logo ele começa a pensar que Inês está tendo um caso com Cláudio (Otávio Muller), o síndico do prédio. Cristiano (Mário Schoemberger) e Lígia (Mônica Martelli), que também são casados e se amam, são também vítimas de interpretações erradas, que causam ainda mais confusões.

Dirigido por Moacyr Góes

ELENCO:

Adriana Esteves como Olímpia
Cássio Gabus Mendes como Eduardo
Ailton Graça como Nildomar
Bianca Byington como Inês
Mônica Martelli como Lígia
Mário Schoemberger como Cristiano
Márcia Cabrita como Vera
Otávio Müller como Cláudio
Cristina Pereira como Dona Orávia
Thiago Fragoso como Carlos Alberto
Lívia Rossy como Salete Bueno
Fabiana Karla como Zefinha

MACUNAÍMA (1969) / Minhateca

Macunaíma é um herói preguiçoso, safado e sem nenhum caráter. Ele nasceu na selva e de preto, virou branco. Depois de adulto deixa o sertão em companhia dos irmãos e vive aventuras na cidade. Macunaíma ama guerrilheiras e prostitutas, enfrenta vilões milionários, policiais e personagens de todos os tipos.

ELENCO:

Grande Otelo .... Macunaíma
Paulo José .... Macunaíma/Mãe de Macunaíma
Dina Sfat .... Ci
Milton Gonçalves .... Jiguê
Jardel Filho .... Venceslau Pietro Pietra
Rodolfo Arena .... Maanape
Joana Fomm
Maria do Rosário Nascimento e Silva
Hugo Carvana
Carmem Palhares
Wilza Carla
Zezé Macedo
Maria Lúcia Dahl
Myriam Muniz

 Dirigido por Joaquim Pedro de Andrade 

Quincas Berro D'Água (2010) / Minhateca

Salvador. Quincas (Paulo José) é um funcionário público cansado da vida que leva. Um dia ele resolve deixar sua família de lado e cair na farra, ganhando fama como Quincas Berro D'Água, o rei dos vagabundos. Quando ele é encontrado morto em seu quarto, sua família resolve apagar os vestígios de sua fase arruaceira e lhe dar um enterro respeitável. Só que seus amigos surgem no local e decidem levá-lo para uma última farra.

Dirigido por Sérgio Machado

ELENCO:

Ângelo Flávio - Zico
Carla Ribas - Otacília
Cristiane Pinho - Funcionária da repartição
Daniel Caliban - Agente funerário 1
Débora Santiago - Marilene
Dois Mundos - Miguel Charuto
Érico Brás - Agenor
Evelyn Buchegger - Prostituta tabuão 1
Flávio Bauraqui - Pastinha
Frank Menezes - Curió
Germano Haiut - Tio Adalberto
Gisele Matamba - Benedita
Harildo Deda - Supervisor de Leonardo
Irandhir Santos - Cabo Martim
Jorge Nogueira - Agente funerário 2
Katia Leal - Prostituta tabuão 2
Luisa Proserpio - Norminha
Luis Miranda - Pé de Vento
Luis Pepeu - Mestre Manuel
Lyu Arisson - Shirley
Maria Menezes - Lolita
Mariana Ximenes - Vanda
Marieta Severo - Manuela
Milton Gonçalves - Delegado Morais
Olga Machado - Moema
Othon Bastos - Alonso
Paulo José - Quincas
Valderez Teixeira - Mãe Ana
Vladimir Brichta - Leonardo
Walderez de Barros - Tia Marisa

 

Resultado de imagem para copa de eliteResultado de imagem para copa de eliteResultado de imagem para copa de elite

COPA DE ELITE (2014) / MINHATECA / MEGA

Dirigido por Vitor Brandt

Elenco:

Marcos Veras como Jorge Capitão
Júlia Rabello como Bia Alpinistinha
Rafinha Bastos como René Rodrigues
Daniel Furlan como Zero Dois
Milton Filho como Zero Meia
Rafael Studart como Zero Pi
Anitta como Helena Boccato
Thammy Miranda como Traficante
Victor Leal como Chefe de Jorge
Bento Ribeiro como Chico Xavier
Alexandre Frota como Mãe de Jorge
Bruno de Luca como ele mesmo
Antônio Pedro como Manuel
Molejo como ele mesmo
Gil Brother como um mendigo
Beto Hora como Locutor do jogo na final

Jorge Capitão (Marcos Veras) é um policial integrante do Batalhão de Operações Policiais Especiais (BOPE). Numa operação, ele não cumpre as ordens de seu superior e invade uma favela do Rio de Janeiro e salva o camisa 10 da seleção argentina. Sendo odiado por toda a nação ele é mandado embora do cargo. Neste tempo fora da profissão, ele descobre que com a vinda do papa — que abrirá a final da Copa do Mundo; alguém planeja assassinar o pontífice.

 

Vai que Dá Certo (2012) / Minhateca

Direção: Maurício Farias

Elenco:

Danton Mello como Rodrigo

Fábio Porchat como Amaral

Lúcio Mauro Filho como Danilo

Natália Lage como Jaqueline

Gregório Duvivier como Vaguinho

Bruno Mazzeo como Paulo

Lúcio Mauro como Seu Altamiro

Georgiana Góes como Priscila

Lúcia Alves como Dona Lourdes (mãe de Rodrigo)

Felipe Abib como Tonico

Roney Facchini como Durval

Sérgio Guizé como chefe do tráfico de armas

Quatro amigos de adolescência, o músico de bar Rodrigo, os irmãos Amaral e Vaguinho e o parceiro de ambos em uma loja de eletrônicos, Tonico, voltam a se encontrar em uma festa, na qual também estão um antigo amigo que virou político, Paulo, e a espevitada Jaqueline, que Amaral acaba paquerando. Depois da festa Rodrigo é dispensado pela esposa por irresponsabilidade e demitido do bar. Ao pedir um emprego para seu primo Danilo, que trabalha em uma transportadora de valores, este em turno sugere a Rodrigo trazer mais três pessoas para em um golpe roubarem dinheiro da transportadora. Após ter seu carro velho roubado com seus instrumentos logo em seguida, Rodrigo chama Amaral, Vaguinho e Tonico para o esquema, e eles aceitam após discutirem suas frustrações por não terem conseguido realizar os sonhos da juventude.

O plano era de todos chegarem na transportadora enquanto Danilo estava em um carro forte, levarem o dinheiro embora e quando encontrassem o carro com Danilo amarrado dentro, este dar a desculpa de que o malote tinha sido roubado como resgate pelos homens que tinham sequestrado seu avô Altamiro. No dia de executar, tudo dá errado: Amaral e Rodrigo são detidos pela polícia pelo primeiro dirigir falando ao celular, e Altamiro, um veterano da FEB que sofre de Alzheimer, expulsa Tonico e Vaguinho da casa achando que ambos irão assaltá-lo. Tendo contraído imensa dívida com os traficantes de quem tinham pego as armas para o assalto, os amigos se veem forçados a vender e arrendar tudo que tem, e ainda assim ficam faltando R$10 mil.

Quando uma tentativa de assalto ao bar em que Rodrigo trabalhava dá errado - inclusive com o carro sendo parado por dois policiais que pedem mais R$10 mil para não apresentarem queixa e ainda apreendem uma das armas a devolver - decidem com a ajuda de Jaqueline invadir a casa de Paulo para assaltá-lo enquanto ela o seduz e distrai. Eventualmente Paulo reconhece seus captores, mas decide ajudá-los para se livrar do caixa dois conseguido em sua campanha. Quando os policiais não retornam a arma ao serem pagos, Amaral e Jaqueline pegam um extra para quitar - e por tabela ele leva R$60 mil equivalentes ao dinheiro levantado antes do roubo, e ela um dos Rolex de Paulo para pagar seu carro, usado no assalto. Cinco meses depois, Paulo foi reeleito usando o sequestro para se promover, Rodrigo é dono de um estúdio de gravação, Danilo comprou um mercado e Amaral melhorou sua loja. O filme termina com Paulo convocando o quinteto para fazer um serviço que quitaria a dívida.

 

OS PENETRAS (2012) / Minhateca / MEGA

Dirigido por Andrucha Waddington

ELENCO:

Marcelo Adnet como Marco Polo
Eduardo Sterblitch como Beto
Mariana Ximenes como Laura
Stepan Nercessian como Nelson
Andrea Beltrão como Laura II
Luis Gustavo como Anchieta
Luiz Carlos Miele como Cordeiro
Susana Vieira como Ivone
Babu Santana como Guarda Adelair
Kate Lyra como Mãe Estrangeira
Elena Sopova como Svetlana
Babu Santana como Guarda Adelair
Caio Junqueira como Pastor
Xando Graça como Guarda Valdeci
Alex Sander como Homem na balada
Eduardo Dusek como Hélinho Azambuja

Marco Polo (Marcelo Adnet) é um sujeito bem-humorado, sedutor e manipulador, sempre tentando levar vantagem. Em um de seus golpes, ele cruza com Beto (Eduardo Sterblitch) um homem tímido e inseguro, que acabou de ser rejeitado por sua amada Laura (Mariana Ximenes), e tem vários problemas com a família. Vendo a situação financeira privilegiada de Beto, Marco Polo promete conversar com Laura, e tentar convencê-la a voltar para o colega. Enquanto isso, ele tira vantagem da fragilidade do outro. Mas os planos mudam quando Marco Polo conhece esta mulher, tão sedutora e tão manipuladora quanto ele.

A PELADA (2013) / Minhateca

Dirigido por Damien Chemin

ELENCO:

Kika Farias
Bruno Pêgo
Tuca Andrada
Karen Junqueira

Em Aracaju, Sergipe, um casal em crise busca um meio de esquentar a relação. Enquanto o malandro Caio (Bruno Pêgo) paquera outras mulheres, se dá conta de que não dá a devida atenção para a esposa, Sandra (Kika Farias). Ela, por sua vez, propõe outras alternativas para o namoro dentro do casamento: incluindo objetos sexuais e uma relação a três. 

AMANHÃ NUNCA MAIS (2011) / MINHATECA

Walter (Lazaro Ramos) é um médico anestesista, pai de uma menina, e casado com a personagem da atriz Fernanda Machado. Estressado com o seu trabalho (o médico chefe vive chamando ele de anestesista, ao invés de chamá-lo de médico, o que o deixa irritado), Walter resolve ajudar sua esposa, indo buscar o bolo de aniversário da filha em um lugar isolado do centro. Walter inventa uma desculpa durante uma cirurgia e sai, pegando seu carro e partindo para o bairro. Porém, ele pega uma noite chuvosa e de muito trânsito, e muitas confusões acontecerão na trajetória, incluindo o surgimento de uma mulher histérica (Maria Luisa Mendonça), uma psicótica que acredita que Walter foi o seu amor do passado, e ela resolve infernizar sua vida. Ao mesmo tempo, a esposa de Walter aguarda ansiosa pela chegada do bolo e do marido.
Filme de estréia do diretor de publicidade paulista Tadeu Jungle, é uma comédia que passeia por várias vertentes do Gênero. Começa como uma comédia maluca, e depois, no terço final, resolve apostar no melodrama romântico, quase soturno. Obviamente inspirado em "After hours", de Scorcese, o filme tem seu ponto alto na fotografia, de Ricardo Dela Rosa, e no elenco, recheado de participações especialíssimas Maria Luisa Mendonça, impagável como a louca, e vencedora do prêmio de coadjuvante no Festival do Rio 2011. Tem também Vic Militello, Luiz Miranda, Millen Cortaz, Fernanda Machado. Lázaro Ramos empresta seu talento para o personagem improvável do anestesista. O filme acaba servindo também como uma crítica a neurose urbana de São Paulo, e ao sistema de tráfego, responsável por horas e horas de estada dentro do carro. O filme discute a solidão e a falta de compnaheirismo e comunicação. Poderia ter sido um grande filme. Mas ficou pela promessa. O ritmo lento também não ajuda muito a dinâmica da história, que tem o tempo exato de duração, um pouco mais do que 70 minutos. O roteiro tem um furo: em uma cena, Walter perde os seus óculos. Sabemos desde o início do filme que ele é míope, e dos brabos. Como afinal, ele consegue chegar em casa, dirigindo um carro, em pleno trânsito de São Paulo, sem dificuldades... mistério!!!

Elenco:

Lázaro Ramos ... Walter
Maria Luisa Mendonça ... Miriam
Milhem Cortaz ... Geraldo
Fernanda Machado ... Solange
Paula Braun ... Renata/garota de programa
Vic Militello ... Dona Olga
Imara Reis ... doceira
Luís Miranda ... motoboy
Carlos Meceni ... cirurgião-chefe

Diretor: Tadeu Jungle

A MULHER INVISÍVEL (2009) / MEGA

Dirigido por Cláudio Torres

ELENCO:

Selton Mello .... Pedro
Luana Piovani .... Amanda
Maria Manoella .... Vitória
Vladimir Brichta .... Carlos, melhor amigo de Pedro
Fernanda Torres .... Lúcia, irmã de Vitória
Danni Carlos .... Bárbara
Maria Luísa Mendonça.... Marina, ex-esposa de Pedro
Paulo Betti .... Nogueira, chefe de Pedro
Marcelo Adnet .... Jéferson
Thelmo Fernandes .... Alberto
Karina Bacchi .... Carla (participação)
Lúcio Mauro .... Governador (participação especial)
Felipe Kannenberg .... Dick
Gregório Duvivier .... Geraldo
Antônio Fragoso .... Rosalvo
Marly Bueno .... senhora no cinema
Marx Maranhão .... senhor no cinema
Mário Tati .... Márcio
Cadu Fávero .... enfermeiro
Thalita Carauta .... Janete
Marcelo Vindicatto .... operador central técnica
Hossen Minussi .... operador central técnica
Tatiana Vereza .... mulher 2
Fernanda Babauê .... mulher 3
Karla Dalvi .... lésbica 1
Gabriela Werneck .... lésbica 2
Paulo Carvalho .... Pietro
Antônio Carlos .... garçom
Esperança Pera Motta .... Chapeuzinho Vermelho

Pedro (Selton Mello) ainda acredita no conceito do casamento, enquanto que Carlos (Vladimir Brichta) não aceita a possibilidade de que um homem passe toda sua vida ao lado da mesma mulher. Os dois são colegas de trabalho em uma sala de controle de tráfego da prefeitura, onde podem bisbilhotar à vontade a vida das pessoas. Um dia Carlos fica preocupado com o amigo, devido ao estado depressivo dele ao ser abandonado por sua esposa, Marina (Maria Luísa Mendonça). O mesmo acontece com Vitória (Maria Manoella), vizinha de Pedro, que testemunha silenciosamente seu drama através de um buraco na parede. Até que subitamente alguém bate na porta de Pedro. Trata-se de Amanda (Luana Piovani), sua nova vizinha, que veio apenas lhe pedir açúcar. Com um jeito inocente e ao mesmo tempo sedutor, ela muda a vida de Pedro. Só que tem um problema: Amanda é invisível, sendo que apenas aqueles que a desejam muito consegue enxergá-la. 

Imagem

O Homem Que Sabia Javanês (2004) / MEGA  Senha: cinebra

Em uma conversa de bar, Castelo conta a Castro suas aventuras quando se fez passar por um professor de javanês para enganar o Barão de Jacuecanga. Por causa de sua fluência - nunca comprovada - no idioma, o espertalhão é guindado à condição de diplomata, obtém reconhecimento internacional, e é recebido pelo Presidente da República.

Direção de Xavier de Oliveira

ELENCO

Carlos Alberto Riccelli - Castelo
Sérgio Mamberti - Castro
Sérgio Viotti - Barão de Jacuecanga
Zózimo Bulbul - Africano

Resultado de imagem para os paspalhões em pinóquio 2000

Os Paspalhões em Pinóquio 2000 (1980)

Dirigido por Victor Lima

Elenco:

  • Rony Cócegas… Kiko
  • Olney Cazarré… Bira
  • Older Cazarré
  • Sidney Marques… Curió
  • Alba Valéria… Gracinha
  • Dary Reis
  • Milton Morais
  • Humberto Catalano
  • Ricardo Blat
  • Dudu França
  • Ted Boy Marino
  • Carlos Kurt
  • Fernando Reski

Quem se acostumou ao xaxado de Galeão Cumbica e ao cavernoso “Calma, Cocada” dos anos 80, descobrirá as maravilhas da diversidade com “Os Paspalhões e Pinóquio 2000” (1982).

Vestido para matar, o ator Rony Cócegas aparece em outro personagem, fazendo um cover de Zacarias, o amigo da garotada. Rony divide a tela com Olney Cazarré (o corintiano da “Escolinha do Professor Raimundo”) e um outro jovem que, curiosamente, também lembra o heróico companheiro de Zacarias, o Mussum.

Aliás, teria vindo de Mussum – o xamã que se auto-receitava longas ampolas de cerveja –, uma confidência que chocou Carlo Mossy, o dono da Vidya, produtora do filme. Durante encontro no bairro de Madureira, zona norte do Rio, Mussum teria dado a entender que as semelhanças com a turma do Didi acabariam azedando as empadas da Vidya.

Lenda urbana ou realidade, o fato é que “Os Paspalhões e Pinóquio 2000” permanece inédito nos cinemas. Não conseguiu ser comercializado e enfrentou a resistência até de distribuidores amigos, como Luiz Severiano Ribeiro.

Não que esta ausência seja uma crueldade terrível para a história do cinema brasileiro, mas não deixa de ser curiosa a falta de sorte do filme. Ele que é a verdadeira caveira de burro, o boitatá que arruinou as finanças da Vidya, até então feliz qual gato banhado em leite de cabra, aproveitando o sucesso de “Giselle” (1981).

“Os Paspalhões e Pinóquio 2000” sofre de uma megalomania que chega a ser difícil de acreditar. O filme apela para aventura infantil, história da carochinha e delírio tecnológico. Está cheio dos efeitos especiais que dominavam a época, rodados em Los Angeles, como “Os Saltimbancos Trapalhões” (1981).

Rios de dinheiro foram queimados, um trailer fantasma anunciou o filme que não estreou, casos de agressão acometeram a equipe técnica. O cineasta Afrânio Vital, então continuísta, recebeu uns safanões de uma criatura mais exaltada e foi indenizado pela produtora. O diretor Victor Lima inventou de falecer repentinamente nos Estados Unidos, o que obrigou Mossy a viajar às pressas para a remoção do corpo. Teve que se virar na finalização do filme.

Talvez a solução estivesse em um banho de descarrego, folhas de arruda espalhadas pelo set, algum ritual bárbaro de tribos polinésias. Na prática, Victor Lima – tão veterano da Atlântida quanto J. B. Tanko, ídolo de Renato Aragão –, não deu a liga entre o infantil e a pornochanchada. Até porque, voilá, são gêneros que não conversam muito bem.

Confuso que só, “Os Paspalhões e Pinóquio 2000” – batizado por Victor di Mello (diretor de “Giselle”) – poderia ser mais criativo. Poderia aproveitar a estrela maior, a protagonista máxima: Alba Valéria. No entanto, prefere o glacê das grandes explosões, das naves espaciais, do corre-corre entre vilão e polícia.

Alba – a endiabrada “Giselle” – vive uma pobre órfã (Gracinha). Lutadora de kung fu, Gracinha está sempre rodeada por uma mucama boazuda. As duas usam saias curtas e mostram cavidades que chocariam as crianças, ao entregar as reais intenções deste fiel exemplar do Beco da Fome.

Gracinha se apaixona e entra em ação Dudu França, o compositor do hit disco “Grilo na Cuca”. Dudu vira uma espécie de Mário Cardoso, o galã dos filmes dos Trapalhões. Já Alba Valéria sacoleja o corpo de um jeito que envergonharia as personagens de Monique Lafond (atriz, aliás, que participa de “Giselle”) ou Lucinha Lins, as paixões de Didi.

Vejam vocês que Gracinha é afilhada do Barão von Karko, grande chefão caucasiano que dá festas para empregados loiros (entre eles, Ted Boy Marino) e comanda Milton Moraes com mão de ferro. O castelo de Von Karko coleciona clichês de espionagem e da Segunda Guerra Mundial – que, muito provavelmente, representavam a encarnação do mal para Victor Lima.

“Todos nós somos bonecos, nossos cordéis são acionados pelos poderosos.” Older Cazarré, irmão de Oldey (dupla antológica na dublagem nacional) tenta segurar as pontas. O cientista sábio que ama crianças e perdeu mulher e filha em acidente de carro. Agora ele impede o plano macabro do Barão, que busca enriquecer vendendo papéis higiênicos e poluindo os reservatórios de água da cidade. Reparem que entre as vítimas encontramos Carlo Mossy, esposa e filha, em aparição relâmpago.

Mas as profundas digressões filosóficas do cientista terminam do nada. Quando menos se espera, o robozinho (Pinóquio 2000) canta para uma criança vestida de boneca Emília. A menina está visivelmente incomodada com a situação, o que chega a ser tragicômico. O anão dentro da carcaça não é o Chumbinho mas, acreditem, exprime toda (nenhuma) graciosidade.

Alguém há de se perguntar como “Os Paspalhões e Pinóquio 2000” conseguiu gravar na Vista Chinesa sem o latrocínio de boa parte da equipe, ou no Freeway da inóspita Barra da Tijuca, atrapalhando a classe média que se embrenhava pelo local. Mistérios que engrandecem o mito do filme. Atirando para todos os lados – aventura, espionagem, musical, humorístico – “Os Paspalhões e Pinóquio 2000” sensualiza pouco querendo impressionar demais. Enxugando trechos e mais trechos, poderia escapar da encruzilhada espiritual, que o deixou na eterna contramão da bilheteria.

por Andrea Ormond (Estranho Encontro)

Resultado de imagem para O+VAMPIRO+DE+COPACABANA

O Vampiro de Copacabana - 1976

Direção de Xavier de Oliveira

Cinema é relatividade. O que pode parecer belo para um – com sua carga de influências e gostos pessoais – para outro talvez possa soar pueril e enfadonho. Uma mesma pessoa pode amar um filme em uma época de sua vida e anos depois desgostá-lo com fervor.

“O Vampiro de Copacabana” (1976) costuma habitar muitas listas de “filmes brasileiros preferidos”, de gente que realmente entende do assunto. Na minha revisão é apenas um filme mal-costurado, sufocado por influências do cinema italiano dos anos 40 e 50, como são todos os longa-metragens dos cinco que o enigmático Xavier de Oliveira dirigiu. Um destes realizadores cariocas que enxergava a cidade como epicentro da sua concepção de mundo, Xavier de Oliveira aproxima-se de David Neves – uma espécie de David Neves que, num rompante catatônico, desistisse de crer e ser.

O “Vampiro” é exatamente sobre a falta de crenças – ou sobre a queda das poucas restantes. Carlos (André Valli) é homem fraco, esquálido, anti-galã de trinta e poucos anos, em crise. Não é uma entidade sobrenatural, aumentando a já pitoresca densidade demográfica do bairro-título. O Vampiro é apenas humano, chora. Tem amigos, mantém relações sexuais freqüentemente, de preferência extra-conjugais – uma delas tórrida, com Carmen (Rossana Ghessa).

A história tenta, sem grande sucesso, servir de panorama da classe média brasileira dos anos 70. Não a que freqüentava os grupos de teatro e as inovações artísticas de um pólo cultural efervescente. Mas a que já havia casado, tido filhos e perguntado-se: bem, e daqui, para onde vamos?

Esta inquietação melancólica não significa ódio ou qualquer delírio de protesto. É apenas vagar. O questionamento típico, sofisticado, que atinge grande parte das pessoas na faixa etária do protagonista. Algo aconteceu de tão rápido que mudou tudo, sem deixar qualquer expectativa de melhora. “Você era um cara cheio de perguntas na cabeça, questionava. Agora é um idiota.”

O drama dirigido e roteirizado por Xavier (também realizador de “Marcelo Zona Zul, com os púberes Françoise Fourton e Stepan Nercessian) limita-se ao retratar um vazio individual de Carlos, casado com Sueli (Ângela Valério). Há grande quantidade de monólogos em off que levam o espectador a entender o profissional medíocre, que deve a agiota, a meio mundo, e em breve será sumariamente despejado do apartamento onde mora com a família.

“Família, isso é o diabo. Minha sogra, velha metida a virgem... Meu Deus, aonde é que eu fui me meter?”

A idéia do vampiro de Copacabana não é original de Xavier de Oliveira. Pode ser encontrada em Torquato Neto, anos antes, no curta-metragem em que Torquato aparece vestido exatamente como André Valli, em plena praia, na mesma Copacabana. André então, é um Torquato Neto retirado das tumbas? Ou é o que Torquato seria anos depois, se não tivesse se suicidado?

O filme não seduz completamente, deixando um certo tom de estranhamento. David Neves morgue. Rubem Braga com mandrix ou pervitin. Neo-realismo tardio, lisérgico. A trama, por sua vez, elabora um lirismo que não entristece, não toca, não enleva o espectador.

O “vampiro às avessas, vampiro chupado”, de quem todos dragavam o sangue – palavras do protagonista –, volta para casa após uma tentativa frustrada de suicídio e fala, desta vez não em off, mas para o vizinho assustado com a aparição que achava ter desencarnado: “É, me suicidei mas não morri”. A concepção do diálogo é boa, há um sub-texto relevante: tentei, estou aqui, redivivo, depois do caos. A esposa, que havia iniciado uns flertes na então desértica Barra da Tijuca, deixa um fanfarrão (Emiliano Queiroz) a ver navios, pega carona com casal de velhos imbecilizados, e em cena belíssima, novamente encontra sua vida essencial, sendo esposa e, provavelmente, feliz.

Além deste final tocante salvam-se a boa vontade de filmar nas ruas – paradoxal o cinema brasileiro urbano não filmar mais externas, sendo o Rio de Janeiro a capital mais amigável do mundo para equipes de cinema –, o colorido cuidadoso da fotografia e a interpretação delicada de André Valli. Portanto, um filme para ser visto entre detalhes, não pelo seu todo imperfeito.

Elenco:

  • Ângela Valério… Sueli
  • Rossana Ghessa… Carmem
  • Miriam Pires… Esmeralda
  • Wilza Carla… Verônica
  • Otávio Augusto… Luiz
  • Rodolfo Arena… Motorista
  • Emiliano Queiroz
  • Denise Bandeira… Pirata
  • Kátia D'Angelo… Vera
  • Telma Reston
  • Vera Setta… Morena
  • Fábio Nercessian… Renatinho
  • Sandra Barsotti
  • Catalina Bonakie… Vizinha
  • Edyr de Castro… Babá
  • Fernando Reski… Ernesto
  • Norma Suely… Ivone 

 Resultado de imagem para casamento de romeu e julieta

O Casamento de Romeu e Julieta (2005)

Alfredo Baragatti (Luís Gustavo) é um advogado descendente de italianos, que é palmeirense roxo e membro do Conselho Deliberativo do clube. Alfredo criou sua Julieta (Luana Piovani) para ser como ele, mais uma apaixonada pelo Palmeiras. Batizada em homenagem aos ídolos palmeirense, "juli" de Julinho e "eta" de Echevarietta, ela é jogadora do time feminino do Palmeiras, jogando como centroavante. Julieta se apaixona por Romeu (Marco Ricca), um médico oftalmologista de 45 anos que é corinthiano roxo. Em nome do amor Romeu aceita se passar por palmeirense, chegando a se filiar como sócio do clube e ir aos jogos para torcer pelo rival. Tais atitudes geram desconfiança em sua família, principalmente em seu filho Zilinho (Leonardo Miggiorin) e na avó Nenzica (Berta Zemmel), ambos corinthianos fanáticos.

Dirigido por Bruno Barreto

Elenco:

  • Luis Gustavo .... Alfredo Baragatti
  • Luana Piovani .... Julieta
  • Marco Ricca .... Romeu
  • Martha Mellinger .... Belinha
  • Berta Zemmel .... Zilinha
  • Mel Lisboa
  • Leonardo Miggiorin .... Zilinho
  • Marina Person .... repórter
  • Yunes Chami... Síndico
  • Luah Galvão .... Aeromoça
  • José Vasconcellos ... Padre
  • Renato Consorte....Imparato

Resultado de imagem para coisa de mulher filme

Coisa de Mulher (2005)

Direção de Eliana Fonseca

Elenco: Adriane Galisteu, Cacá Amaral, Carmen Frenzel, Cláudia Ventura, Daniel Boaventura, Eliana Fonseca, Evandro Mesquita, Gustavo Ottoni, Juan Alba. Convidada especial: Hebe Camargo, Lucília de Assis, Suzana Abranches

O filme conta a história de cinco mulheres: Catarina (Lucília de Assis), a cansada do casamento; Mônica (Suzana Abranches), a pudica que sonha em se casar virgem; Mayara (Adriane Galisteu), a que quer ser mãe a qualquer custo; Dora (Carmen Frenzel), a recém-separada, aberta a novas experiências; e Graça (Cláudia Ventura), que quer vencer profissionalmente. Todas moram em um pequeno prédio no Rio de Janeiro. Elas passam a conviver com um novo e enigmático morador, Murilo (Evandro Mesquita), escritor que está atravessando por uma fase difícil na vida. Sem dinheiro, ele se submete a escrever em uma revista feminina sob o pseudônimo de Cassandra. A coluna é um verdadeiro fiasco até que ele se muda para o edifício Atenas, onde passa a se inserir no universo feminino graças às suas vizinhas, fazendo com que o conteúdo de seus textos fique cada vez mais interessante às suas leitoras.

Resultado de imagem para gordos e magros filme 1977

Gordos e Magros - 1977 / MINHATECA / Mega

Um filme de Mário Carneiro

Elenco: Roberto Bonfim, Sérgio Britto, Tônia Carrero, Hugo Carvana, Manfredo Colassanti, Jarbas Cumé-que-pode, Maria Lúcia Dahl, Carlos Alberto de Souza Barros, Edgard Dias, Vera Maria Domingues, Wilson Grey, Carlos Kroeber, Zezé Macedo, José Marinho, Judy Muller, José Napoleão, Paschoal, Paulo César Peréio, Luiz Rosemberg Filho, Regina Sanz, Paulo Cesar Saraceni, Maria Sílvia, Antônio Victor, Nelson Xavier

O filme conta a história da vida de Carlos, um menino rebelde e herdeiro de uma família de muitas posses. Sempre querendo desafiar a vontade de seus pais, o rapaz irá investir em projeto de arte que desagrada toda sua família. 

 

Resultado de imagem para a lua e o dente

A Lua E O Dente (2007)

A Lua e Dente fala da história de um indivíduo com dor de dente. Aí ele tenta arrancar dos jeitos mais primitivos e não consegue.

Resultado de imagem para COMO VAI, VAI BEM

Como Vai, Vai Bem? - 1969

1º segmento
Uma vez Flamengo
Direção:Valquíria Salvá
Dois torcedores fanáticos pelo Flamengo, irritados pelas derrotas do time vão se embriagar no bar e depois um convida o outro a espancar as respectivas esposas "chatas".
2º segmento
Mulher à Vista
Direção : Alberto Salvá
Dois amigos moram num apartamento e um deles fica obcecado em ver uma vizinha de avantajados seios, desnuda. Depois de acompanhar a rotina da mulher por vários meses, utilizando um binóculo e uma luneta, ele pede ao amigo que cause um tumulto no trânsito, daqueles que todos saem à janela, esperando que a vizinha apareça enfim do jeito que ele quer.
3º segmento
Dez anos de casado
Direção: Carlos Alberto Camuyrano
Um casal sofre uma crise quando o marido começa a dar demasiada atenção à sua mascote, uma galinha, deixando a esposa furiosa.
4º segmento
A Santinha do Encantado
Direção: Daniel Chutorianscy
Padrasto ganancioso começa a explorar a fé popular dizendo que a enteada tem visões religiosas. E fica furioso com a pouca renda do dia advinda da venda de santinhos e correntinhas.
5º segmento
O apartamento
Direção:Alberto Salvá
Tereza e Flávio são noivos e resolvem iniciar relações sexuais. Sem alternativas, Flávio acaba pedindo as chaves de um apartamento a um amigo, sem saber que o lugar é problemático.
6º segmento
Os Canarinhos de Nossa Senhora das Dores
Direção:Paulo Veríssimo
Padre e sacristão organista mantém um coral de meninos para coletarem fundos para as reformas da igreja, mas não conseguem uma boa arrecadação. Até que resolvem modernizar a atração.
7º segmento
Hei de Vencer
Direção: Alberto Salvá
Travesti causa boa impressão ao dono e coreógrafo de boate em que se apresenta. Mas não sabem que ele tem mulher e filho e se incomoda com o assédio.
8º segmento
O grande dia
Direção:Carlos Alberto Abreu
Zeca se torna a grande sensação da vila humilde em que mora no dia em que vai aparecer na televisão, como candidato a cantor no programa do Chacrinha.

Elenco:

  • Paulo José
  • Flávio Migliaccio
  • Ana Maria Parente
  • Márcia Tânia
  • Cláudio MacDowell
  • Antônia Marzullo...avó da Santinha (em "A santinha do Encantado")
  • Dinorah Marzullo
  • Jurema Penna...Jurema, mãe da Santinha (em "A santinha do Encantado")
  • Maria Gladys...Teresa (em "O apartamento")
  • Isabel Ribeiro...Maria, amiga de Teresa (em "O apartamento")
  • Maria Balbino
  • Regina Costa...Santinha (em "A santinha do Encantado")
  • Ruth Stessens
  • Walter Soares
  • Wanda Critiskaya
  • Creusa de Carvalho...esposa (em "Dez anos de casado")
  • Eulina Rosa
  • Yolanda Cardoso...Dora, tia de Teresa (em "O apartamento", participação especial)
  • Hugo Carvana...Nelsom (em "O apartamento", participação especial)
  • Chacrinha...ele mesmo (em "O grande dia", participação especial)
  • Billy Davis...coreógrafo (participação especial em "Hey de Vencer")
  • Irma Alvarez...esposa (em "Hei de Vencer", participação especial)
  • Labanca...Senhor Costa, dono da boate (em "Hei de Vencer", participação especial)
  • Travestis: Denise, Luana, Marie Chantal, Dória, Rildo e Bethânia
  • Côro dos meninos: Pedrinho,Cabecinha,China,Renato,Assis
  • Crianças: Antonio Carlos, Regina Rosenblitz
  • Grupo Musical: Mugstones (interpretando "Mamãe passou açucar ni mim", de Carlos Imperial)
  • Maria Regina

 Giuseppe Oristânio 

O GATO (2004)

Toda primavera, na pequena Miramar, o Gato chega com sua bicicleta para provocar a inveja dos homens e o desejo das mulheres. Mas, no ano em que o Gato encontra Doroti, bela e fiel esposa do faroleiro Pedro, o cotidiano da cidade vai ser abalado para sempre. Um folhetim non-sense, uma história de amor e realismo mágico.

ELENCO

Giuseppe Oristânio (Gato)
João Ubiratan Vieira (Pedro)
Nora Prado (Doroti)
Oscar Simch (Carioca)
Carlos Cunha Filho (Del. Arnaldo)
José Baldissera (Del. Günther)
José Salimen Jr (Ananias)
Lui Strassburger (Barata)
Breno Ruschel (Nicanor)
Débora Finocchiaro (Júlia)
Denise Barra (Odete)
Antônio Schmitz (Dr. Nascimento)
Cláudia Meneghetti (Mercedes)
Simone Lerner (Angélica)
Edu Madruga (Dr. Rodolfo)
Márcia Erig (governanta)
Hamilton Mosmann (padre)
Carlos Magno (prefeito)
Lori Nelson (judeu)

VOZES ADICIONAIS (dublagem)

Júlio Andrade (Ananias)
Zé Adão Barbosa (Dr. Nascimento / Barata)
Sérgio Lulkin (prefeito)

Direção: Saturnino Rocha

 

 Resultado de imagem para filme o flagrante 1976

O Flagrante (1976)

Dirigido por: Reginaldo Faria

Elenco:

  • Adele Fátima
  • Antonio Pedro
  • Carlos Eduardo Dolabella
  • Cláudio Marzo
  • Flávio São Tiago
  • Grande Otelo
  • José Lewgoy
  • Maria Cláudia
  • Reginaldo Faria

É a história de um grupo de cinco amigos cariocas machistas, que dividem uma garçonnière. Eles vivem sossegadamente suas aventuras extra-conjugais, até que Marlene, esposa de Paulão, o mais sensível deles, resolve retribuir na mesma moeda. Os amigos se reúnem e preparam um flagrante do adultério de Marlene. 

 Resultado de imagem para até que a sorte nos separe

Até que a Sorte nos Separe - 2012

Tino (Leandro Hassum) é um personal trainer e pai de família, namorado de Jane (Danielle Winits). Ganham 100 milhões na Mega-Sena e vivem uma vida luxuosa com o dinheiro da loteria. Depois de 16 anos, casados e com dois filhos, sem terem investido ou guardado o dinheiro, eles passam por dificuldades financeiras. Seu vizinho, o Sr. Amauri (Kiko Mascarenhas) escritor do livro 5 Regras da Riqueza, é um consultor de finanças burocrático que enfrenta uma crise no casamento com Laura (Rita Elmôr) que aceita ajudar o casal. Para não ter que aceitar a situação com sua esposa, Tino pede ao seu amigo Vander (Rodrigo Sant' Anna) que vá a sua casa assaltar as joias de Jane que estão no cofre de seu quarto para serem vendidas e arrecadar dinheiro, visto que não ocorreu da forma que Tino queria. Quando Jane engravida do terceiro filho, Tino é avisado pelo médico que ela não deve receber nenhuma notícia ruim. Para a compra de novos objetos para o quarto de seu novo filho, ela vai a uma loja fazer compras, para que sua mulher não faça mais despesas ele recomenda um design para arrumar o quarto do filho, seu amigo Adelson (Aílton Graça). A não ter escapatória ele conta para seus filhos a situação em que se encontra. Tino vai a mando de Amauri a Olavo (Maurício Sherman), tio de Jane para pedir dinheiro emprestado, que é um bilionário famoso, dono de uma rede de lojas. Ao voltar para casa sua mulher descobre que estão "pobres" e não perdoa seu marido por não saber quem ela era após 16 anos. Nisto ela sai de casa, se mudando para a antiga casa de sua mãe, que mora em Miami em uma casa comprada por Tino. Ao descobrir que Jane e seus filhos irão para o aeroporto, Tino vai ao local se encontrando com sua mulher, que ganha de seu tio uma loja. Dois meses depois, Jane tem seu terceiro filho, e após Amauri voltar com Laura descobre que ela será mãe de trigêmeos.

Elenco:

  • Leandro Hassum como Tino (Faustino Rodrigues Coelho)
  • Danielle Winits como Jane Bastos da Cruz
  • Kiko Mascarenhas como Amauri Ferreira Alves Pinho
  • Rita Elmôr como Laura da Silva Lima Bezerra
  • Aílton Graça como Adelson
  • Julia Dalavia como Teté (Stefani)
  • Henry Fiuka como Juninho (Faustino Rodrigues Coelho Junior)
  • Marcelo Saback como Nelsinho
  • Carlos Bonow como Rickson
  • Julio Braga como Guilherme
  • Maurício Sherman como Olavo Mendes
  • Vitor Mayer como Bruno

Participação Especial:

  • Rodrigo Sant' Anna como Vander
  • Marcos Pitombo como Tino (jovem)
  • Antônio Fragoso como Médico

Dirigido por Roberto Santucci

 Resultado de imagem para os normais 2

Os Normais 2 - A Noite mais Maluca de Todas (2009)

Em um karaokê Vani fica chateada porque depois de 13 anos ainda é a noiva de Rui. Depois de uma briga sobre eles não conseguirem mais fazer sexo com frequência Vani vai ao banheiro onde conversa com umas mulheres sobre o assunto onde ela decide realizar um dos sonhos de Rui, fazer Ménage à trois para apimentar a relação. Mas encontrar uma parceira ideal para isso não é tão fácil o quanto eles pensavam. Eles acabam se metendo na noite mais maluca de todas.

Elenco:

  • Luiz Fernando Guimarães - Rui
  • Fernanda Torres - Vani
  • Cláudia Raia - Deborah
  • Drica Moraes - Silvinha
  • Daniel Dantas - Yurinei
  • Danielle Winits - Clara
  • Alinne Moraes - Garota de Programa
  • Danielle Suzuki - Zoé
  • Mayana Neiva - Francesa
  • Paulinho Serra - Traficante
  • Helena Fernandes - Mulher no hospital
  • Babu Santana - Policial no hospital
  • Márcia do Valle - Enfermeira
  • Zéu Britto - Convidado da Festinha
  • Priscila Marinho - Emo Hippie

Dirigido por José Alvarenga Júnior

 

Resultado de imagem para se segura malandro

Se Segura, Malandro! (1978) / Mega

Rio de Janeiro. Paulo Otávio (Hugo Carvana) mantém uma estação de rádio clandestina, em plena favela. Para mantê-la no ar ele conta apenas com a ajuda de sua repórter de rua, Calói Volante (Denise Bandeira). Paralelamente, a cidade sofre com os assaltos do "Zatopek do crime" (Cláudio Marzo), um homem que rouba enquanto pratica cooper, e Alcebíades (Lutero Luiz), um funcionário exemplar com 30 anos de serviços prestados, resolve sequestrar um elevador da empresa onde trabalha.

Dirigido por Hugo Carvana

Elenco:

  • Hugo Carvana.... Paulo Otávio
  • Denise Bandeira.... Calói Volante
  • Cláudio Marzo.... Zatopek
  • Lutero Luiz.... Alcebíades
  • Louise Cardoso.... Laurinha
  • Maria Cláudia.... Jô
  • Helber Rangel.... Candinho
  • Maria Alves.... Marilu
  • Henriqueta Brieba.... Clotilde
  • Milton Carneiro.... Cândido
  • Thelma Reston.... mulher de Alcebíades
  • Anselmo Vasconcelos.... Beto
  • Eliane Narducci.... Agripina
  • Vinícius Salvatori.... Bob
  • Ivan Setta.... Serginho
  • Vera Setta.... Marlene
  • André Villon.... Leandro
  • Antônio Pedro.... Aderbal
  • Manfredo Colasanti
  • José Dumont
  • Elza Gomes
  • Wilson Grey
  • Oswaldo Loureiro
  • Ana Maria Magalhães
  • Zezé Motta
  • Nildo Parente
  • Marília Pêra
  • Paulo César Peréio

 

 Resultado de imagem para meu passado me condena 2

Meu Passado Me Condena 2 (2015)

A vida de casado dos apaixonado Fábio (Fábio Porchat) e Miá (Miá Mello) cai na rotina quando, as diferenças, que não são poucas, precisam ser enfrentadas. Após Fábio esquecer o terceiro aniversário de casamento, Miá decide pedir um tempo. Quando o avô de Fábio, que mora em Portugal, o comunica que ficou viúvo, ele enxerga nesta viagem para o funeral uma oportunidade de salvar seu casamento. 

Resultado de imagem para ai que vida filme

Ai que Vida! (2008)

Em meados dos anos de 1990, a fictícia cidade de Poço Fundo, no interior do nordeste, está vivendo um verdadeiro caos em sua administração pública. O prefeito Zé Leitão (vivido pelo ator Feliciano Popô) é um corrupto de mão cheia, capaz de tudo pelo dinheiro, e o egoísmo é a sua principal característica.

Zé Leitão já governa Poço Fundo há quatro anos, mas nada fez pela cidade em seu mandato. A população não consegue enxergar as coisas ruins que o prefeito faz. São iludidos com as falsas palavras de Zé Leitão e pelos "programas sociais" que são realizados em seu mandato. A micro-empresária Cleonice da Cruz Piedade (vivida pela atriz Antonia Catingueiro) se revolta com os absurdos administrativos de seus governantes, e decide "acordar" o povo sobre a real situação da cidade. Ela luta pelos direitos do povo e consegue arrastar multidões para ouvir seus discursos, tornando-se assim querida por toda a população.

O filme também conta com um triângulo amoroso entre Gerode (vivido por Welligton Alencar), Valdir (vivido por Rômulo Augusto) e Charleni (vivida por Irisceli Queiroz).

 

 Resultado de imagem para filme o homem dos papagaios

O Homem dos Papagaios - 1953

Direção de Armando Couto

Elenco: Procópio Ferreira (Epaminondas), Ludy Veloso, Hélio Souto, Eva Wilma, Elísio de Albuquerque, Herval Rossano, Hamilta Rodrigues, Gino Talamo, Ítalo Rossi, Waldemar Seysel (Arrelia), José Rubens, Mário Benvenutti, João Alberto, os meninos Heráclito e Francisco
Malandro pobretão consegue emprego como zelador de uma mansão de luxo. Ali, ele se faz de milionário, afogando-se em dívidas ("papagaios").
Epaminondas (Procópio Ferreira) vive perdendo emprego e só de aluguel deve oito meses. Então, ele é convidado para trabalhar como zelador de uma mansão que está desocupada.
Pensando que Epaminondas é milionário, os fornecedores correm lá e oferecem seus produtos e serviços. Epaminondas compra do bom e do melhor e paga tudo com notas promissórias (papagaios).
Quando os papagaios vencem, os credores descobrem que o Doutor Epaminondas não tem um tostão para pagar. Eles ficam morrendo de ódio e no fim... Bom. No fim dá tudo certo para o Epaminondas.

Informações Históricas: É o primeiro filme de Eva Wilma interpretando uma personagem central: antes ela só havia feito uma pontinha em cinema.

A comédia de um pobretão que assina um mundo de promissórias e vive igual milionário. No fim, ele deve tanto dinheiro, mas tanto dinheiro que ... dá certo !
Bom, vale a pena ver o filme !

Resultado de imagem para jogo da vida filme lima duarte

O Jogo da Vida - 1977

Dirigido por Maurice Capovilla

Elenco:

  • Lima Duarte...Malagueta
  • Gianfrancesco Guarnieri...Perus
  • Maurício do Valle...Bacanaço
  • Jofre Soares...Lima (participação especial)
  • Myrian Muniz...Tonica (participação especial)
  • Martha Overbeck...Adélia (participação especial)
  • Maria Alves...Mulher de Bacanaço
  • Antônio Petrin...Silveirinha
  • Emmanuel Cavalcanti
  • Fernando Bezerra
  • Thaia Peres
  • Oswaldo Campozana
  • Maria Vasco
  • Cavagnoli Neto
  • Wanda Marchetti
  • Edson Santos

O trio de amigos desajustados, Malagueta, Perus e Bacanaço, vagueia pela noite paulistana em busca de ganhar dinheiro com apostas e trapaças envolvendo jogos de sinuca. Nos intervalos da jornada dos amigos, flashbacks mostram trechos do passado recente de cada um deles: Malagueta é sem-teto depois que seu barraco foi derrubado por ordem judicial, Perus (chamado assim por morar na cidade homônima), se desentende frequentemente com a esposa por estar insatisfeito com o trabalho de operário numa fábrica de cimento e com o local onde mora, e Bacanaço é visto explorando mulheres, fugindo de um tiroteio com a policia e sendo preso por atuar no jogo do bicho.

A Compadecida (cinematecagovbr).jpg

A COMPADECIDA (1969) / Minhateca

Dirigido por George Jonas

Elenco:

  • Regina Duarte .... Compadecida
  • Armando Bógus .... João Grilo
  • Antônio Fagundes .... Chicó
  • Felipe Carone .... Padre
  • Ary Toledo .... Palhaço
  • Zéluiz Pinho .... Severino
  • Neide Monteiro .... Mulher do Padeiro
  • Jorge Cherques .... Bispo
  • Zózimo Bulbul .... Jesus Cristo
  • Rubens Teixeira .... Padeiro
  • Aguinaldo Batista .... Major
  • José Carlos Cavalcanti Borges
  • Paulo Barbosa

Narra as aventuras de dois amigos inseparáveis: João Grilo e Chicó, empregados na casa do padeiro, que, por sua vez, é a representação da burguesia rica. Os dois amigos tentam convencer o sacristão, o padre e o bispo a aceitarem enterrar um cachorro no cemitério local, mas isso se mostra uma tarefa nada fácil. A astúcia dos dois acaba criando várias aventuras, confusões e situações engraçadas.

Treze Cadeiras- 1957 / MINHATECA

Dirigido por Francisco Eichhorn

Elenco Oscarito, Renata Fronzi, Zé Trindade, Oswaldo Elias e Zezé Macedo

Oscarito interpreta Bonifácio, um barbeiro do interior que recebe de uma tia de herança uma mansão na cidade, mas o imóvel é confiscado e ele acaba ficando apenas com 13 cadeiras. Após vendê-las, desespera-se ao descobrir que a falecida havia escondido uma fortuna no estofamento de uma delas. Junto com a dançarina de cabaré Ivone (Renata Fronzi), ele tentará então reavê-las, se envolvendo em muita confusão. Filme baseado no romance russo "As 12 cadeiras". A história do originalmente se passa na Rússia na época da revolução bolchevique. O Romance teve algumas adaptações para o cinema, sendo a mais conhecida a versão do diretor Mel Brooks de 1970 "The Twelve Chairs" no Brasil conhecido como Banzé na Rússia.

 

Quincas Borba (1987) / MINHATECA

Um filme de Roberto Santos com Helber Rangel, Fulvio Stefanini, Luiz Serra, Paulo Villaça.

Releitura para os tempos atuais do clássico de Machado de Assis. Rubião sai do interior de Minas Gerais com apenas um objetivo em mente: aproveitar ao máximo todos os prazeres que uma cidade como o Rio de Janeiro pode lhe oferecer, em uma viagem patrocinada pelo dinheiro que seu mestre, o filósofo Quincas Borba, lhe deixou como herança. No entanto, assim que Rubião chega à Cidade Maravilhosa as coisas começam a se complicar. 

Resultado de imagem para policarpo quaresma herói do brasil

Policarpo Quaresma, o Herói do Brasil (1998) /MINHATECA

Policarpo Quaresma é um sonhador e um nacionalista que atua no Congresso e quer que o idioma tupi-guarani seja o oficial no Brasil, mas ele foi visto pela sociedade como louco e acabou indo parar no hospício.

Elenco:

  • Paulo José .... Policarpo Quaresma
  • Giulia Gam .... Olga
  • Ilya São Paulo .... Ricardo
  • Bete Coelho .... Adelaide
  • Antônio Calloni .... Genelício
  • Othon Bastos .... Floriano Peixoto
  • Cláudio Mamberti .... Coleoni
  • Fernando Eiras .... Armando Borges
  • Tonico Pereira .... Bustamante
  • Nelson Dantas .... Caldas
  • Jonas Bloch .... Dr. Mendonça
  • José Lewgoy .... Albernaz
  • Chico Díaz .... Felizardo
  • Paulo Leão .... Funcionário 'Ubirajara'
  • Fábio Junqueira .... Rocha
  • José Loureiro .... Tenente Antonino
  • José Dumont .... Tenente Coxo
  • David Pinheiro .... Átila
  • Paulo Roberto .... Genu
  • Carlos Gregório .... Dr. Campos
  • Marcélia Cartaxo .... Sinhá Chica
  • Aracy Balabanian .... Maricota
  • Luciana Braga .... Ismênia
  • Glaucia Camargos
  • Leandro Goulart
  • Antônio Pedro
  • Bruno Giordano .... homem do povo

Dirigido por Paulo Thiago

 Imagem

Minha Sogra é da Polícia (1958)Mega

Valdemira (Violeta Ferraz) abre uma agência de detetive dentro da própria casa e
envolve a família,em especial o genro Evaristo (Costinha),em inúmeras confusões.

Direção: Aloisio T. de Carvalho

ELENCO

Violeta Ferraz
Costinha
Wilza Carla
Fregolente
Jackson do Pandeiro
Lana Bitencourt
Erasmo Carlos
Roberto Carlos
Carlos Imperial
Cauby Peixoto
Wilson Simonal 

BAR ESPERANÇA (1983) / MINHATECA

Direção: Hugo Carvana

ELENCO
Hugo Carvana
Marília Pêra
Paulo César Peréio
Silvia Bandeira
Thelma Reston
Antonio Pedro
Louise Cardoso
Nelson Dantas
Wilson Grey
Oswaldo Loureiro

Tradicional ponto de encontro da boemia carioca, o Bar de Dona Esperança tem entre seus freqüentadores, jornalistas, escritores, atores e artistas em geral, que todas as noites vêm se reunir em suas mesas. Entre eles estão Zeca e Ana, casal em crise desde que ele abandonou o emprego de roteirista na emissora de TV onde ela trabalha como atriz, cansado da rotina e atravessando uma crise de criatividade. Circulam ainda, pelo local, as figuras mais excêntricas e divertidas, como o camelô que vende de tudo, o bêbado chato, e Curly, o marido que vem beber escondido da esposa, Cotinha, e que, descoberto, amarga o vexame de vê-la fazer um 'strip-tease' público. Revoltada com o que vê como irresponsabilidade de Zeca, Ana o expulsa de casa, ficando sozinha com os dois filhos enquanto ele, após fracassar na tentativa de reatar o casamento de treze anos, termina aceitando o convite de Nina, produtora que quer montar uma peça teatral numa aldeia indígena. O movimento no Bar irá crescer com a notícia de que Dona Esperança pretende vendê-lo a uma empresa que vai construir um Shopping Center, e Ana, agora relacionando-se com o conquistador Arnaldo, recebe assustada a notícia de um incêndio na aldeia indígena, local onde Zeca havia ido trabalhar na peça com Nina.

 

JULIO SUMIU (2014) / Minhateca

Direção: Roberto Berliner

ELENCO:

Lília Cabral como Edna
Fiuk como Sílvio
Carolina Dieckmann como Madá
Augusto Madeira como J.Rui
Stepan Nercessian como Delegado Barriga
Sérgio Bezerra como Joinha
Giancarlo di Tomasso como Comerciante
Leandro Firmino como Tião Demonio
Hugo Grativol como Zeca
Pedro Nercessian como Julio
Dudu Sandroni como Eustáquio
Babu Santana como Caolha

Zona sul do Rio de Janeiro. Edna (Lilia Cabral) é mãe de Julio (Pedro Nercessian) e Sílvio (Fiuk). Um dia ela acorda desesperada ao perceber que Julio simplesmente desapareceu, sem deixar pistas. Preocupada, ela vai à delegacia com Eustáquio (Dudu Sandroni), seu marido, mas eles são destratados pelo delegado adjunto J. Rui (Augusto Madeira), que estava mais interessado em conquistar a colega de trabalho Madalena (Carolina Dieckmann). Após receber na secretária eletrônica um aviso de que o filho está com Tião Demônio (Leandro Firmino), o chefão do tráfico do morro ao lado, Edna decide ir até lá negociar. Surpreendida por um tiroteio, ela acaba guardando 20 kg de cocaína para o traficante que, em troca, promete libertar Julio. O problema é que Sílvio, ao descobrir a cocaína, decide vendê-la. 

Imagem

Salário Mínimo (1970) / MEGA  Senha: cinebra

Depois de doze anos de noivado, Moreira e Angelina se casam. A vida é dura e eles vão morar nos fundos da casa de uma viúva. Depois de pedir aumento de salário, ele é despedido. Ele resolve recorrer a Roberto, um velho amigo, de atividades meio suspeitas. O magnata Prado Seixas pede a Moreira que monte um balanço irregular. Inicialmente ele recusa o pedido, mas, diante das dificuldades, ele resolve ceder. Mas o amor por Angelina fala mais alto.

Dirigido por Adhemar Gonzaga

ELENCO

Geraldo Alves, Renata Fronzi, Paulo Gracindo, Costinha, Chocolate, Monsueto, Roberto “Sargento Pincel” Guilherme, Wilson Grey, Nick Nicola, Elke Maravilha e Georgia Quental
César Ladeira
Jararaca
Ratinho
Zélia Hoffman
Luiz Carlos Braga
Yolanda Fronzi

GOLIAS CONTRA O HOMEM DAS BOLINHAS (1969) / MINHATECA

Pacífico é um esperto garoto de rua, amigo da prostituta Arlete, a quem ele considera uma moça "distinta". Arlete seduz Augusto, um pobre escriturário que vive infeliz numa casa com a mulher megera Laura, o cunhado vagabundo Nico e o casal de sogros. Quando Augusto vai ao encontro de Arlete no apartamento dela, ele descobre que a moça foi assassinada. Augusto fica nervoso e foge do local mas várias pessoas que o viram, inclusíve Pacífico, pensam que ele é o assassino e se lembram da feia gravata azul de bolinhas brancas que usava. Augusto é chamado pela imprensa de "Assassino das Bolinhas" e passa a ser perseguido por Pacífico, que quer se "vingar" do criminoso.

Dirigido por Victor Lima

Elenco:

Ronald Golias... Pacífico
Íris Bruzzi... Arlete
Otelo Zeloni... Augusto
Zilda Cardoso... Laura
Darlene Glória... Irene
Benjamin Cattan
Alan Castro
Germano Filho... Comissário
Antonio Pitanga... porteiro
Geny Prado
Fernando Torres
Veronicka Kriman
Carlos Koppa
Roberto Dias
Victoria Salas
Costinha... dentista (participação especial)
Carlos Alberto de Nóbrega... Geraldo (participação especial)
Caetano Gherardi
Gibé
Wanderley Grilo

 

 

O Ibraim do Subúrbio (1977) / PCLOUD Senha: cinebra

OS EPISÓDIOS

Roy, O Gargalhador Profissional – Direção: Astolfo Araújo – 33’
Com: Paulo Hesse, Susana Faini e Wilson Grey
Roy vive de pequenos bicos, até receber uma oferta de emprego para trabalhar como membro da claque, em programa de TV.

O Ibraim do Subúrbio – Direção: Cecil Thiré – 42´
Com: José Lewgoy, Lucélia Santos e Luiz Fernando Guimarães
Casimiro, um alfaiate pobre, sonha em ter seu nome citado por Ibrahim Sued. A cerimônia de casamento da filha grávida é a ocasião de aparecer na coluna do ídolo.

O Comprador de Fazendas (1951) / PCLOUD   Senha: cinebra

Para tentar vender sua já decadente fazenda, Moreira hospeda Pedro Trancoso, um possível comprador, mas descobre que ele é um pintor de paredes se fazendo passar por milionário. Pedro, porém, apaixona-se por Zilda, filha do fazendeiro, e uma surpresa muda os rumos da história.

ELENCO

Procópio Ferreira, Henriette Morineau, Hélio Souto, Jorge Dória, Agildo Ribeiro e Eliana Martins
Margot Bittencourt
Jaime Barcelos
Sérgio Brito
Elíseo de Albuquerque
Luíz Gonzaga 

Resultado de imagem para a noite da virada filme

A NOITE DA VIRADA (2014) / MINHATECA / MEGA

Direção: Fábio Mendonça

Elenco:

Alexandre Frota

Anselmo Vasconcelos

Daniele Suzuki

Daniel Furlan Matias

João Vicente de Castro

Julia Rabello Ana

Kéfera Buchmann Kéfera Buchmann

Luana Martau Alê

Luana Piovani Rosa

Marcos Palmeira Mario

Martha Nowill Sofia

Paulo Tiefenthaler Duda

Taumaturgo Ferreira

Durante uma festa de Réveillon na casa de Ana (Julia Rabello) e Duda (Paulo Tiefenthaler), o banheiro é o foco de todas as fofocas e polêmicas. É onde Duda confessa à esposa que vai deixá-la pela vizinha Rosa (Luana Piovani), que, por sua vez, leva um casamento bem monótono com Mario (Marcos Palmeira). É também onde Alê (Luana Martau) conta a Ana suas aventuras sexuais com o namorado (João Vicente de Castro), e onde um convidado traficante (Taumaturgo Ferreira) faz os seus negócios. Na noite da virada do ano, tudo pode acontecer.

Resultado de imagem para Muleque, té doido!

Muleque, té doido! (2014) / Minhateca

Dirigido por: Erlanes Duarte

Elenco:

Erlanes Duarte Erlanes

Júnior André Guida Gue Vara

Marcos Santos Sorriso

Nikima Krakelê Nikima

Renata Gomes Laura

Um grupo de amigos almeja fazer sucesso com sua banda. Correndo atrás do seu sonho eles encontram acidentalmente um pergaminho que leva a um tesouro
escondido na ilha de São Luis, eles acreditam que encontrando esse tesouro poderão financiar a banda e alcançar a fama. O que eles não sabem é que a cidade de São Luís e todos os seus habitantes dependem da ajuda deles para não serem
destruídos por uma criatura mitológica gigantesca.

DO LADO DE FORA (2014) / MEGA

O filme acompanha dois adolescentes (Luis Vaz e Mauricio Evanns) que decide ir à parada Gay na avenida Paulista, em São Paulo, incentivados pelo tio de um deles, um executivo bem-sucedido que vive uma vida dupla.

Após presenciarem uma cena de agressão homofóbica, eles decidem fazer um curioso pacto: todos do grupo devem sair do armário até o evento do ano seguinte.

Direção: Alexandre Carvalho

ELENCO:

André Bankoff

Luis Vaz

Marcello Airoldi

Mauricio Evanns

Rafael Lozano

Silvetty Montilla

Titi Müller

 

O CONCURSO (2013) / MEGA

Dirigido por Pedro Vasconcelos

ELENCO:

Danton Mello como Caio
Fábio Porchat como Rogério Carlos
Rodrigo Pandolfo como Bernardinho
Anderson Di Rizzi como Freitas
Sabrina Sato como Martinha Pinéu
Gigante Léo como Polegada
Jackson Antunes como o pai de Rogério
Pedro Paulo Rangel como Meirinho
Nelson Freitas como Pai Preto
Carol Castro como Mariana
Érico Brás como Roberval
Oscar Calixto como Drag Queen

No dia da prova final de um concurso público para juiz federal no Rio de Janeiro, os quatro advogados finalistas chegam de forma bizarra: o gaúcho Rogério Carlos (Fábio Porchat) entra vestido de mulher cercado de travestis, o paulista Bernardinho (Rodrigo Pandolfo) maltrapilho em uma moto guiada pela atraente Martinha (Sabrina Sato), o carioca Caio (Danton Mello) aparece em uma viatura da qual desce algemado e escoltado, e o cearense Freitas (Anderson Di Rizzi) surge em uma ambulância junto de sua esposa grávida Mariana (Carol Castro), entrando no salão em uma maca empurrada por praticantes de candomblé. O filme então volta para uma semana antes, mostrando o quarteto se conhecendo e se envolvendo em várias confusões enquanto se preparam para a prova.

Giovanni Improtta (2013) / Minhateca / Mega

Giovanni Improtta (José Wilker) é um contraventor que sonha com a ascensão social. Ao saber que a lei dos cassinos está sendo negociada nos bastidores, ele resolve entrar para o ramo. Para limpar sua imagem recorre ao vereador evangélico Franklin (Thelmo Fernandes), seu velho amigo, que acaba incumbido de lhe conseguir o título de cidadão honorário do Rio de Janeiro. Apesar de ser casado com Marilene (Andréa Beltrão), Giovanni mantém um caso tórrido com Patrícia, filha de um figurão. Como o pai dela não gosta do romance, Giovanni decide agradá-lo comprando um rim, de forma a resolver os problemas renais do sogro. O que ele não esperava era ser acusado de tráfico de órgãos e, para piorar, que o promotor responsável pelo caso fosse assassinado. Giovanni logo se torna o suspeito número um do crime e precisa encontrar um meio de provar sua inocência.

Elenco:

José Wilker como Giovanni Improtta
Andréa Beltrão como Marilene
Yago Machado como Vitor
Thelmo Fernandes como Pastor Franklin
Gillray Coutinho como Djalma
André Mattos como Delegado Paulinho / Madruga
Hugo Carvana como Cantagallo
Othon Bastos como Dom
Milton Gonçalves como Ozires
Jô Soares como Ivan
Eduardo Galvão como Luiz Flavio
Rogério Fróes como Dr. Simão
Cristina Pereira como Dona Guiomar
Gregório Duvivier como Adriano Soares
Alexandre Zacchia como PM
Guida Vianna como Professorinha Glória
Norival Rizzo como Aureliano
Thogun Teixeira como Pouca Sombra
Paulo Mathias Jr. como Bonsai
Roney Vilela como Tarantino
Aderbal Freire Filho como Apontador
Julia Gorman como Patrícia
Paulo Goulart como Juiz Walcyr

Dirigido e estrelado por José Wilker

 

VAI QUE DÁ CERTO 2 (2016) / Mega

Um filme de Mauricio Farias com Danton Mello, Fábio Porchat, Lúcio Mauro Filho, Felipe Abib

Como os primeiros planos de enriquecer não deram certo, Rodrigo (Danton Mello), Tonico (Felipe Abib) e Amaral (Fábio Porchat) ainda precisam de dinheiro. Eles encontram um vídeo com cenas comprometedoras de Elói (Vladimir Brichta), e tentam chantageá-lo, mas os planos não funcionam como planejado. Até porque uma prima nada confiável (Verônica Debom) e uma dupla de policiais corruptos também está interessada em faturar com essa história.

 

Entrei de Gaiato (1959) / Minhateca

Januário é um vigarista que, com ajuda de seus amigos igualmente trapaceiros, se hospeda no requintado Hotel Palácio, fazendo-se passar por um rico fazendeiro de cacau a fim de roubar e enganar turistas.

Ananásia é uma viúva que também se torna hóspede do mesmo hotel, com quase o mesmo plano: fingir ser milionária para conseguir casar com algum "velho" endinheirado. De imediato, Januário e Ananásia começam a namorar. No entanto, as mentiras sobre suas riquezas os fazem alvos de ladrões internacionais de jóias que estavam entre os hóspedes.

Elenco:

Zé Trindade.... Januário

Dercy Gonçalves.... Ananásia

Costinha.... Bolota

Roberto Duval.... Marc

Marina Marcel.... Anabela

Evelyn Rios.... Elisa

Chico Anysio

Hamilton Ferreira

Procopinho

Dirigido por J.B. Tanko

 

 

BYE BYE BRASIL (1979) / Minhateca

Dirigida por Carlos Diegues

ELENCO:

José Wilker .... Lorde Cigano

Bety Faria .... Salomé

Fábio Júnior .... Ciço

Zaira Zambelli .... Dasdô

Jofre Soares .... Zé da Luz

José Maria Lima .... assistente

Emmanuel Cavalcante .... prefeito

Rinaldo Gines .... chefe índio

Marieta Severo .... assistente social

José Carlos Lacerda

Marcus Vinícius

Príncipe Nabor

Salomé, Lorde Cigano e Andorinha são três artistas mambembes que cruzam o país com a Caravana Rolidei, fazendo espetáculos para o setor mais humilde da população brasileira e que ainda não tem acesso à televisão. A eles se juntam o acordeonista Ciço e sua esposa, Dasdô, com os quais a Caravana cruza a Amazônia pela rodovia Transamazônica até chegar a Altamira.

 COLEGAS (2012) / Minhateca

Dirigido e roteirizado por Marcelo Galvão

Elenco:

Ariel Goldenberg como Stalone

Rita Pokk como Aninha

Breno Viola como Marcio

Lima Duarte como Arlindo

Rui Unas como Agente Portuga

Deto Montenegro como Agente Souza

Leonardo Miggiorin como Batatinha Ferrari

Marco Luque como Simple Jack

Juliana Didone como Patrícia

Christiano Cochrane como Otávio Galvão

Alex Sander como Roger

Amélia Bittencourt como Esmeralda

Thogun como Setor Maior

Vicki Araujo como convidado do casamento

Roberto Birindelli como Maître

Marcelo Galvão como Naval

Oswaldo Lot como Joel

Anna Ludmilla como Mãe do Garoto Down

Monaliza Marchi como Mãe de Stallone

Nill Marcondes como Atendente da lanchonete

Giulia de Souza Merigo como Jazilma

Carlos Miola como Novaski

Mayte Piragibe como Sheula

Simone Teider como Garçonete do casamento

Alexandre Tigano como Chefe do Segurança

Elder Torres como Copeiro

Pedro Urizzi como Pai de Stallone

Daniele Valente como Elisa Gigli

Theo Werneck como Hércules

Stallone (Ariel Goldenberg), Aninha (Rita Pook) e Márcio (Breno Viola) eram grandes amigos e viviam juntos em um instituto para portadores da síndrome de Down, ao lado de vários outros colegas. Um belo dia, surge a ideia de sair dali para realizar o sonho individual de cada um e inspirados pelos inúmeros filmes que já tinham assistido na videoteca local, eles roubam o carro do jardineiro (Lima Duarte) e fogem de lá. A imprensa começa a cobrir o caso e a polícia não gostou nem um pouco dessa "brincadeira". Para resolver o problema, coloca dois policiais trapalhões no encalço dos jovens, que só querem realizar os seus sonhos e estão dispostos a viver essa grande aventura, que vai ser revelar repleta de momentos inesquecíveis.

CASA DA MÃE JOANA (2008) / Minhateca

Conta a história de três amigos que dividem um apartamento de classe média e que mantêm um estilo de vida festivo. Para não perder o apartamento que está hipotecado, pensam em voltar a trabalhar, até que surge a ideia de praticar um golpe.

Dirigido por Hugo Carvana

José Wilker Juca
Antonio Pedro Montanha
José Wilker.... Juca
Paulo Betti.... PR
Antônio Pedro Borges.... Montanha
Laura Cardoso.... Herly
Fernanda de Freitas.... Tainacã
Pedro Cardoso.... Vavá
Malu Mader.... Laura
Juliana Paes.... Dolores Sol
Agildo Ribeiro.... Comendador/Lola Brandão
Miele.... Camões
Claudio Marzo.... Leopoldo
Arlete Salles.... Cliente
Beth Goulart.... Cliente
Cláudia Borioni.... Madame
Maria Gladys.... Bêbada no ateliê
Lu Grimaldi.... Cliente
Roberto Maya.... Oficial de Justiça
Hugo Carvana.... Salomão

Imagem

Na corda bamba (1957) / MEGA   Parte01 / Parte02 / Parte03

Uma baronesa de um país cigano chama o afinador de pianos Arrelia que acha um valioso colar dentro do instrumento dela e distraidamente o coloca no pescoço enquanto trabalha. A empregada doméstica Sofia que trabalha para uma dupla de nobres ladrões estrangeiros do mesmo país da baronesa e que querem roubar o colar, avisa os comparsas, que imediatamente começam a perseguir e assustar Arrelia para pegarem a jóia. O colar acaba sendo achado por Trindade, sobrinho de criação que mora com Arrelia, que, sem saber, o dá de presente para uma sambista. A peça vai passando de mão em mão para desespero de Arrelia que tenta de todas as formas recuperá-lo e devolvê-lo à baronesa e se livrar dos ladrões que estão em seu encalço.

Direção: Eurides Ramos

ELENCO
Arrelia...Arrelia Pacífico de Oliveira Sossegado
Zé Trindade...Zé Trindade
Ema d'Ávila...Baronesa Zaíra
Theresa Amayo... Luiza
Roberto Duval... Botazzo
Solange França... Carolina
Moacyr Deriquém...Walter
Wilson Grey...Inácio
Ferreira Leite... Padre Mateus
Íris Del Mar...Clara
Rodolfo Arena
Marilene Silva...Sofia

 

 

O Homem do Sputnik (1959) Minhateca

O filme narra as peripécias de um homem simples que pensa que o satélite russo Sputnik 1 caiu no telhado de sua casa. Ele é perseguido por espiões de todos os tipos até que a verdade vem à tona.

Dirigido por Carlos Manga

Elenco:

Oscarito - Anastácio

Cyll Farney - Nelson ou Jacinto

Zezé Macedo - Cleci

Norma Benguell - B.B.

Jô Soares - Espião americano

Alberto Perez

Neide Aparecida

Hamilton Ferreira

Fregolente

Heloísa Helena

Grijó Sobrinho

Abel Pêra

Labanca

César Viola

Tutuca

Riva Blanche

Nestor de Montemar

Abdias do Nascimento

 

 

Esse Milhão É Meu (1959) / Minhateca

Elenco:

Oscarito... Felismino Tinoco

Sônia Mamede... Arlete

Miriam Teresa... Sueli, a sobrinha

Francisco Carlos... Sílvio

Margot Louro... Gertrudes

Zezé Macedo... Augusta, a sogra

Afonso Stuart ... Janjão, o sogro

Agildo Ribeiro

Ribeiro Fortes

Armando Nascimento

Augusto Cesar Vanucci... Juscelino

Derek Wheatley

Altamiro Carrilho...como ele mesmo

Dirigido por Carlos Manga

Felismino Tinoco é um servidor público dedicado, casado com uma mulher megera. Vivem com ele na mesma casa também a sogra faladeira, o sogro dissimulado e a sobrinha estudante. Ao chegar para mais um dia de trabalho, Felismino é surpreendido com a notícia de que ganhara um prêmio de um milhão por te conseguido ir ao trabalho uma semana sem faltar. Os amigos o convencem a ir comemorar o prêmio numa casa noturna, o Sevilla Club. No meio da bebedeira, ele conhece a artista Arlete, que entra em um golpe com seu amante trapaceiro Juscelino para chantagear Felismino e ficar com o dinheiro. A sobrinha fica sabendo da chantagem e tenta ajudar Felismino, mas se coloca em perigo. 

 

 

 

 

DOMÉSTICAS, O FILME (2001)  / Minhateca

No meio da nossa sociedade, existe um Brasil notado por poucos. Um Brasil formado por pessoas que, apesar de morar dentro de sua casa e fazer parte de seu dia a dia, vivem como se não estivessem lá. Cinco das integrantes deste Brasil são mostradas em "Domésticas - O Filme": Cida, Roxane, Quitéria, Raimunda e Créo. Uma quer se casar, a outra é casada mas sonha com um marido melhor. Uma sonha em ser artista de novela e outra acredita que tem por missão na Terra servir a Deus e à sua patroa. Todas têm sonhos distintos mas vivem a mesma realidade: trabalham como empregada doméstica.

Dirigido por Nando Olival e Fernando Meirelles

ELENCO:

Cláudia Missura .... Raimunda

Graziela Moretto .... Roxane

Lena Roque .... Créo

Olívia Araújo .... Quitéria

Renata Melo .... Cida

Robson Nunes .... Jailto

Tiago Moraes .... Gilvan

Luis Miranda .... Abreu

Eduardo Estrela .... Antônio

Bibba Chuqul .... Biba

Clarice Azul .... Clarice

Gero Camilo .... Claudiney

Maria Assunção .... Cleusa

Charles Paraventi .... cliente

Fabio Madeira .... cobrador

Cristina Rocha .... Cristina

Romilda Costa Camilo .... Dona Ana

Elizabete Freitas .... Elizabete

Milhem Cortaz .... encanador

Fabio Neppo .... entregador de pizza

Fernanda Viacava .... Fernanda

Georgette Fadel .... Georgette

Roberta Garcia .... Kelly

Théo Werneck .... ladrão

Plínio Soares .... Léo

Carlota Joaquina .... Lurdinha

Cybele Jácome .... Mercedes

Gueda Liberato .... Miranda

Ju Colombo .... Mirtes

X .... Ausprício

Déo Teixeira .... namorado da Rai

Patricia Gaspar .... Patrícia

Rosana Pereira .... Rosana

Cecília Homem de Mello .... Silvana

Teca Pereira ....Teca

Luciano Quirino .... Uilton

Cleide Queiroz .... Zefa

 

 

DURVAL DISCOS / Minhateca

4Shared Parte01 / Parte02 / Parte03 / Parte04

Elenco:

Ary França — Durval

Etty Fraser — Carmita

Marisa Orth — Elisabeth

Letícia Sabatella — Célia

Rita Lee — Tia Julieta

Isabela Guasco — Kiki

André Abujamra — Fat Marley

Theo Werneck — DJ Theo

Regina Remencius — Mãe de Kiki

Marcelo Mansfield - Vendedor

Participação Especial

Herodoto Barbeiro - Jornalista e apresentador da TV Cultura

Márcia Bongiovanni - Repórter e Apresentadora da TV Cultura

Direção: Anna Muylaert

São Paulo, 1995. Último ano em que a indústria fonográfica brasileira fabricou discos de vinil. No bairro de Pinheiros, Durval resiste heroicamente à febre do CD: só vende, só ouve, só quer saber de vinil. Assim ele toca a vida, entre tédio e música. Com breves interrupções: um cliente aqui, outro ali. Esse é o lado A do disco, que ainda tem lugar para um velho LP de Jessé. No lado B do disco a música é bem diferente. É um mundo obscuro, que de repente se revela assustador e cruel. Nele, delírio e realidade se misturam como se tudo fosse possível, até um cavalo branco montado por uma menina bailarina no quintal minúsculo de uma casa. Uma alucinação que parece não ter limites e que passa como um furacão. O mundo de vinil de Durval Discos nunca mais foi o mesmo depois que se ouviu aquela "música" do lado B.

POLARÓIDES URBANAS (2007) / Minhateca

Dirigido por Miguel Falabella

O filme é uma adaptação da peça "Como Encher um Biquíni Selvagem "(1992), a comédia mostra a rotina de diferentes mulheres, seus conflitos e seus relacionamentos amorosos. Entre as personagens estão uma jovem que vive em conflito com a mãe, uma dona de casa que não acredita em seu futuro, uma empregada que não se entende com sua patroa e uma atriz em decadência.

Elenco:

Marília Pêra .... Magda / Magali
Arlete Salles .... Lise
Natália do Valle .... Dra. Paula
Otávio Augusto ... Edmundo
Marcos Caruso ... Adalberto
Berta Loran .... Malka
Lúcio Mauro .... Fernando
Jacqueline Laurence .... Renée
Neuza Borges ... Crioula
Jorge Botelho ... Seu Edgar
Stella Miranda .... Dulce
Nicolas Trevijano .... Mike
Ingrid Guimarães .... Verley
Alessandra Maestrini .... Ismênia
Daniel Zettel .... Sangria
Mary Sheyla .... Rizette
Sandro Christopher .... Oswaldo
Alexandre Slaviero ... Arnaldo
Ana Roberta Gualda .... Melanie
Juliana Baroni .... Vanessa
Marcelo Adnet .... Firmino
Flávia Guedes .... Cremilda

 

 

Casseta & Planeta: Seus Problemas Acabaram! (2006)

Minhateca

Dr. Botelho Pinto é um advogado idealista com uma ideia fixa: acabar de vez com as Organizações Tabajara. Diante do juiz da "Primeira Vara de Família: Primeiro a Mãe, Depois a Filha", Botelho acusa o império empresarial de testar em seu cliente favelado Lindauro das Dores um medicamento com um efeito colateral inesperado: desperta em cães no cio um apetite sexual incontrolável pelo paciente. O cliente é morto tragicamente por um elefante antes da solução do caso.

Outro cliente das Organizações Tabajara é localizado sob o efeito de um dos produtos: ficou com o traseiro virado para a frente. Antes de testemunhar, porém, ele é morto por um atirador de elite. Botelho explica para Priscila, sua secretária (que à noite trabalha como stripper usando o nome Priscilinha Tsunami), por que odeia tanto as Organizações: em seus tempos de criança, uma ração adulterada teria transformado seu carneirinho favorito num maníaco.

Segundos antes que o juiz pudesse bater o martelo, ele descobre que seu peixe de estimação foi sequestrado. Seguindo as pistas, Botelho Pinto encontra o covil onde Seu Creysson se encarrega de adulterar os produtos das Organizações Tabajara, assim desmoralizando a concorrência ao Grupo Capivara. Seu Creysson supostamente morre, mas antes revela que é o verdadeiro pai de Botelho.

Dirigido por José Lavigne

ELENCO:

Murilo Benício.... Dr. Botelho Pinto
Maria Paula Fidalgo.... Priscilinha Tsunami / Xuxa
Beto Silva.... Peludão da Sauna Gay / Larry King / advogado de Gel / Capitão Calcinha / duende / surfista
Bussunda.... Lindauro das Dores / Surfista / Duende / Sogra do atirador de elite
Cláudio Manoel.... Seu Creysson / advogado de Gel / repórter chicano / garoto propaganda / surfista
Hélio de la Peña.... Chicória Maria / Mordomo Jarbas / duende / Zé Pequeno / surfista / publicitário-de-rabo-de-cavalo / Frei Jackson (voz)
Hubert.... Wanderney da Sauna Gay / atirador de elite / Fucker / taxista / publicitário-de-rabo-de-cavalo / meirinho / surfista
Marcelo Madureira.... Juiz Alencastro Ramalhete / surfista / publicitário-de-rabo-de-cavalo / Funcionário do Zoológico
Reinaldo .... Ubiracy / Sucker / advogado de Gel / o âncora da TV Al Jacira/ Surfista
Luana Piovani (participação especial)
Juliana Paes (participação especial)
Marcos Pasquim (participação especial)

O HOMEM QUE DESAFIOU O DIABO (2007) / Minhateca

Direção: Moacyr Góes

ELENCO:

Marcos Palmeira .... Zé Araújo/Ojuara
Lívia Falcão .... Dualiba
Flávia Alessandra .... mãe de Pantanha
Fernanda Paes Leme .... Genifer
Renato Consorte .... Turco
Ruy Rezende .... Sesyom
Déborah Kalume .... Neusa
Helder Vasconcelos .... Cão Miúdo
Giselle Lima .... Eleonora
Antônio Pompeo
Antônio Pitanga .... Preto velho
Leandro Firmino .... Zé Pretinho
Sérgio Mamberti como coronel Ruzivelte
Juliana Porteous como Bailarina Sue

Zé Araújo é um caixeiro-viajante que se dá muito bem com as mulheres em qualquer lugar que vá. Suas aventuras acabam quando ele é obrigado a se casar com Dualiba, ficando condenado a trabalhar exaustivamente no armazém de seu sogro. Depois de tanto trabalho e humilhação, Zé Araújo se revolta e transforma-se no caboclo Ojuara, solitário herói, movido a cachaça e sempre à procura de mulheres e metido em confusões e ainda enfrentando o maior inimigo bíblico Satanás o Diabo.

Se Eu Fosse Você 2 (2009) / Minhateca

Dirigido por Daniel Filho

ELENCO:

Glória Pires
Tony Ramos
Cássio Gabus Mendes
Adriane Galisteu
Vivianne Pasmanter
Isabelle Drummond

O casal Cláudio (Tony Ramos) e Helena (Glória Pires) volta a viver uma troca de papéis. Depois de alguns anos da primeira troca, os conflitos constantes voltam a prejudicar a relação e o casal resolve se separar. Para tornar a situação ainda mais complicada, eles descobrem que a filha, Bia, agora com 18 anos, está grávida e vai se casar.

Quando decidem formalizar a separação, o destino intervém na situação e, pela segunda vez, trocam de corpo. Familiarizados com a situação, decidem sumir durante quatro dias — tempo que durou o fenômeno da última vez. Porém, a tentativa não dá certo. Quando chega o quarto dia, eles continuam com as personalidades trocadas. Então, Cláudio e Helena entram em desespero e começam a buscar o motivo que não favoreceu a destroca. Tentam repetir algo que resolveu a outra ocasião, o que também não funciona, e acaba engravidando Helena (ainda com a mente de Cláudio).

Contrariados, os pais precisam continuar juntos, um no corpo do outro, para poderem organizar a festa de casamento da filha e, assim, viverem várias confusões com o genro, os ricos sogros e os amigos dos noivos.